17.3 C
fpolis
17 C
fpolis
quarta-feira, 25 maio, 2022

A difícil e importante cobertura da tragédia em Saudades

Últimas notícias
A difícil e importante cobertura da tragédia em Saudades
Reprodução

Uma chacina é sempre difícil de cobrir jornalisticamente, uma chacina que envolve crianças com menos de dois anos e professoras é muito mais. E ainda em uma pacata cidade do Oeste, de dez mil habitantes, onde todos se conhecem.

A tragédia de Saudades foi acompanhada zelosamente pelos grupos de mídia catarinenses, com a rapidez na busca de informações que o caso exigia.

Como ocorreu no meio da manhã de ontem, 4, tanto NSC como ND abriam os programas de meio-dia com algumas imagens locais e entrevistas por telefone até que os repórteres chegassem ao local. E isso não demorou. Tanto Fernanda Moro, da NSC, quanto Felipe Kreusch, da ND, abriram microfone antes das 12h30.

A ND enfrentou um ou outro problema de sinal na frente da creche, já a transmissão da NSC foi mais limpa. As duas redes, no entanto, prestaram o serviço que era necessário para informar o catarinense. Os depoimentos das testemunhas, em especial da auxiliar, que escapou e ainda salvou uma criança, foram tocantes.

As entrevistas com o delegado também foram bem esclarecedoras.

À noite, a NSC colocou repórter em frente ao Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, onde uma criança estava sendo operada, bem como também o assassino de 18 anos. Sobre este, talvez possa ser feito o único reparo da cobertura, pois o caso exigia uma rápida reportagem investigativa na casa do suspeito e um levantamento completo da ficha dele.

O SCC/SBT, muito discreto e como sempre carente de recursos, acompanhou o caso por telefone e imagens de internet, ficando devendo aos telespectadores, assim como também ficou devendo a Barriga Verde/Band. Nestas horas é que fica demonstrado quem faz jornalismo para valer ou apenas para preencher tempo local.

Claiton Selistre
Publisher, colunista e owner do Portal Making Of, é jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário, além de coordenador do comitê editorial da RBS em Santa Catarina. Antes atuou na Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há sete anos.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Prefeitos e deputados do MDB pedem reunião para dar apoio a Moisés

Acabou a paciência com o presidente estadual Celso Maldaner e com o pré-candidato ao governo Antídio Lunelli depois da...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }