Setembro 18, 2020

The Intercetpt denuncia combinação de bastidores entre políticos e NSC

The Intercetpt denuncia combinação de bastidores entre políticos e NSC

O site The Intercept Brasil, que levantou há meses, com exclusividade, a compra irregular dos 200 respiradores em Santa Catarina, e os mesmos repórteres, Hyury Potter e Fábio Bispo, publicaram ontem, 17, uma extensão matéria envolvendo políticos catarinenses e o grupo NSC. O tema central é o processo de impeachment, mas no contexto há referências a combinação de entrevistas citando diretores do grupo jornalístico, o deputado Júlio Garcia e o governador Raimundo Colombo.

No telefone gravado pela Polícia Federal, o ex-diretor Jurídico da NSC, Paulo Galotti, se compromete com uma entrevista positiva, sem perguntas que constrangessem o governador. Conforme registro do site, a matéria de fato foi realizada três dias depois da combinação.

Diante do significado dessa questão editorial, relacionada a combinação de bastidores entre políticos e a empresa de jornalismo, o Portal Making Of republica a parte da reportagem que envolve os personagens citados. Ao mesmo tempo, entrou em contato com a NSC para um posicionamento sobre as informações publicadas e a nota enviada é a mesma já reproduzida abaixo no texto pelo The Intercept.

 

A reportagem

Esta é a parte integral do texto do site que se refere a combinação de entrevista: 

Entre essas provas, estão áudios interceptados pela PF no começo de 2018 que mostram Garcia combinando uma entrevista do então governador Raimundo Colombo, do PSD, na época pré-candidato ao Senado, com o grupo NSC — afiliado da Rede Globo em Santa Catarina. A conversa é com o diretor Institucional e Jurídico do grupo, Paulo Gallotti, um ex-ministro do STJ.

Os investigadores observam que os termos das entrevistas foram previamente acertados e que Garcia garantiu que a conversa seria gravada "para possíveis edições (não seria feita ao vivo), e que não houvessem perguntas que pudessem constranger o atual governador". Em conversa telefônica realizada em 31 de janeiro, Paulo Gallotti deixa bem claro para Garcia que a intenção do grupo de comunicação era produzir um texto positivo sobre o político. A entrevista foi realizada três dias depois.

Áudios de telefonemas de Julio Garcia com o diretor jurídico da NSC, Paulo Gallotti, captados pela Polícia Federal, mostram a influência do deputado no maior grupo de comunicação do estado.


Foto: Reprodução/MPF

Outros telefonemas revelaram ainda uma tentativa de Garcia e Gallotti em ajudar o deputado federal catarinense João Rodrigues, do PSD, a escapar de uma prisão determinada pelo STF. Na época, Rodrigues estava em Miami e tinha passagem marcada para o Brasil. Garcia e Gallotti mencionam no telefonema um plano de fuga de Rodrigues para Assunção, no Paraguai, que teria sido sugestão do próprio advogado de Rodrigues no caso. A fuga acabou frustrada pela PF e Rodrigues foi preso em Guarulhos.

Nas conversas interceptadas pela PF, Julio Garcia e Paulo Gallotti também falam sobre um plano de fuga do ex-deputado federal João Rodrigues para o Paraguai – na época, o STF tinha determinado a sua prisão.


Foto: Reprodução/MPF

Mesmo não sendo o escopo da investigação, agentes da PF destacam no inquérito que as transcrições dos telefonemas são importantes para "demonstrar a forte influência em agentes públicos relacionada ao investigado Julio Garcia". Na denúncia desta terça, os procuradores, concluem que ele "exerce inegável influência política no Estado de Santa Catarina", situado no "ápice do núcleo dos agentes públicos, responsáveis por viabilizarem as fraudes nos processos licitatórios e nos desvios de recursos públicos”.

"Este forte poder político exercido por Julio Garcia lhe permitiu, durante todos esses anos em que ocupou cargos públicos no Estado, articular uma extensa e complexa máquina de fraudes, desvios e corrupção espraiada pela Administração Pública", narram os procuradores.

A NSC informou em nota que "o jornalismo praticado por seus profissionais segue preceitos éticos e normas editoriais claras", e que "não são permitidas intervenções editoriais de qualquer natureza". Sobre a transcrição da conversa de Gallotti e Garcia para uma entrevista com o governador Colombo, a empresa reforça que "foram observados todos esses preceitos, sem qualquer orientação para proteger ou beneficiar entrevistados".

Apesar da nota do grupo de comunicação destacar isenção e nenhuma intervenção editoral, o diretor Paulo Gallotti nos falou por telefone que "está correta a leitura de que a entrevista seria positiva para o governador" e que ajudou a colocar o governador em contato com a empresa. O ex-ministro também disse que é "amigo há mais de 30 anos de Julio Garcia e que conversam com frequência, mas nada pela empresa NSC". A respeito dos comentário sobre o plano de fuga do ex-deputado João Rodrigues para o Paraguai, Gallotti afirmou que "João é outra pessoa muito amiga". Segundo o diretor da NSC, todas as conversas foram por causa dessa amizade e ele "achou esquisito o plano de ida para o Paraguai, tanto que a Interpol prendeu ele lá".

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!