Outubro 10, 2020

Por que o horário político na TV foi bom?

Por que o horário político na TV foi bom?

Foi uma ação importante do Tribunal Superior Eleitoral enxugar o horário gratuito na TV e no rádio para 10 minutos, sem os candidatos a vereador (eles entram nos comerciais durante a programação). Isso concentrou a produção dos marqueteiros naqueles que desejam ser prefeitos.

O primeiro bloco da campanha, apresentado ontem, 9, às 13h, em Florianópolis, foi bom de assistir. Uma espécie de apresentação dos candidatos, feito com boas edições e clips musicais animados. Nada de grosserias e ataques, o que se espera que continue até 12 de novembro.

Os três principais colocados nas pesquisas estrearam bem. Gean Loureiro, produzido pela Neovox, apostou nas realizações, a começar pela "Operação Asfaltaço", mas não foi só isso. O candidato prometeu mais realizações em uma segunda possível gestão e se destacou pela animação nas passagens entre os vídeos.

Angela Amin, por sua vez, produzida pela Agência 9 mm, focou na lembrança de obras quando passou pelo cargo e foi escolhida a "melhor prefeita do Brasil seis vezes". O mote da campanha foi a hashtag "Volta Angela", apoiado por um clip com a mesma ideia.

O melhor clip do dia foi do candidato Pedrão, mais ritmo e com refrão fácil de guardar: "agora é Pedrão". Com menor tempo, apostou nas imagens de convivência, produzidas por equipe própria.

Os demais candidatos apenas marcaram presença. Dr. Ricardo, com pouquíssimo tempo, lembrou dos filhos. Hélio Barros foi que demonstrou menor intimidade com o vídeo na breve passagem.

Pela demonstração desta largada pode-se esperar que o horário eleitoral de 2020 será o menor desconforto para quem assiste e uma saudável competição entre os participantes. Espera-se.

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!