Portal Making Of

iFood se pronuncia sobre invasão ao app com mudança de nomes de restaurantes

iFood se pronuncia sobre invasão ao app com mudança de nomes de restaurantes

 

Usuários do iFood foram surpreendidos na noite de ontem, 2, com a mudança nos nomes dos restaurantes na plataforma de delivery. Capturas de telas do app, divulgadas nas redes sociais, mostravam nomes de restaurantes e estabelecimentos comerciais alterados com ofensas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além de falas negacionistas contra as vacinas e de apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

“Lula Ladrão”, “Vacina Mata” ou “Bolsonaro 2022” foram algumas das mensagens que apareceram aos usuários. 

Em nota divulgada nas redes sociais, na noite de ontem, a empresa explica que 6% dos estabelecimentos cadastrados sofreram a alteração, mas a rede não especifica a origem do problema. Diz apenas que “o incidente foi causado por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviço de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma”. O iFood ressalta ainda que tomou “medidas imediatas para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores”.

Em resposta ao aplicativo de delivery, os internautas pediram cupom de desconto. “Era só um CUPOM DE 20,30$ PRA SE DESCULPAR!!!!”, disse um. “ok, lança o cupom de desculpas!”, comentou outro. “Lança um cupom DESCULPAS50”, declarou uma.

Confira nota na íntegra:

Na noite de hoje, 2 de novembro, identificamos que alguns estabelecimentos cadastrados na plataforma tiveram seus nomes alterados. Essa situação ocorreu com aproximadamente 6% dos estabelecimentos na plataforma.Tomamos as medidas imediatas e necessárias para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores.

Não encontramos qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais cadastrados na plataforma, tampouco de dados de cartão de crédito. O incidente foi causado por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviço de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida.

O acesso da prestadora de serviço foi imediatamente interrompido, e os nomes dos restaurantes já estão sendo restabelecidos. É importante destacar que os meios de pagamento dos clientes estão seguros. Os dados de meios de pagamento não são armazenados nos bancos de dados do iFood, ficando gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários, não tendo havido comprometimento de dados de cartões de crédito. Também não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais de clientes ou entregadores cadastrados na plataforma.

 

Os colunistas são responsáveis por seu conteúdo e o texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal Making of.

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Um narrador competente, por favor

O campeonato brasileiro de futebol vai chegando ao fim com muitos mais acertos do que erros, comprovando que a fórmula de pontos corridos pode ser

A profissão mais perigosa do mundo

Protegido com colete a prova de balas e capacete, o repórter Nic Robertson, da CNN, terminava a visita ao interior do hospital Al-Shifa, em Gaza,

A magia do natal já chegou

Não é só pela decoração de Natal, que os shoppings já têm 45 dias antes de 25 de dezembro, nem pelas notícias vindas da América

Protesto beatlemaníaco

Talvez fosse o caso de enviar uma correspondência para o palácio de Buckingham, direto ao rei Charles, ou talvez mais fácil para Downing Street 10,

Notícias que não alegram

A gente quer ser otimista, mas há muitas conspirações contra. Se ligar no noticiário da TV, então, fica muito complicado. Surge a cobertura da guerra

O jornalista e o sorvete

É uma situação inusitada, que causa repercussão negativa na rede social: por que um jornalista em ascensão profissional elogia uma “sorveteria que reabre de cara

Horror ao vivo

Se ainda precisasse de uma justificativa para acompanharmos os canais internacionais de notícias teríamos várias nesse momento. A guerra Israel/Hamas está sendo mostrada ao vivo

Eliana chama patrocinadores

Já se viu de tudo em relação a patrocinadores, pois afinal são eles que garantem a existência de conteúdos. Mas acabamos de descobrir que existe

Caça aos cliques

Os portais de internet, dos pequenos aos grandes, se dedicam a técnicas para sensibilizar a busca no Google e impactar as métricas de audiência. São

TV Gaúcha x TV Guaíba

Antônio Britto, jornalista, ex-governador e ex-ministro da previdência, colega dos primeiros anos de profissão, lembrou em recente vídeo sua contratação pela TV Gaúcha em 1978.

Globo erra na escala de narradora

A web pode ser cruel para quem desempenha atividade pública e está exposto a avaliações nem sempre procedentes. Foi o que aconteceu com a narradora

O rádio vive

A coluna, sempre que possível, gosta de acompanhar a audiência de rádio. Embora não sejam dados superlativos como entre os portais de internet, revelam a

Ídolos de barro

Difícil ter ídolos hoje em dia. Na música a safra é terrível. Com raras exceções, as letras são pobres, óbvias, cantoras se destacam pelas roupas

Uma opinião isenta, por favor

Está cada vez mais difícil encontrar uma opinião isenta sobre fatos do nosso dia a dia. Nunca se sabe se opinião que lemos ou escutamos

Vacilos em áudio e vídeo

Eliane Cantanhêde tem 71 anos e uma longa carreira nos principais jornais brasileiros, entre eles o Estadão, para quem escreve atualmente. Também participa todas as

O legado Bonner

William Bonner se despediu de Porto Alegre, ontem, depois de dez dias apresentando o Jornal Nacional ao vivo da redação da RBS TV. Foi uma