Setembro 27, 2021

Globo não vai a estádio e compromete credibilidade

Globo não vai a estádio e compromete credibilidade
Reprodução/ge

Já virou surreal a ausência nos estádios das equipes esportivas da Globo, TV aberta e fechada. Há poucos dias, a emissora teve que pedir desculpas públicas (aqui) porque a equipe, comandada pelo excelente narrador Luis Roberto, errou o placar do jogo entre Vasco e Cruzeiro. O resultado foi 1 a 1, mas até o final sustentou que tinha sido 2 a 0 para o Vasco.

Sábado que passou, outro engano: a equipe da emissora na partida entre São Paulo e Atlético Mineiro identificava a cerimônia em campo como homenagem às vítimas da Covid, colocando inclusive gerador de caracteres com o número de mortos, quando os jogadores estavam perfilados olhando para o telão e cantando o hino nacional.  

A explicação para a sucessão de erros é simples: como narrador e comentarista estão no estúdio eles só podem falar sobre o que veem na tela. Se o câmera não mostrar, o narrador não vê, a informação é zero.

Em um momento em que o pessoal do futebol está vacinado, há baixíssima contaminação entre jogadores e a torcida já voltou ao estádio, não se justifica a chamada narração off tube (pela TV). É uma economia de passagens e hotel que compromete a credibilidade. A menos que isso não seja tão importante para o comitê gestor da Globo em sua cruzada pelo corte de custos.     

 

Catarinense

Era fake a “informação” de que o Grupo ND estava interessado em transmitir o Campeonato Catarinense de 2022 e inclusive com o contrato pronto para ser assinado. Consultado por Making Of, o diretor Roberto Bertolin diz que futebol não faz parte da estratégia da empresa do ND. Parece óbvio que o pessoal dos bastidores estava criando um fato para provocar a NSC, única que tem se interessado pelo campeonato regional, apesar das datas restritivas da rede.

 

Paulista

Já em São Paulo, a Record – cabeça de rede da ND – pensou diferente e fechou exclusividade para TV aberta do Paulistão do ano que vem (aqui). A Globo participou da concorrência, junto com o SBT, mas foi vencida. A contenção de custos continua levando a perder sucessivos eventos que eram sua exclusividade, entre eles Fórmula 1, o Campeonato Carioca e agora o Paulista.

 

Faustão e Tiago

Corte de gastos está também na raiz dos encerramentos de contratos com artistas que têm ocorrido semanalmente. E também a passagem do regime de pessoa jurídica e física para evitar problemas legais, não tem sido bem recebida em muitos casos. As saídas dos apresentadores Fausto Silva e Taigo Leifert, por mais que este apresente uma versão diferente, tem a ver com essa troca de regime e a diminuição de ganhos. 

 

Bolsonaristas


Reprodução/TV Cultura

Pautas bolsonaristas andam causando estragos na mídia. Na sexta, 17, Alexandre Garcia foi demitido da CNN, ao insistir na defesa do tratamento precoce contra covid, entre outros radicalismos. Ontem, 26, foi a última edição do Manhattan Connection, na TV Cultura, depois de apenas 9 meses. Motivo oficial: falta de suporte financeiro. Motivo secundário: a repercussão negativa da entrevista com a deputada Janaína Pascoal, que disparou contra o governador João Dória e a imprensa.       

 

Álbum 

Textos e fotos com histórias de Jornalismo.

 
Arquivo pessoal

Junho de 2002, hotel Princess, Yokohama, véspera de Brasil pentacampeão do mundo. Ruy Carlos Ostermann preparava sua coluna para o jornal Zero Hora, quando o pessoal da equipe resolveu tirar essa foto. Ontem, domingo, Ruy completou 87 anos de idade. Saúde, professor.

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Publisher, colunista e owner do Portal Making Of, é jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário, além de coordenador do comitê editorial da RBS em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há sete anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!