Setembro 10, 2021

Aposta saudável: Empreender com propósito

Aposta saudável:  Empreender com propósito
Gabriel Comandolli, Presidente da Belo Peixe.

Propósito indica algo que se quer fazer, indica uma grande vontade de realizar ou de alcançar alguma coisa, mas para alcançar um propósito muitas vezes é necessário ter coragem para dar uma guinada, ajustar as velas e seguir navegar rumo ao desconhecido. Em que fase da vida isso acontece é difícil de dizer, mas para Gabriel Comandolli, essa possibilidade chegou cedo: foi nomeado Presidente da empresa a Belo Peixe com apenas 20 anos e agora segue firme e de olhos brilhando para o seu mais novo propósito: a criação e industrialização do peixe de altitude.

Mudar de cidade, mudar de atividade, deixar para trás aquilo que você conhece e ter a necessidade de aprender rápido sobre um negócio completamente novo? Uma atitude difícil para quem já está na estrada há bastante tempo, mas imagina para um jovem estudante de administração que aos 20 anos foi nomeado por seu pai como presidente de empresa. Gabriel Comandolli, natural de Blumenau, saiu de sua cidade Natal e da “dureza” da produção do concreto para assumir um novo trabalho em Lages, na Serra Catarinense. Lá começou a trabalhar com a criação e industrializando trutas e com o que a natureza tem de mais maleável e de mais valioso: a água e as pessoas.

A Belo Peixe é uma empresa localizada em Lages, Santa Catarina, que produz e industrializa a truta, um peixe de água doce. Com seis anos de fundação, mas a apenas um ano sob a direção da família Comandolli. A empresa de pescados de altitude possui um perfil nada tradicional para as leis de mercado, pois é uma empresa com propósito e o jovem gestor conta com orgulho que isso o motiva a acordar muito cedo e ser o primeiro a chegar na sede para trabalhar.

Um dos desafios para a família Comandolli ao adquirir a empresa, além de buscar informações e parcerias para “tocar o negócio”, foi o foco na inovação da linha produtiva e da criação de novos produtos como alternativa para o desperdício da produção; cerca de 40% do peixe processado era descartado. Foi assim que recentemente surgiu o primeiro salgadinho saudável feito da pele da truta, um produto 100% orgânico, rico em ômega 3 e outras proteínas, com foco no mercado infantil. O salgadinho foi desenvolvido por Simone Comandolli, mãe de Gabriel e entusiasta do filho. O jovem empreendedor conta orgulhoso sobre o novo produto que ainda está em fase de testes, mas que deve chegar ao mercado no próximo ano: “é um salgadinho saudável e com embalagem única e 100% biodegradável, sustentável e reciclável”, sendo a embalagem uma contribuição da expertise do pai, Alessander Comandolli. Um produto que tem embutido o trabalho e valores compartilhados em família.

Das ricas “sobras da produção” também surgiu o caldo de truta congelado como nova fonte de receita, mas assim como a renda dos salgadinhos, parte do dinheiro vai ser investido no Instituto IDC (Instituto Dorvalino Comandolli), Instituto que leva o nome do avô de Gabriel. Atualmente o IDC atende cerca de 3 mil pessoas em vulnerabilidade social por mês, com assistência social, doação de cestas básicas e cursos profissionalizantes. Um trabalho de responsabilidade social com foco especial no observatório das mulheres em Lages. Sobre isso Gabriel lembra que “Lages é um dos municípios de Santa Catarina com maior incidência de violência contra a mulher”.

Mas a inspiração do gestor da Belo Peixe não está apenas nos projetos sociais. O meio ambiente também é um grande motivador de suas ações. Gabriel anuncia a novidade: “todos os nossos produtos, a partir deste mês de setembro, sairão do frigorífico já neutralizado com o Selo “Cliente Consciente”. Os produtos estão certificados e a empresa está empenhada em neutralizar as emissões de gás carbônico.  No caso da Belo Peixe as emissões de gás carbônico foram neutralizadas pelo plantio de árvores. Com forte apego social a empresa implantou o projeto “Turma da Árvore” responsável por plantar árvores a cada vez que alguém compra produto, e a empresa ainda ajuda pessoas que vivem em vulnerabilidade social destinando 1% do valor pago pelos produtos.

A Belo Peixe, além de possuir áreas próprias de cultivo, trabalha com os produtores de truta da região e com a ACATruta (Associação dos criadores de truta), que é liderada pelo Sr. Vilson Isidoro para fortalecer a produção local. Atualmente a empresa processa 150 toneladas de truta por ano, mas em relação ao futuro Gabriel quer mais e diz que “A expectativa para o próximo ano é dobrar a produção e adicionar novos produtos.” 

A empresa vende 60% da produção diretamente aos restaurantes e tem como principais clientes a rede Mufato do Paraná e o Carrefour,  porém os produtos podem ser encontrados na rede Imperatriz, Angeloni, Big, Zaffari, entre outros. Na linha de produção está o bolinho de truta defumada, truta eviscerada, truta defumada, e truta com pele e sem pele. O produto chega aos mercados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, mas a empresa possui a certificação internacional e espera alcançar o mercado dos Estados Unidos e da Europa nos próximos anos. Aguardem, pois vem por aí a truta salmonada, que aproxima-se ainda mais do salmão, não apenas pela consistência, mas também pela cor.

Por fim, Gabriel Comandolli, o jovem empreendedor e entusiasta dos projetos que ligam empresa a cadeia produtiva e aos projetos sociais, destaca que  “A Belo Peixe é uma empresa 100% nacional preocupada em deixar um planeta melhor para os próximos que virão, além de ajudar as pessoas que vivem em vulnerabilidade social. Pois parte de seu faturamento é destinado para esses dois projetos, onde além de ajudar o meio ambiente, a Belo Peixe participa dos atendimentos por meio das ações do IDCBRASIL.com”.

Tags:
economia economiabrasileira economiacatarinese sustentabilidade investimento dinheiro politicaeconômica tecnologia empreendedorismo
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Construção em ritmo acelerado

Setembro 17, 2021
Exclusivo

Cliente ou refém?

Setembro 17, 2021
Exclusivo

Tempo de “vacas magras”

Setembro 17, 2021

Janine Alves

Janine Alves

Graduada em Economia e doutora em Gestão do Conhecimento, faz parte do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Conhecimento, Aprendizagem e Memória Organizacional (Interdisciplinary research group on knowledge, learning and organizational memory), núcleo de excelência em pesquisa científica e tecnológica, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC/UFSC). Trabalhou como: professora da UFSC e Univali, colunista de economia do Grupo RIC Record (Jornal Notícias do Dia e Ric Record TV) e analista de economia na RBS - TV/ NSC - Diário Catarinense, Consultora de Economia Internacional para a CIP Cosultores – Espanha, Diretora do Escritório do Governo da Galicia/Espanha no Brasil, Diretora de Integração Internacional e Consultora de Economia do Governo de Santa Catarina (Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Assuntos Internacionais), etc.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!