Abril 19, 2021

Festas espalham ignorância e vírus

Festas espalham ignorância e vírus
Reprodução

As redes sociais, tão criticadas por serem agentes de fake News, têm tido um papel relevante nos últimos dias em escancarar à sociedade aqueles que burlam as medidas restritivas. Dois episódios são típicos desse momento mau caráter que estamos vivendo: o do bar Lontra, no centro de Floripa, quando o integrante do show, lotado de jovens adultos que dançavam sem máscara, avisou ao microfone para que todos sentassem e colocassem o acessório porque a fiscalização estava chegando (veja aqui).

O outro flagrante foi em Governador Celso Ramos, onde barcos lotados de festeiros foram amarrados uns aos outros, criando um ambiente de aglomeração (aqui). Supõe-se que os proprietários desses barcos devam ter pelo menos nível cultural médio, a ponto de entenderam que o maior interessado naquela festa era o próprio vírus. Burlar as regras é mais do que ato de rebeldia, é ignorância.

 

Proibido proibir

Na época da ditadura, Caetano Veloso compôs “É proibido proibir”, um libelo contra as medidas de repressão. Felizmente estamos longe disso, o que as autoridades orientam hoje é para o bem de todos. Naquela época era o cerceamento das liberdades, levando o baiano a cantar: “E eu digo não, E eu digo não ao ‘não’, Eu digo é proibido proibir”. 

 

Upiara

Depois de deixar o grupo NSC, o comentarista político Upiara Boschi acertou com a rádio Som Maior, do Sul do Estado, para uma participação diária, às 18 horas.

 

Online

As matérias da Making Of colocaram um ponto final nas tentativas de inflar os dados com enxertos de conteúdo na caça de cliques (ver aqui). Ficou claro que o SCC10 está bem longe de ser um player importante. As forças que lutam pela liderança são NSC Total e ND+.

Em usuários únicos, lidera a NSC; em páginas visitadas, o ND+.

 

Impresso

O Jornal impresso da ND fez uma promoção neste fim-de-semana distribuindo gratuitamente exemplares para quem estava aguardando a vacinação. O ND busca ampliar sua tiragem: no IVC de fevereiro estava anotada uma tiragem média de 7.380 exemplares por dia.  

 

Caso Henry

Roberto Cabrini continua sendo o melhor entrevistador em casos complicados, como o do menino Henry, que comove o Brasil. Ontem, 18, na Record, ele lançou mais um pouco de luz sobre a personalidade do Dr. Jairinho, entrevistando a ex-namorada Débora Saraiva, a quem ele agredia e ao filho dela.

Perguntas bem colocadas, respeito a entrevistada e silêncio na hora adequada são os trunfos do repórter. Tudo indica até agora que o médico é o monstro.

 

Álbum

Textos e fotos com histórias de Jornalismo

Parte da equipe da RBS na Copa da Itália, em 1990. Acima, da esquerda para a direita, Ruy Carlos Ostermann, Armindo Antonio Ranzolin, Lasier Martins, Paulo Santana e Rossela, mulher de Zé Galia; abaixado na direita, cantor e ajudante na produção de programas direto da Itália. Ao lado dele, eu e à esquerda, Lauro Quadros. Comentaristas, narradores e cronistas da melhor qualidade.

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!