20.8 C
fpolis
21 C
fpolis
quinta-feira, 26 maio, 2022

Jorginho não vê crise com Kennedy

Últimas notícias

Para o senador Jorginho Mello, o deputado Kennedy Nunes, presidente estadual do PTB, tem partido e legitimidade para ser pré-candidato ao Senado e prossegue como apoiador do projeto do PL ao governo do Estado.

Jorginho minimizou as reclamações do deputado Jessé Lopes, na foto com Kennedy, de que a indicação do ex-secretário nacional da Pesca e Aquicultura Jorge Seifi Júnior ao Senado pelo PL prejudica um acordo já alinhavado com o colega de plenário, bolsonarista com extensa folha de apoio à causa conservadora catarinense.

O senador, que preside o PL, e anunciou Seifi, em Brasília, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, padrinho da indicação do ex-assessor, afirma que Kennedy sabe que não está sendo excluído e que a conversa com o parlamentar estadual tem sido de convergência.

De fato, Seifi e Kennedy devem dividir os votos dos eleitores do presidente no Estado, hoje com larga vantagem para o deputado estadual, que não poupa críticas aos ministros do Supremo.

Vale lembrar que Jessé namorou com o PTB antes de se decidir pela filiação ao PL e seguir o presidente Jair Bolsonaro.

 

Conversas múltiplas

Na lista de conversas de Jorginho Mello para estruturar sua pré-candidatura estão PP, MDB, PSDB, PSD, Cidadania, além de contatos com o deputado Julio Garcia e os ex-prefeitos Antídio Lunelli e Gean Loureiro.

Exceção são os partidos de esquerda.

O pré-candidato do PL projeta para junho a situação mais próxima da definição de alianças, a pouco menos das convenções partidárias, o que significa não ter, no momento, a necessidade de pressa para as costuras definitivas.

 

Nominatas

Jorginho acredita ter montado as melhores nominatas a deputado estadual e federal diante do novo ambiente sem coligação na proporcional.

E confessa que até sobraram grandes quadros e tempo para construir o Patriota em Santa Catarina.

 

De volta

O PSOL anunciou que o ex-deputado Amauri Soares irá concorrer à Assembleia este ano.

Eleito pelo PDT, no primeiro mandato, em 2006, o Sargento da reserva remunerada da Polícia Militar ainda cumpriu um segundo período no parlamento, de 2011 a 2014, antes de concorrer ao Senado no pleito de 2014, já pelo PSOL.

Roberto Azevedo
Roberto Azevedo tem 37 anos de profissão. Estudou jornalismo na UFSC, de Florianópolis, e direito na FURB, de Blumenau. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, chefe de Redação, editor-chefe, gerente e diretor de Jornalismo, na RBS TV de Blumenau e Florianópolis, na TV Record de Florianópolis, na Rede TV Sul! e na TVBV (Barriga Verde, BAND); comentarista na RIC TV Record e na Record News, e colunista no Diário Catarinense (onde também foi editor de Política) e no Notícias do Dia, tendo blogs nas versões digitais das edições. Atuou nas rádios União de Blumenau e União FM de Florianópolis, e na Rádio Record da Capital catarinense. Além de ter uma coluna no Portal Making Of, desde setembro de 2016, faz comentários sobre política e economia na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e na TVBV (BAND), de Florianópolis.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Protocolado o pedido de reunião extraordinária da executiva do MDB

Pouco antes das 15h, desta quinta (26), chegou à executiva do MDB, na sede do Diretório Estadual, em Florianópolis,...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }