Março 15, 2020

Vencido o primeiro desafio: CNN Brasil no ar

Vencido o primeiro desafio:  CNN Brasil no ar

Depois de um investimento estimado em 300 milhões e a contratação de 160 jornalistas foi ao ar nesta noite de domingo, 15, a CNN Brasil. Empreender em tempo de crise e pandemia foi a grande vitória dos donos do canal, o empresário mineiro Rubens Menin e do jornalista Douglas Tavolaro, ex-vice-presidente da Record.

É muito cedo para dizer se existe algo significativo para vencer o desafio de um mercado que até então é dominado pela acomodada GloboNews. A abertura foi bem bolada, com direito a “bem-vinda CNN Brasil” gravada por Wolf Blitzer, da CNN americana, e o envio de um pacote vermelho para a aliada. Aberto pelos apresentadores Evaristo Costa e Monalisa Perrone, tratava-se de um microfone com a canopla vermelha símbolo do canal.  

Monalisa, já chamada de apenas de Mona pelos repórteres, continuou no vídeo, em momentos ao vivo e pré-gravado, logo depois ao lado do midiático Reinaldo Gottino, ex-campeão de audiência na Record. O programa inicial muito chamado nos últimos dias foi sobre o coronavírus, que acabou motivando na GloboNews um longo programa especial, a partir das seis horas da tarde, com inúmeros jornalistas da casa, postos de vivo e entrevistados.

Ponto a favor do desafiante foi entrevistar ao vivo Jair Bolsonaro, em frente ao palácio do Alvorada, sobre a presença dele nas manifestações de Brasília e a pandemia. O presidente considerou exagerada a decisão da CBF em proibir competições nacionais, pois entende que soluções drásticas como essa não vão resolver. Disse que realizar jogos e descontar uma percentagem ajudaria mais as pessoas que passam fome.

Bolsonaro disse que amanhã reúne o gabinete de crise com mais integrantes. E parabenizou o canal.

Quem queria amplitude de informação sobre o coronavírus, ficou na GloboNews. Quem queria tentar ver algo novo, foi para o canal 577 da CNN. Ele terá o crédito de ser bem acompanhado nos próximos dias, por quem busca novos formatos e conteúdos diferenciados.

É um tremendo desafio para os profissionais que ocupam 120 novas mesas de trabalho, 25 ilhas de edição e estúdios em São Paulo, Rio e Brasília. Sem falar na prometida isenção editorial.

Quem está em casa vai gostar dos próximos passos da concorrência, saudável em qualquer tempo e indispensável hoje em dia. A amostragem da estreia diz que a CNN pelo menos será uma opção para se ver gente com opiniões diferentes e jornalistas felizes com o trabalho.  

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!