Portal Making Of

A estreia do Tá na Hora do SBT

Foto: Reprodução/SCC SBT

O SBT enfim estreou ontem, 18, os programas de final de tarde chamados “Tá na hora”, o nacional, com Marcão do Povo e Cristina Rocha, e do SCC local com Clayton Ramos e Gabriely Ravasco.

O produzido em São Paulo soou como um “revival” do lendário “Aqui e agora”, com apresentadores agitados e gritões, matérias polêmicas, um sujeito do Paraná batendo com um chinelo na mesa e muita vontade de fazer sensacionalismo.

O “Tá na hora” local, por isso, pareceu melhor do que o que antecedeu, embora alguns momentos ficasse em dúvida se entrava no modelo popularesco, quando na abertura Clayton Ramos agradeceu a família dono do canal e a coordenadora de jornalismo ou quando fez descer do alto uma buzina. Para que mesmo?

Outra ação que ficou sem a devida explicação ou utilidade foi a introdução no estúdio de uma geladeira customizada com o logo do programa. Não deu pra entender o qual a utilidade do eletrodoméstico.

O SCC apostou em quatro matérias ao vivo – número que não é habitual no canal – uma reportagem pré-gravada em Biguaçu e uma produção prévia do própria Clayton sobre o pessoal em situação de rua gravado à noite. Também levou ao estúdio os PMs que ajudaram a encontrar um garoto perdido.

Teve o comentário do jornalista Roberto Azevedo, que entrou na cota do conteúdo relevante. Anunciaram que ele voltaria uma segunda vez, o que não aconteceu provavelmente por falta de tempo.

O programa ainda teve seções dedicada ao esporte – pareceu espaço demais, à comunidade e aos pets.

O “Tá na hora SC” durou mais de uma hora e conseguiu manter o ritmo. O desafio agora é produzir o segundo programa e não vacilar sobre qual é o foco do conteúdo.

Os colunistas são responsáveis por seu conteúdo e o texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal Making of.

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Jornalistas ou influenciadores?

A desastrada experiência da Globo colocando influenciadores em vez de repórteres na transmissão do carnaval da Sapucaí não deve evitar mais experiências semelhantes. Ela, e

Boninho, o boçal

A tonelada de críticas sobre a cobertura dos desfiles na Sapucaí fariam qualquer responsável da Globo revisar a fórmula de usar influencers em vez de

O carnaval Globeleza caiu do pedestal

A Globo trocou jornalistas por influencers durante as transmissão das duas noite na Marquês de Sapucaí e se deu mal. Recebeu uma enxurrada de críticas

Carnavalescas

Já dizia o filósofo popular Nelson Ned, “na vida tudo passa, tudo passará.” E o carnaval não foge ao dito, ele vai passando diante de

Um nova crise na CNN

A CNN Brasil não consegue passar um bom tempo sem enfrentar uma crise de bastidores. A mais recente ocorreu no mês passado, o que resultou

MB TV é destaque no campeonato

Sem grande alarde de marketing, o grande destaque em mídia do catarinense 2024 é o canal MB TV – do site de jogos MagicBet777. É

A NSC liberou geral?

Aquelas normas e conceitos que balizam o Jornalismo, e adotadas pela Globo e demais afiliadas, parece que não valem mais na NSC. Liberou geral. Tudo

A picaretagem está no ar

A Netflix apresenta documentário em três capítulos contanto a história de jovens norte-americanos que criaram uma empresa fictícia de bitcoins chamada Centra Tech. Narrada por

Uma primeira semana da pesada!

O noticiário regional da primeira semana do ano novo foi dominado pela nomeação do filho do governador, Filipe Melo, para secretário do estado da Casa

Floripa, um réveillon para esquecer

A capital catarinense jogou por terra na noite passada a imagem que construiu durante anos como uma das festas de réveillons mais bonitas do Brasil.

Leilão do 5G começa hoje

No dia 27 de outubro, foram recebidas 15 propostas elaboradas por operadoras de telecomunicações e provedores regionais.