Dezembro 20, 2019

Rádio e TV: Como o uso de novas tecnologias beneficia público e anunciantes

Rádio e TV: Como o uso de novas tecnologias beneficia público e anunciantes

Com a popularização de novas tecnologias para a área da comunicação, como o streaming, os podcasts e aplicativos, a relação do público consumidor de rádio e televisão tem mudado de forma significativa. A convergência de telas, além de democratizar o acesso à informação e entretenimento, oferece um novo modelo de negócio às empresas e anunciantes. Em Santa Catarina temos bons exemplos de como essas novas práticas têm impactado positivamente na gestão e produção.

A NSC Comunicação estreou oficialmente no dia 16 de dezembro a inserção de toda a sua programação, ao vivo e de forma gratuita, na plataforma Globoplay. No primeiro momento, a operação se limita à Grande Florianópolis para 20 dos 22 municípios da região. O objetivo do grupo é levar a novidade para as outras cinco praças (Blumenau, Chapecó, Criciúma, Joaçaba e Joinville) e atingir todo o estado até o fim de 2020, segundo o diretor de operações e produtos da NSC, Bruno Watte. “Faremos uma campanha na nossa própria rede, para atingir as pessoas que já assistem TV, no impresso e também no meio digital. No primeiro ano queremos atingir todo o estado”, afirma o executivo.

Em Rio do Sul, o Grupo de Comunicação Difusora, afiliado das redes Jovem Pan FM e Jovem Pan News, além de proprietário da rádio Amanda FM, que entrou na onda do streaming. Com a construção da nova sede, a empresa preparou os seus estúdios para transmitir os programas das três emissoras nas redes sociais, principalmente no Facebook e no Youtube.

Apesar de recente (desde março), esse conteúdo já é sucesso entre os ouvintes da Amanda FM. “Temos que nos adaptar, seguindo as novas tendências de geração de conteúdo e estamos cada vez mais presentes (nas redes), pois vemos que cada vez tem mais gente lá”, explica o diretor executivo do Grupo de Comunicação Difusora, Humberto Ohf de Andrade.

Com os ouvidos (e olhos) no futuro

O processo de modernização das operações do Grupo de Comunicação Difusora, além da construção da nova sede, em Rio do Sul, incluiu uma série de visitas à Jovem Pan, em São Paulo, que investe fortemente em tecnologia. Cada estúdio das emissoras do grupo catarinense agora é equipado com câmeras móveis, comandadas por uma central que gera imagens para as redes sociais – a Amanda FM tem cerca de 90 mil fãs conseguidos organicamente. Os anunciantes também se beneficiaram com a transmissão online e em vídeo dos programas: o grupo vem recebendo uma série de pedidos dos apoiadores, que estão aumentando a sua base de seguidores por meio desse conteúdo.

Segundo Humberto Ohf de Andrade, o streaming, trabalho pioneiro no estado, é um serviço adicional prestado aos clientes do grupo, que deve aumentar o faturamento no futuro para além das inserções na rádio. Por enquanto esse modelo de negócio não tem nenhum custo aos anunciantes. “Veiculamos imagem e som, com corte de imagens, gerador de caracteres, não é mais uma webcam pendurada no estúdio como muitos fazem. A Jovem Pan é um grande case para nós, estamos finalizando um media kit digital e o aplicativo para oferecer aos clientes”, comenta.

 

Programação ao vivo e gratuita para todo o estado em 2020

A NSC Comunicação abriu o sinal ao vivo e gratuito na Internet no dia 4 de dezembro para testes, sem divulgação, para verificar os pontos de atenção e fazer ajustes pontuais. O diretor de operações e produtos do grupo, Bruno Watte, acredita que a “mixagem de telas” é um momento importante para o setor. Com a entrada da programação no Globoplay, a expectativa é atingir até 1,5 milhão de pessoas em caráter inicial. “As pessoas estão escolhendo o seu conteúdo em outras telas, assistindo Netflix na televisão e TV aberta no celular. Estamos acompanhando a mudança de hábitos do consumidor”, conta.

Para ter acesso ao conteúdo da emissora, o usuário precisa baixar o aplicativo Globoplay para iOS ou Android (ou para a Smart TV) e fazer um cadastro simples usando o login do Facebook ou do Google. Estarão disponíveis os programas de jornalismo, esportes, variedades e reality shows – para assistir capítulos de novelas, séries, filmes, desenhos animados ou programas de humor é preciso ser assinante. “É o mesmo produto, uma forma adicional de distribuição”, completa Watte.

Mais de 2500 emissoras de rádio no seu celular

Fundada em 1962, a Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), não parou no tempo. Em 2015, a entidade criou o MobiAbert, um aplicativo gratuito que integra mais de 2,5 mil emissoras de rádio do país. Além de promover a entrada no mundo digital, o app oferece diversas funcionalidades, como acessar estatística de audiência, conversar em tempo real com os ouvintes via chat ou até mesmo configurar a programação.

Utilizado por emissoras de 94 cidades de Santa Catarina, o MobiAbert é visto como fundamental para a difusão da rádio no meio digital, segundo Fernando Hübner, diretor de quatro rádios no Oeste do estado. “Não tínhamos aplicativo até então, mas com essas novas tecnologias pudemos proporcionar aos ouvintes uma nova forma de escutar nossa programação. É uma experiência maravilhosa”, declara.

 

Este conteúdo é parte da série Mapa de Oportunidades, uma parceria do Portal Making Of com a ACAERT (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão).

Conteúdo produzido por Daniel Silva e editado por Alexandre Gonçalves, especial para o Portal Making Of

Tags:
Mapa de Oportunidades Mídia Regional Mídia Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários