Dezembro 25, 2020

Especial de Natal: A vacina será o grande presente

Especial de Natal: A vacina será o grande presente

Se a sua discussão sobre o programa de imunização contra a pandemia está em defender posições radicais, relaxe, e se inspire nesta época do ano, que nos permite refletir, para pensar que precisamos de uma esperança maior do que qualquer discurso, contra ou a favor.

São cinco vacinas em desenvolvimento no mundo inteiro (a britânica Oxford/Astrazeneca, a russa Sptunik V, a americana Moderna, a teuto-americana Pfizer/Biontech e a chinesa Coronavac), mas pouco importa de onde venham, desde que os fatores eficácia e confiabilidade nos deem uma perspectiva de combate efetivo contra a Covid-19.

A guerra travada nos campos político, ideológico e jurídico sobre quem deve ser o responsável pela vacinação, a obrigatoriedade ou a procedência que incomoda tantos e enche as redes sociais, de nada vale para a maioria da população, ávida pelo benefício que virá.

 

Disputas menores

Se o governador João Doria Júnior (PSDB), de São Paulo, e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) resolveram tratar o assunto em um cabo de guerra político, perdem a oportunidade de unirem esforços para atender as pessoas, a coletividade, um mundo muito mais efetivo do que embates que alimentam disputas nas redes sociais.

A vacina tira do foco outras disputas, menores porque não são importantes a médio e longo prazo, diante da necessidade de se imaginar que poderemos, no segundo semestre de 2021, livrar nossas vidas das máscaras ou acabar com o ressacado das mãos em função do uso de álcool em gel.

 

Debaixo da árvore

Quem dera termos, ainda este ano, a vacina contra a Covid-19 debaixo da Árvore de Natal.

Não dará tempo, resta o alento de que virá, mais cedo ou mais tarde. Que nos ouçam em preces ou em pensamentos positivos.  

 

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 36 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis) e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, faz comentários na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários