Fevereiro 18, 2017

Colombo evita contaminação do governo

O governador Raimundo Colombo não admitirá que disputas internas, entre aliados, perturbem seu governo. Para Colombo, o pêndulo entre a administração bem sucedida e o bom relacionamento político definirão as futuras alianças que serão costuradas para 2018. A declaração, feita nesta sexta-feira, pouco depois de receber o ministro Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), no Centro Administrativo, não chega a ser esclarecedora, mas indica que o chefe do Poder Executivo não pretende entrar no mérito de quando deve renunciar ao governo para concorrer, provavelmente, ao Senado, com a escolha evidente para as questões administrativas.

Um dia antes, na Pousada do Sesc, em Lages, onde secretários e presidentes de empresas públicas, mais seus respectivos assessores, fizeram uma avaliação da gestão pública no Estado por dois dias e projetaram prioridades, o vice-governador Eduardo Pinho Moreira puxou risos dos presentes ao dizer que, no ano que vem, esta reunião será em Criciúma, sua base eleitoral. Foi a senha para dizer que, entre janeiro e fevereiro do ano que vem, o peemedebista deverá estar definitivamente no comando do governo. O assunto é controverso entre o discurso e a prática, Colombo e Moreira parecem estar mais afinados do que nunca, o que sugere que o momento volta-se para o vetor das prioridades na gestão, não políticas.

 

Sem vetos

Com a presença de Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, que veio fazer parte do mutirão de migração de emissoras de rádio de AM para FM, ao todo 13 neste momento, Raimundo Colombo reiterou que não veta nenhum projeto ao governo do Estado nem impedirá candidaturas entre os aliados. Ele afirmou que torce para o deputado Gelson Merisio, que acompanha o trabalho dele, e para que qualquer integrante de seu partido cresça, além de defender que o tempo dirá qual o legítimo projeto de hoje estará fortalecido para 2018, e contemporiza: “Tem muita gente que diz hoje que não aceita e vai aceitar lá no final, e muitos que dizem que o caminho é este, mas no final é outro!”

 

Será que deixa?

Para muitos, um dos maiores obstáculos para que Raimundo Colombo torne-se um candidato em alguma chapa à Presidência, preferencialmente ao lado do tucano Geraldo Alckmin (PSDB), chama-se Gilberto Kassab, comandante do PSD, e que foi prefeito de São Paulo. O ministro costura inúmeros apoios em 2018 nem o PMDB está descartado em uma ampla aliança com os tucanos, mas a ciumeira e a eterna argumentação de que com um candidato de São Paulo ao Planalto o vice teria que ser do Nordeste, Colombo entra em desvantagem na pré-disputa.  

 

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

AQUELE REGISTRO

O deputado Gelson Merisio ficou pelo Centro Administrativo, nesta sexta, mesmo depois de Gilberto Kassab, que fez um bate e volta, ter seguido para o Aeroporto Hercílio Luz. Admite que não conversou muito com o líder nacional pessedista, mas tirou muitas fotos, bem à vontade, com o os deputados Silvio Dreveck, presidente da Assembleia, e Esperidião Amin, presidente estadual do PP, daquelas que os peemedebistas amam de paixão. E publicou o sinal de proximidade, que pretende levar até 2018, no seu microblog particular.

 

É caro!

O ato de assinatura do termo junto ao Ministério das Comunicações pela migração de AM para FM não é um ato definitivo para os radiodifusores. Há casos de gente que já pagou o alvará, algo que varia de R$ 50 mil a R$ 55 mil, nas rádios de cobertura não muito grande e sem grande potência, e a emissora ainda não está na frequência modulada. Mas de longe, o grande problema está em comprar os equipamentos para transmissão e o sistema irradiante, transmissores e antenas, o que significa mais uns R$ 300 mil no mínimo, embora existam linhas de crédito do BNDES para este fim.

 

Fechou

Nomeações no governo do Estado foram encerradas depois das mexidas em algumas secretarias, no Iprev e o Imetro. Para alguém entrar agora só se um dos atuais detentores pedir para sair, lema ouvido no Centro Administrativo.

 

Boas notícias

Para aumentar a participação das exportações catarinenses no Japão, o governador Raimundo Colombo e comitiva participam, a partir do dia 3 de março, de um evento no Japão, que deve durar 10 dias. A carne suína é um dos carros-chefes de produtos comprados pelos nipônicos e a ideia é aumentar a participação catarinense na carteira de compras da potência asiática e mundial. Colombo informou que o mês de janeiro foi excelente para as exportações catarinenses, além da grande visita de turistas ao Estado e a safra da estação muito boa.   

 

Aberto ao diálogo

Presidente estadual do PSB, o ex-deputado federal Paulo Bornhausen confirma que é pré-candidato ao governo e que, para tanto, tem conversado com vários presidentes de outras siglas. Antecipa que a exceção será o PT. Bornhausen conversou, na semana passada, com o deputado federal Mauro Mariani, presidente estadual do PMDB, um encontro que vinha sendo protelado desde o ano passado, quando o peemedebista o convidou para reabrir canais partidários, algo que tem relevância depois da eleição municipal, já que os pessebistas estavam alinhados com o PSD e o PP.

 

Retorno

No dia 15 de março o deputado Cesar Souza Júnior (PSD) retorna à Câmara, em Brasília, para cumprir o mandato até o fim, depois que recebeu solicitações do partido, principalmente de Gilberto Kassab para fortalecer a base de apoio a Michel Temer. O pai Cesar acredita que seria natural que o filho, o ex-prefeito da Capital Cesar Souza Júnior, assumisse a Secretaria Estadual de Assuntos Estratégicos, mas há flagrantes divergências sobre o assunto dentro do Centro Administrativo e até no PSD.

 

Novos desembargadores

O governador seguiu a tradição dos que receberam mais votos na lista tríplice do pleno do Tribunal de Justiça e escolheu o advogado André Luiz Dacol, pelo quinto da OAB, e André de Carvalho, pelo quinto do Ministério Público, para o cargo de desembargador. Já os magistrados Janice Ubialli, Claudia Lambert de Faria, Rubens Schulz, Francisco Oliveira Neto, Cinthia Beatriz Schaefer, Jorge Beber, Guilherme Born, Luiz Zanelato e Jaime Machado Júnior foram promovidos pelo TJ ao maior posto no Judiciário estadual.

 

RÁPIDAS

 

* Por consenso, o prefeito Juliano Duarte Campos (PSD), de Governador Celso Ramos, foi eleito presidente da Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis, que já tem a prefeita de São José Adeliana Dal Pont (PSD) no comando da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam).

 

* Em visita à Fiesc, onde participou da reunião da diretoria da entidade, o presidente da Assembleia Silvio Dreveck (PP) tocou em um tema que atrai o empresariado, a parceria público-privada.

 

* Dreveck quer conversar com o governo para saber se mantém a fórmula que está tramitando na casa ou passa para o modelo que ele e o empresariado  defendem, a concessão.

 

* Enquanto o promotor de Justiça Daiel Paladino já sugere que a prefeitura de Florianópolis contrate professores em caráter temporário para dar início às aulas na rede municipal, o pessoal da esquerda escancarou nas redes sociais um dos outros motivos da greve: o que ocorre na Capital catarinense seria, na visão deles, um aperitivo do que ocorrerá no Brasil com a aprovação das reformas da Previdência e Trabalhista no Congresso.

 

* Ou seja: a paralisação em Florianópolis é vista, como a coluna já apontou, como um confronto tático entre as oposições e o peemedebista Gean Loureiro, do mesmo partido do presidente Michel Temer, o que faz, portanto, que os motivos da greve não estejam centrados nas medidas aprovadas pela Câmara. O palanque para a oposição é outro.   

 

* Governador Raimundo Colombo fará a convocação de excedentes do concurso da Polícia Militar para se juntarem aos 5,1 mil já chamados , desde 2011. A população agradece pelo acréscimo no efetivo.    

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 36 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis) e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, faz comentários na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!