Agosto 24, 2019

Vert - na vertente do low profile

Vert - na vertente do low profile
Foto Mariana Boro

Os arquitetos Roberta Feijó e Antônio Medeiros - ela vinda do Rio Grande do Sul e ele, de Tubarão - se cruzaram profissionalmente trabalhando em uma imobiliária que praticamente criou o conceito do Novo Campeche.

Há cinco anos, a dupla fundou seu próprio escritório, o Studio Vert, ampliando ainda mais a atuação nesta que é uma das regiões mais valorizadas de Floripa. Donos do estilo low profile que fez a fama do bairro, Roberta e Antônio também buscam colocar em seus projetos conceitos de uso mais consciente com foco na qualidade e durabilidade.

Com o conhecimento de praticamente todos os empreendimentos criados por lá nos últimos anos, os profissionais falam nesta entrevista sobre as vantagens desta experiência, o perfil dos clientes e também sobre sustentabilidade.

 

Fotos José Somensi


Vocês se conheceram trabalhando na formação do Novo Campeche e, depois, decidiram montar o Studio Vert. Como foi essa experiência?

Nos conhecemos trabalhando no setor de desenvolvimento de projetos da imobiliária que é referência da região, onde tivemos a oportunidade de participar do desenvolvimento do Novo Campeche.

O trabalho era desenvolvido de forma multidisciplinar, desde a análise de mercado e terreno, com conhecimento a fundo do novo plano diretor da cidade. Também atuamos no desenvolvimento de conceito e marca até a concretização do melhor produto que aliasse estética, localização, funcionalidade, valor e cuidado com o entorno.

Aprendemos que um projeto bem embasado e que busque o diferencial aumenta muito as chances de ser um sucesso de vendas. 

 

 

Qual a vantagem deste conhecimento no trabalho de vocês?

Conhecemos praticamente todos os empreendimentos da região e buscamos manter contato com as imobiliárias e os corretores. A vantagem é que temos acesso a muita informação do que está acontecendo e também dos projetos existentes, facilitando a aproximação com o futuro cliente. 


Em que perfil se encaixa o cliente que decide morar, por exemplo, no Sul de Floripa? O que ele busca na região?

São, principalmente, clientes de grandes cidades que buscam uma mudança de vida atraídos pela qualidade de vida de Floripa. E a região do Campeche representa muito bem isso, pois alia tranquilidade, natureza, inovação e um estilo de vida low profile.

Estas características têm chamado atenção das pessoas por alinhar a uma tendência mundial de uma vida mais simples, com mais conexão com a natureza, menos consumo e mais propósito. Com foco no que realmente importa - uma melhor dosagem entre a vida pessoal e a profissional, o materialismo e o consumo consciente, o menos versus o mais.

São pessoas entre 30 e 50 anos, praticantes de atividades esportivas, que gostam da natureza, de viajar e se preocupam menos com adquirir percebendo a importância de viver o presente.

 


Como é o estilo high low que vocês defendem no trabalho do Studio Vert?

Auxiliamos o cliente a investir naquilo que realmente é prioridade e faz mais sentido ao projeto. Durante a obra, buscamos aproveitar itens já existentes e entregues pelas construtoras, por exemplo.

No mobiliário, achamos importante trazer objetos de acervo pessoal que carregam história e afeto. Buscamos sempre itens com bom custo-benefício, dosando preço, qualidade e durabilidade. Ao desenvolvermos o projeto pensamos numa planta mais limpa para destacar os espaços principais, conciliando um toque de ousadia com atemporalidade.

 


O mercado de locação de residências, já estabelecido no mundo, também impacta nos projetos? Vocês já atenderam este perfil?

É um mercado que vem crescendo bastante, pois o Campeche está cada mais visado pelos turistas que gostam de passar as férias próximo a praia em ambientes descolados. É um mercado em potencial, com mais crescimento ainda. Nós já atuamos em torno de 15 projetos voltados para este fim.

 


Outro ponto importante é a sustentabilidade. Como podem colaborar com o debate do tema no mercado de arquitetura?

Ao utilizarmos soluções acessíveis levamos o conhecimento para os clientes e desmistificamos o investimento, considerado grande. E, hoje em dia, os incentivos têm ampliado as possibilidades em função da urgência do tema.

Também trazemos resultados de pesquisas e cases de sucesso em países referência na área, além de buscarmos parceiros que têm esta preocupação e se engajando à empresas e alternativas com visões semelhantes.

 


 

Tags:
social entretenimento Floripa Florianópolis gente festas eventos agenda
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Yula Jorge

Yula Jorge
Jornalista graduada pela UFSC. Antes disso estudou e viveu quatro anos entre o Canadá e os Estados Unidos e quando retornou a sua terra natal, Goiânia, graduou-se pela PUC em Secretariado Bilíngue. 
Logo mudou-se para Florianópolis, ingressou na Universidade Federal, e da ilha não saiu mais. Atua como colunista desde 2012, assinou uma coluna diária no jornal Notícias do Dia por alguns anos, e, paralelamente, foi repórter da RICTV Record e Record News. Traz todos os dias o que rola de especial em Floripa: sobre quem acontece, empreende, se engaja em causas legais. O que inaugura, as festas bombásticas, as melhores casas, restaurantes, os shows, as ações bacanas e o voluntariado.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!