Março 17, 2020

William Waack salva CNN Brasil no primeiro dia

William Waack salva CNN Brasil no primeiro dia

William Waack tinha vários motivos para se dar mal na estreia da ancoragem do “Jornal da CNN Brasil” ontem à noite, 16, mas foi adiante apesar dos cortes de áudio, erros na sequência de imagens, falas no seu ouvido durante entrevista e atrasos na preparação dos entrevistados. E ainda deu recados para sua equipe dizendo no ar que erros são normais em programação ao vivo.  

Waack ficou à vontade para coordenar um pequeno debate sobre o mercado financeiro com convidados no estúdio de São Paulo e Brasília. Na chamada de repórteres esteve menos seguro, provavelmente porque estava fora do ar desde a demissão da Globo em 2017.

Foi bem mais eficiente do que Monalisa Perrone mais cedo, também ex-Globo, que titubeou demais para ler as notícias – provavelmente devido à falta de sincronia com o teleprompter e em comparação com Daniela Lima, totalmente perdida na bancada.

 

Promessa

A CNN Brasil prometeu demais e entregou de menos. Foi muita badalação para um resultado insuficiente no primeiro dia. Não só pelas inseguranças no ar, como pelo enfrentamento da GloboNews, que despejou muito mais conteúdo do que ela.

A franquia da CNN de Atlanta tende a melhorar sua operação com o decorrer do tempo, mas não pode demorar. Tem que se ajeitar logo e depurar conteúdos, evitando que vá ao ar repórter que diz “houveram razões”, no caso do correspondente na Argentina.

 

Cacau

O movimento de Cacau Menezes em direção ao grupo ND se concretizou ontem, 16, com o anúncio da estreia do colunista em abril.  Vai escrever para o Notícias do Dia e ocupar dez minutos no Balanço Geral da ND TV. Uma renovação para o profissional após 40 anos no mercado e um investimento importante para os dois produtos da ND.

 

O que fazer sem futebol?

A pandemia coronavírus impacta a vida de todos e mexe com a programação de inúmeros programas de rádio e TV que debatem futebol. Sem competições, todo mundo corre atrás de opções para preencher espaços. Os canais SporTV já entraram no processo de repetição de jogos.

Há poucas saídas para manter o interesse dos assinantes, o que remete a um futuro depois da crise do covid-19: ainda tem sentido manter tantos espaços para o futebol? Diante das dificuldades para comprar direitos de campeonatos interessantes a resposta tende a ser “não”.

 

Info Covid-19

As vezes até parece exagero tanta informação, mas é só dar uma volta pela cidade para ver que nunca é demais: a grande maioria não toma cuidados de prevenção diante do novo coronavírus. A mídia está fazendo com muita consciência a cobertura da pandemia, o que falta mesmo é a consciência dos outros.   

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!