Janeiro 19, 2021

MDB define futuro no governo Moisés

MDB define futuro no governo Moisés
SOLON SOARES/AGÊNCIA AL

Depois da reunião da bancada na noite anterior, o MDB estadual prega unidade entre seus deputados na visita que Luiz Fernando Vampiro e Romildo Titon farão ao governador Carlos Moisés ainda na manhã desta terça (19), na prática o embarque na administração estadual.

Os dois parlamentares pretendem ouvir de Moisés sobre o que o governador espera da sigla e o caminho que está aberto ao partido: a pasta da Educação, o Instituto do Meio Ambiente (IMA) e a Defesa Civil.

Os encontros da bancada tornaram-se mais frequentes nos últimos meses, justamente para evitar rachaduras e desconfortos, daí o deputado Vampiro ter declarado na semana passada que nada estava definido sobre a ida dele para a Educação, principalmente porque não havia sido finalizado o pacote governista entre os nove deputados.

Será muito difícil que o martelo não seja batido e que o maior partido do Estado, com a maior bancada, não venha a ocupar espeço significativo no governo Moisés, principalmente depois que PP e PSD o fizeram.

 

Articulação

Moisés precisa de votos para formalizar uma base de apoio na Assembleia, algo que foi protelado desde o primeiro ano do governo.

Os emedebistas junto com boa parte das bancadas do PSD e do PP, ambas com rupturas diante da entrada na administração estadual, garantem um bom cobertor, mas os pés ainda estariam de fora, o que exigirá mais ações em outras legendas, trabalho de Eron Giordani, chefe da Casa Civil.

 

Bomba!

Nova fase da Operação Alcatraz, apelidada de Hemorragia, pegou em cheio o presidente da Assembleia Julio Garcia, que teve prisão decretada pela 1ª Vara da Justiça Federal, a pedido do Ministério Público Federal.

Julio depõe na Polícia Federal, mas o golpe é muito mais duro, já que são 11 mandados de prisão preventiva, nove de prisão temporária e 34 mandados de busca e apreensão em Florianópolis, Joinville, Biguaçu e Xanxerê, além de novo bloqueio de valores e a indisponibilidade de bens imóveis de 17 pessoas investigadas e 14 empresas supostamente envolvidas nas fraudes e desvios, mais o sequestro sete imóveis (apartamentos, terrenos, casa e vagas de garagem) em nome de familiares ou empresas relacionadas ao presidente da Assembleia e o sequestro, apreensão e restrição de circulação de 14 veículos de investigados e empresas envolvidas.

 

Imprevisível

A rota das investigações da PF e do MPF, iniciadas em 2018, passa perto de muita gente que fez e aconteceu nos últimos anos no governo do Estado, casos de corrupção com desvio de dinheiro público e uso de funções para beneficiar empresas e pessoas ligadas ao atual presidente da Assembleia, Julio Garcia (PSD), e não deve poupar ninguém, próximos e nem tanto.

Tudo começou a partir de representação da Receita Federal, que noticiava, além da sonegação de tributos federais, indícios de elevado desvio de recursos públicos em contratos do governo estadual, envolvendo a empresa responsável pela gestão do plano de saúde dos servidores estaduais (SC Saúde) e empresas da área de tecnologia da informação (TI), e depois se alastrou Casan, Epagri, Celesc e Assembleia.

 

Tornozeleira

O advogado César Abreu, que atua na defesa de Julio Garcia, vê exagero na medida tomada pela Justiça Federal.

Abreu informou que Julio deverá ser liberado para a prisão domicliar e passará a usar tornozeleira eletrônica. O maior problema é que a situação de Julio afeta a imagem do Poder Legislativo.

 

“O QUE É ISSO?”

Na foto o período antes do início da vacinação simbólica dos três primeiros catarinenses, no auditório do Instituto de Cardiologia do Hospital Regional de São José, já mostrava que o pessoal da saúde e da imprensa estava apertado e sem respeitar o distanciamento na pandemia. E olha que o governo teve o cuidado de credenciar as equipes para evitar aglomerações. Depois, quando as autoridades chegaram ficou pior. Quem estava presente garante ter visto a reação negativa ao quadro feita pelo secretário André Mota Ribeiro (Saúde), que chegou a soltar um “o que é isso?”.

 

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 36 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis) e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, faz comentários na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!