Novembro 28, 2019

Rádios da capital não foram a São Paulo ver Avaí

Rádios da capital não foram a São Paulo ver Avaí

Aquilo que o torcedor do Avaí viu na tua TV ontem à noite, 27, foi o mesmo que os profissionais das rádios da capital catarinense viram. Nenhum integrante da CBN Diário ou Guarujá – narrador, repórter ou comentarista – foi escalado para testemunhar o jogo contra o Corinthians, no Itaquerão. 


Sala de imprensa no Itaquerão sem catarinenses

Já estava sendo um hábito para a Guarujá transmitir os jogos via telinha, enquanto a CBN mandava ao menos um repórter. Nessa partida, faltando quatro rodadas para terminar o brasileirão, a emissora da NSC apostou na contenção de custos, mas justificou a ausência devido ao rebaixamento do Avaí.  

Chegando ao final do ano, a preocupação das emissoras passa a ser os resultados econômicos e os custos das viagens. As duas cortaram custos de pessoal ao longo de 2019, percebido em vários horários. No caso do futebol, o custo é alto, mas a presença em campo é importante. O que vale mais?

 

Fake News

Quem diria! A maioria das pessoas que passa adiante fake news tem consciência da mentira, mas faz isso porque tem opinião igual. Ou seja: acredita na mentira.

A pesquisa é da Universidade de Regina, no Canadá (veja matéria aqui). E explica melhor porque tem tanta gente ganhando dinheiro para produzir notícias falsas: há um número muito maior de gente disposta a garantir o sucesso.

 

Demissões

O fechamento dos jornais do grupo NSC provocou a demissões de todos os funcionários da gráfica de Itaguaçu. Estima-se que 35 pessoas foram para o mercado de trabalho, crescendo a fila dos desempregados e das profissões em extinção.

 

F1

Reginaldo Leme, um dos mais lembrados jornalistas que cobrem corridas de automóveis, está deixando a Globo. Ele engrossa a lista do pessoal que não aceitou a troca do contrato de pessoa jurídica para física.

Outros que tiverem problemas semelhantes e estão de licença, por enquanto, são Marcos Uchoa e Tino Marcos. Eles tinham salários bem diferenciados para o atual mercado da comunicação.

Reginaldo estava há 40 anos na Globo.

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!