Janeiro 01, 2021

Especial de Ano Novo: (Im)previsões para 2021

Especial de Ano Novo: (Im)previsões para 2021

O Making Of pediu para os colunistas escreverem o que vem por aí em nossas respectivas áreas. Quisera eu ter uma bola do melhor cristal da Bohemia para antever o que nos espera em 2021, pois o prognóstico nunca foi tão difícil. Como o Posto Ipiranga faliu, não dá para perguntar lá também!  Desculpem o mau-humor na primeira coluna do ano. Vou ali tomar um copo d`água com açúcar e já volto para falarmos sobre o futuro do cinema e seus derivantes, mesmo que minha bolinha seja do tamanho desta da foto que abre a coluna!

Com a chegada da vacina (amém !) haverá a reabertura das salas de cinema. Após a limpeza do mofo nas poltronas, precisaremos limpar a mente da preocupação de estar em locais públicos. Depois é só escolher um bom filme. Imagino a emoção da primeira sessão pós-pandemia!

Mesmo com a volta do cinema presencial, nada será como antes. A quarentena ampliou o sistema de streaming, as telas de TV continuam aumentando e o hábito de ver filme em casa se tornou ainda mais a preferência do público. A estocada final nos exibidores tradicionais pode vir da Warner, uma das maiores produtoras do mundo, que decidiu lançar seus filmes simultaneamente nas salas de exibição e no streaming em 2021. Mas, pelo amor da deusa Atena, não estou decretando a morte dos cinemas! Eles não vão desaparecer como aconteceu com as videolocadoras, apenas mudarão um pouco a forma de atuação.

Do cinema brasileiro, tão vilipendiado nos dois últimos anos, pode vir uma grande notícia em 2021. Bacurau, o filme de Kleber Mendonça e Juliano Dornelles, preterido pelo Brasil como candidato ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira no ano passado, deve ser incluído na lista dos concorrentes agora. Bacurau  passou 2020 ganhando prêmios importantes, como o de melhor filme estrangeiro no New York Film Critics Awards e está indicado ao Gotham Awards, considerado um dos termômetros do Oscar. Cruzemos os dedos!

O que se tem certeza que chegará em 2021 são as produções da poderosa Disney, como Cruela e Avatar2. E claro muitas continuações de vários estúdios, como Indiana Jones 5, Jurassic Park 3, Matrix 4 e Missão Impossível 7. Os fãs de James Bond ganharão 007-Sem tempo para morrer, ainda com Daniel Craig que deve se despedir do personagem e Steven Spielberg assina um remake de Amor, Sublime Amor. 

Para mim, a melhor notícia é que e o meu diretor vivo favorito, Pedro Almodóvar, rodará Madres Paralelas em sua terra natal, Castilla-La Mancha. Ele vai contar a história de duas mulheres que ganham bebê no mesmo dia, mesma hora e mesmo hospital, ambas mães abnegadas e com trajetórias semelhantes. O drama com Penélope Cruz  terá pitadas de humor, o que é uma das marcas do diretor espanhol.

Bem, pelo tamanho da minha “bolinha de cristal” até que deu pra fazer algumas previsões ! O resto são meus desejos : que o cinema sobreviva e que a gente sobreviva para ir ao cinema !

Um feliz e imunizado 2021 para todos! Nos vemos por aqui.

(Brígida De Poli)

_________________________________________________________________________

 

COISAS DE ALMODÓVAR

Já que falei nele, uma curiosidade: no filme “Los Abrazos Rotos” (2009), dirigido por Pedro Almodóvar, aparece na parede do escritório do personagem Mateo Blanco – que é um cineasta - um cartaz com o título “Madres Paralelas”, como sendo o próximo filme do próprio Almodóvar.

_________________________________________________________________________

 

Para começar o ano com um filmaço, uma dica do escritor, tradutor e dramaturgo, Robertson Frizero!

A voz suprema do blues (Ma raynes black bottom) – direção: George C.Wolfe- 2020 - Netflix

“Adaptação de uma peça teatral de 1982. A personagem título- realmente existiu; o dramaturgo criou uma tarde fictícia na vida da personagem real para escrever um texto de grande precisão e uma segunda história muito forte. O filme tem as limitações de espaço e tempo típicas do teatro – e é fácil imaginar como deve ser a peça no palco. Mas isso não tira a relevância do filme. Viola Davis, no papel da cantora Ma Rainey e Chadwick Boseman, interpretando um músico e compositor, estão impecáveis no filme.”

Obs. da coluna: vem Oscar por aí, inclusive póstumo ...

_________________________________________________________________________

 

RENOVAÇÃO

O imprescindível Mário Quintana passou por aqui no Natal e volta agora para deixar um recado de Ano Novo...

“O bom das segundas-feiras, do primeiro de cada mês e do Primeiro do Ano é que nos dão a ilusão de que a vida se renova… Que seria de nós se a folhinha estivesse marcando hoje o dia 713.789 da Era Cristã?”

_________________________________________________________________________

 

Hasta la vista, babies!

(*) Fotos reprodução/divulgação

Tags:
cinema séries beijos de cinema arte cultura séries de TV netflix
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

O horror, o horror

Janeiro 22, 2021
Exclusivo

A lua na sétima casa

Janeiro 15, 2021
Exclusivo

EU PROMETO

Janeiro 08, 2021

Brígida Poli

Brígida Poli

Jornalista, cinéfila desde criancinha e maníaca por séries de TV desde "Os Sopranos". Não se considera crítica de cinema, pois não consegue deixar o coração de lado na hora de avaliar um filme. Adora falar e escrever sobre o assunto e tenta chamar a atenção para as grandes obras cinematográficas que as novas gerações desconhecem. Concorda com o mestre Federico Fellini quando ele disse que "o cinema é um modo divino de contar a vida".

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!