Dezembro 23, 2020

Autópsia de Diego Maradona não registra drogas ilegais nem álcool

Autópsia de Diego Maradona não registra drogas ilegais nem álcool
Reprodução

A autópsia realizada no corpo de Diego Maradona revelou que o ídolo argentino não consumiu drogas nem álcool nos dias anteriores à morte, mas indicou que ele sofria de problemas cardíacos, renais, hepáticos e pulmonares, informou a Procuradoria, nesta quarta-feira, 23, em comunicado.

A autópsia, que começou no último dia 2 de dezembro, concluiu que Maradona morreu em consequência a um "edema agudo de pulmão secundário a insuficiência cardíaca crônica exacerbada" e também descobriu uma "cardiomiopatia dilatada " em seu coração.

Gianinna Maradona, uma das filhas do astro, escreveu no Twitter que o resultado era para "todos os 'filhos da puta' esperando que a autópsia de meu pai tenha droga, maconha e álcool".

Como divulgado no início das investigações, o coração do ídolo argentino pesava 503 gramas, cerca do dobro do normal. Os resultados chamam atenção dos investigadores para uma possível negligência dos médicos que cuidavam de Maradona, segundo o GE.

"É tão importante o que apareceu com o oque não surgiu nessas análises de laboratório. À primeira vista, confirmam que davam psicofármacos para Maradona, mas nenhum medicamento para combater sua cardiopatia", declarou à agência Télam um dos responsáveis pela autópsia.

O investigador ouvido pela agência reiterou que alguns dos psicofármacos registrados no exame de Maradona produzem arritmia, o que não convém a um paciente com um problema cardíaco como a que apresentava o ex-jogador.

Tags:
Radar MakingOf
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!