Outubro 15, 2020

Trump critica Face e Twitter por limitarem alcance de reportagem sobre Biden

Trump critica Face e Twitter por limitarem alcance de reportagem sobre Biden
Reprodução

O presidente dos EUA, Donald Trump, criticou ontem, 14, a decisão do Facebook e do Twitter de limitarem a publicação de uma reportagem do New York Post sobre o candidato democrata à Presidência Joe Biden e o filho, Hunter.

Segundo a reportagem, emails indicariam que o filho do então vice-presidente Biden, Hunter Biden, tentou apresentar ao pai um importante executivo de uma empresa ucraniana para a qual Hunter Biden trabalhava.

"Um e-mail incriminatório revela como Hunter Biden apresentou um empresário ucraniano ao pai vice-presidente", diz a manchete do artigo.

Como a campanha de Biden negou qualquer envolvimento do candidato democrata com o empresário ucraniano suspeito, o Facebook e o Twitter impuseram restrições aos links para o artigo, dizendo que havia dúvidas sobre sua veracidade.

"Isso faz parte do nosso processo padrão para reduzir a disseminação de informações falsas", justificou Andy Stone, porta-voz do Facebook. Já o Twitter explicou que estava limitando a divulgação do artigo devido a dúvidas sobre "as origens do material" incluído na matéria.

As ações do Facebook e do Twitter provocaram indignação em Trump atacou os dois gigantes das redes sociais.

"É terrível que o Facebook e o Twitter retiraram o artigo dos e-mails incriminatórios relacionados ao 'Sonolento' Joe Biden e seu filho, Hunter, no @NYPost", postou Trump no Twitter. "É só o começo para eles. Não tem nada pior do que um político corrupto", completou.

O New York Post afirmou que o computador foi deixado por Hunter Biden em uma loja de conserto de computadores no estado de Delaware em abril de 2019. O dono da loja, que não foi identificado, declarou ao jornal que, após a máquina ter sido dada como esquecida, uma cópia do disco rígido foi feita e o computador foi entregue a autoridades federais.

O dono da loja entregou um cópia do disco rígido a Rudy Giuliani, ex-prefeito de Nova York e advogado pessoal de Donald Trump, que o entregou ao jornal.

Embora a campanha de Biden não tenha negado a existência do computador ou a veracidade dos e-mails, Giuliani tem um histórico de espalhar desinformação sobre os Biden e a Ucrânia. Com informações de AFP e Reuters.

Tags:
web
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!