Novembro 29, 2019

Tucanos encaram o futuro com novo comando

Tucanos encaram o futuro com novo comando
HAUDREY MAFIOLETE/DIVULGAÇÃO

Sem solavancos e em clima conciliatório, o PSDB catarinense deve homologar, neste sábado, em reunião extraordinária, o nome da deputada federal Geovania de Sá (foto) para a presidência da sigla, que que está na interinidade do cargo desde o falecimento do ex-prefeito e deputado Marco Tebaldi.

O foco, que é de preparar a sigla para disputar a eleição municipal do ano que vem, ganhou mais importância do que eventuais discordâncias, principalmente depois que o deputado estadual Marcos Vieira, que, por quatro anos, esteve à frente do tucanato, o ex-senador Dalírio Beber e o prefeito da maior cidade comandada pelo partido, Clésio Salvaro (de Criciúma), disseram não às provocações de correligionários e líderes para tocarem o barco.

Mas a ascensão de Geovania dependerá da postura da hábil parlamentar, que já foi orientada pelos mais experientes para ouvir mais as bases, conversar com filiados e militantes, um claro recado para se afastar, na medida do possível, do glamour de Brasília.

 

Outras funções

Marcos Vieira admite que ficou tentado a voltar à presidência, porém desistiu em nome da intensa agenda que engrenou na Assembleia, com a presidência da Comissão de Finanças, palestras pelo Estado e a referência que se transformou em torno de temas polêmicos, como a retirada da isenção fiscal sobre os agrotóxicos, proposta pelo Executivo.

Para Vieira, que mira em um projeto mais amplo em 2020 e tem se dedicado ao estudo de questões catarinenses, “não é hora de provocar a marola” para ele mesmo”.

 

Organizado

Nem a turbulência que agitou a bancada do PSL na Assembleia, tira o mérito de uma organização na liderança da sigla no parlamento.

As reuniões estão organizadas com atividades coordenadas pelo deputado Sargento Lima, que tem mantido contato com os chefes de gabinetes de cada integrante da bancada e pediu, para montar a equipe, que cada um deles indicasse um técnico para compor o trabalho da liderança e formalizar ações para atuar pelos deputados.

 

RODOLFO ESPÍNOLA/AGÊNCIA AL

JUSTA HOMENAGEM

Ex-secretário estadual da Agricultura e da Pesca, o deputado Moacir Sopelsa (MDB) conhece como poucos a relevância da Cidasc na vida do agronegócio, a começar pela garantia do controle da sanidade animal que garante o status de único Estado livre de febre aftosa sem vacinação. Na homenagem à companhia estadual, que completa 40 anos, ao lado dos colegas Altair Silva e José Milton Scheffer, ambos do PP, entregou uma placa comemorativa à presidente da estatal, Luciana de Cássia Surdi (foto). A Cidasc é, sem qualquer dúvida, um patrimônio dos catarinenses, e muitos funcionários e ex-funcionários, muitos deles médicos veterinários, foram também lembrados com o reconhecimento pelo trabalho desenvolvido ao longo das quatro décadas.

 

Por falar em agronegócio

Os deputados estaduais atenderam aos pedidos do setor produtivo do agronegócio e esticaram até o ano que vem o prazo de validade da isenção dos incentivos fiscais para os agrotóxicos.

Na prática, esperam pela deliberação do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que se reúne a partir do mês que vem ou o fim dos convênios, previsto para abril de 2020, o que não significa que impuseram uma derrota ao governador Carlos Moisés da Silva, pois o Estado tem poder de veto nas decisões que virão de Brasília.

 

Então pode

Os ministros do STF decidiram, por maioria, que o Ministério Público pode ter acesso aos dados sigilosos do cidadão junto à Receita Federal e à Unidade de Inteligência Fiscal (UIF, ex-Coaf), quando identificadas movimentações atípicas.

Entenderam que o fato, dentro das atribuições do MP e da Polícia Judiciária, não necessita da autorização de um magistrado, e que o ato não fere o sigilo bancário e fiscal. Ministro Dias Toffoli pretendia forçar a autorização do Judiciário e só não ficou sozinho porque o voto divergente do ministro Marco Aurélio Mello voltou a reaparecer, foi contrário ao provimento do pedido, assim como o ministro Celso de Mello, decano da corte.

 

Mudança

Um dos autores do Projeto da Nova Lei de Informática, aprovada na Câmara e que segue agora para o Senado, o deputado Daniel Freitas (PSL) comemora a unanimidade da matéria.

A lei prevê um novo modelo de incentivos fiscais para empresas de tecnologia da informação e comunicação (TIC) e também para investimentos em pesquisa e desenvolvimento desse setor, substituindo isenções tributárias consideradas ilegais pela Organização Mundial do Comércio (OMC), depois de pesada reclamação da União Europeia e do Japão sobre a política que é adotada no Brasil. 

 

CRISTIANO ANDUJAR/PMF

UMA GRANDE NOTÍCIA!

Considere que com o lançamento do Parque Urbano e a Marina Beira-Mar a prefeitura de Florianópolis não será obrigada a fazer qualquer contrapartida financeira e que a cidade ganhará uma importante alavanca de progresso e criação de oportunidades, como o emprego, que tanto falta no país. Só por isso, o lançamento do edital de chamamento público, uma concorência internacional, pelo prefeito Gean Loureiro (sem partido), na foto, ganha uma conotação acima da média em termos de futuro, pois a obra deve durar cinco anos a um custo estimado de R$ 190 milhões. Mas nem com todo este esforço devemos esquecer que o avanço da marina e o parque retiram o fato de que o empreendimento chega com no mínimo 30 décadas de atraso, fruto da militância ecológica e do radicalismo como o assunto era tratado até mesmo por órgãos de controle. A Beira-Mar está sendo despoluída, vêm por aí o engordamento da faixa de areia e a marina, que significarão um ganho na qualidade de vida de Florianópolis e na atração de turistas e investimentos para a Capital e o Estado.

 

* SUS: Entendendo os caminhos do SUS: do básico ao especializado é o tema do Ciclo de Palestras do Núcleo de Ações Repetitivas de Assistência à Saúde (Naras), da Procuradoria Geral do Estado, nesta sexta (29), na sede da instituição, em Florianópolis.

* EM NÚMEROS: Só para garantir o acesso a creches e pré-escolar, a  Defensoria Pública de Santa Catarina ajuizou, até setembro deste ano, 569 ações, de acordo com o Relatório de Estatística e Produtividade, da Corregedoria Geral da instituição, mas o número deve subir até o fim de 2019 por conta da demandas nos três maiores núcleos: Florianópolis, Joinville e Blumenau, onde o número já chega a 672 ações até o momento.  

* DA UDESC: Conselho de Administração da Udesc aumentou em 15% o valor de 1.788 bolsas estudantis de graduação, de R$ 400 para R$ 460 a partir de 2020.

* NÃO DÁ: As paralisações da autarquia Comcap, em Florianópolis, prosseguem como um tiro no pé da empresa, que ainda provoca rombo nas contas públicas da prefeitura e não justifica as movimentações sindicais.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 34 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, chefe de Redação, editor-chefe, gerente e diretor de Jornalismo, nas RBS TV de Blumenau e Florianópolis, na TV Record de Florianópolis e na Rede TV Sul!; comentarista na RIC TV Record e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União de Blumenau e União FM de Florianópolis, e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, faz comentários nas rádios do Grupo RCC (Bombinhas e Nova Trento) e na 105 FM (Jaraguá do Sul); e assina uma coluna no Diarinho, de Itajaí.
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!