Portal Making Of

Abril começa com saída de secretários do governo de Jorginho Mello

O dia 6 de abril é o prazo final para vereadores, prefeitos e vice-prefeitos trocarem de partido se forem concorrer ao pleito deste ano.

Já os secretários estaduais e municipais que querem se candidatar ao cargo de prefeito ou vice nessas eleições, devem deixar os seus cargos quatro meses antes do dia da eleição do primeiro turno, que em 2024 será no dia 6 de outubro.

Mas o governador Jorginho Mello (PL) deve fazer a troca de alguns detentores de cargos da sua administração ainda nesse mês de abril.

Os nomes confirmados que vão sair é o da secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto (Cidadania), que já confirmou que vai disputar a prefeitura de Lages neste ano. Em 2020, ela perdeu a eleição para o atual prefeito Antônio Ceron (PSD) por apenas 56 votos.

Com a saída da secretaria, Carmen reassume a sua cadeira na Câmara dos Deputados e com isso a suplente Geovânia de Sá (PSDB) volta para Criciúma e torce para que a deputada Carmen Zanotto vença a eleição em Lages para que ela fique em definitivo com a vaga em Brasília.

Outro que deixa o governo de Jorginho é o deputado estadual Sargento Lima (PL). Ele está comandando a secretaria de Segurança Pública do Estado e volta para a Assembleia Legislativa para ser o pré-candidato do PL na disputar pela prefeitura de Joinville.

E quem deixa a Alesc para que Sargento Lima volte a ocupar o cargo é o suplente Maurício Peixer, que volta a ser vereador em Joinville.

Outro que deixa o Governo do Estado é o atual secretário de Portos, Aeroportos e Ferrovias, Robison Coelho, que deve disputar a prefeitura de Itajaí em 2024. Ele concorre a vaga de pré-candidato com o vereador Rubens Angioletti.

Essa é mais uma disputa interna do Partido Liberal. Robison é uma indicação do governador Jorginho Mello e Angioletti é o nome que a deputada Ana Campagnolo quer emplacar na sua base eleitoral.

Vai se filiar no PL

O caso mais complicado é o do secretário de Estado do Meio Ambiente, deputado federal Ricardo Guidi, que hoje está no PSD. Ele quer ser o candidato a prefeito em Criciúma, mas o PSD praticamente já definiu que o secretário municipal e vereador Arleu da Silveira será o nome escolhido apoiado pelo prefeito Clésio Salvaro (PSD) e pelo deputado estadual Júlio Garcia (PSD).

Com isso, está praticamente acertado que na próxima quarta-feira, 3, o governador Jorginho Mello, o deputado federal Daniel Freitas e o deputado estadual Jessé Lopes vão fazer uma coletiva para anunciar a filiação de Guidi no PL para ser o pré-candidato a prefeito em 2024.

O problema de Ricardo Guidi é que, se sair do PSD, terá que ingressar na justiça para tentar não perder o cargo de deputado federal, pois como está se transferindo para outra legenda fora do prazo, o mandato é do PSD e aí Guidi perde a vaga em Brasília.

Os colunistas são responsáveis por seu conteúdo e o texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal Making of.

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Leia mais

Agora Moisés não serve mais para os aliados

Em agosto, quando estavam definindo quais partidos que iriam apoiar a reeleição do governador, muitos prefeitos e deputados estaduais defendiam Moisés de qualquer crítica que

A política como ela é

Passados seis dias do dia da votação do primeiro turno, onde Jorginho Mello (PL) e Décio Lima (PT) foram os escolhidos para continuarem a disputa