Julho 30, 2019

Delegada alega 'ausência de elementos' após não indiciar Neymar

Delegada alega 'ausência de elementos' após não indiciar Neymar
Reprodução

A delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, de Santo Amaro, afirmou não ter encontrado elementos para indiciar Neymar na investigação de estupro envolvendo a modelo Najila Trindade. As investigações foram encerradas ontem, 29, e enviadas para o Ministério Público.

"Foram juntados aos atos os laudos, a ficha do atendimento médico do hospital, a ficha do atendimento do ginecologista particular, além do laudo do celular que a vítima entregou. Concluí ontem e decidi não indiciar por entender a ausência de elementos para tanto", afirmou a delegada em entrevista coletiva na manhã de hoje, 30, em São Paulo.

A delegada informou que não poderia oferecer detalhes da decisão, pois o inquérito corre sob segredo de justiça. As razões que levaram ao não indiciamento do atacante do Paris Saint-Germain, por exemplo, não foram reveladas pelos investigadores. A delegada também não informou as provas que seriam suficientes para um eventual indiciamento.

O Ministério Público terá 15 dias para avaliar o inquérito. As promotoras do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid) podem oferecer denúncia (acusação formal à Justiça), pedir o arquivamento do inquérito ou novas diligências. Isso significa que o órgão pode pedir indiciamento mesmo que a polícia não o tenha feito.

Cabe lembrar que as investigações começaram em 31 de maio. Najila relata que o atacante estava alterado, fez sexo contra a vontade dela, sem usar camisinha, em um encontro entre os dois em um hotel de Paris. O atacante nega o estupro. As informações são do Estadão.

Tags:
Radar MakingOf
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!