11.5 C
fpolis
11.5 C
fpolis
sexta-feira, 20 maio, 2022

Charlatanismo insano

Últimas notícias
Charlatanismo insano
Crédito: Pixabay

Estudo falho. A eleição de 2018 dividiu o país e a pandemia aumentou o abismo entre os dois lados de forma insana, pois também fez crescer as notícias falsas para dar respaldo à pautas absurdas, como por exemplo a interferência político-ideológica na indicação de medicamentos. No Brasil medicamentos sem eficácia contra Covid-19 tiveram como garoto propaganda Jair Bolsonaro, Presidente do país, que apoiado por notícias falsas divulgadas pelas redes sociais fizeram muita gente acreditar em tratamento precoce e no uso dos medicamentos sem eficácia contra a doença, mas a verdade vem á tona: o trabalho na pandemia de Didier Raoult, médico francês que defendeu o uso da Cloroquina baseado num estudo científico falho, finalmente foi enquadrado oficialmente pela Câmara Disciplinar do Conselho de Medicina Francês como CHAR-LA-TA-NIS-MO. Tendo por parâmetro o que aconteceu na França e o que aconteceu por aqui, como deveria ser classificado “o trabalho” do Presidente do Brasil na pandemia indicando medicamentos sem eficácia, posicionando-se contra o uso de máscara, a ciência e a vacina, além de promover aglomerações e motociatas por todo o país?

 

Cobaias humanas. Segundo o El País, a revista científica britânica British Medical Journal (BMJ) divulgou uma nota na qual expressa suas preocupações a respeito do estudo publicado na própria com uso de dose inédita do medicamento Proxalutamida num paciente com covid-19 em Brasília. O tratamento foi conduzido pelo endocrinologista Flávio Adsuara Cadegiani, sem respaldo ético e científico necessário. O BMJ reforça as preocupações levantadas pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) a respeito do experimento liderado por Cadegiani, que teria usado 645 cobaias em três Estados brasileiros com a mesma droga. Isso pode ter levado ao óbito de 200 pessoas e estaria “entre as piores violações de ética médica do Brasil”.

Janine Alves
Graduada em Economia e doutora em Gestão do Conhecimento, faz parte do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Conhecimento, Aprendizagem e Memória Organizacional (Interdisciplinary research group on knowledge, learning and organizational memory), núcleo de excelência em pesquisa científica e tecnológica, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC/UFSC). Trabalhou como: professora da UFSC e Univali, colunista de economia do Grupo RIC Record (Jornal Notícias do Dia e Ric Record TV) e analista de economia na RBS - TV/ NSC - Diário Catarinense, Consultora de Economia Internacional para a CIP Cosultores – Espanha, Diretora do Escritório do Governo da Galicia/Espanha no Brasil, Diretora de Integração Internacional e Consultora de Economia do Governo de Santa Catarina (Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Assuntos Internacionais), etc.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Congresso ACAERT tem início neste domingo com palestra de Hamilton Mourão

O 18º Congresso Catarinense de Rádio e Televisão, que a Acaert - Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }