10.3 C
fpolis
10 C
fpolis
sábado, 21 maio, 2022

Mesmo com baixarias e ameaças a verdade deve ser o foco

Últimas notícias
Mesmo com baixarias e ameaças a verdade deve ser o foco
Agência Senado

É de longe a situação mais embaraçosa da república brasileira a que temos presenciado diante de nossos olhos em rede de TV, em notas redigidas na calada dos escritórios, nos debates da CPI. Não há como fugir dos impactos que recebemos a todo instante, como dardos que se lançam uns contra os outros com o objetivo de ferir a honra das pessoas.

A guerra de versões e de denúncias em grande parte poluem o ambiente de modo que dificulta o entendimento de qual é a verdade. Há dossiês para a Espanha pelo Roberto Dias, o servidor que teria pedido uma propina de 1 dólar por vacina comprada pelo governo. Há a reunião da família Miranda com Bolsonaro de que se suspeita que tenha sido gravada.

A CPI cumpre um papel relevante em tentar montar o quebra cabeça da corrupção na compra de vacinas, mas de vez em quando se perde em divagações e roteiros fora do foco. É preciso ir direto aos pontos chaves sem medo.

Se observa, por outo lado, intensas manobras para desmoralizar a CPI, com críticas feitas pelo governo de baixo calão – o que por si revela que a batata está quente. Não adianta agredir senadores, e outros poderes, com ofensas a membros do STF.

 

Democracia

Apesar das posições trogloditas, da idade da pedra, do stress que a situação nos passa, essa parte da verdade não será realizada sem dor. Alguém vai sair machucado no processo, pois diante das informações levantadas até agora a teia de corrupção no Ministério da Saúde é enorme. Precisa ser identificada claramente e implodida. E os responsáveis punidos – talvez a parte mais difícil no Brasil de tantas falcatruas.

 

Calma Prisco

O comentarista do SBT local, Claudio Prisco, tantas vezes elogiado aqui por posições fortes e coerente nos impeachments de Moisés, virou o fio. Assumiu o lado da agressão verbal aos ministros do STF, aos membros da CPI – chama Renan de Canalheiros – e adotou o discurso de que a mídia – sugerindo a Globo – quer tirar Bolsonaro do poder.

Já sabemos que esse discurso tem uma mesma procedência e se ele vem fazendo é porque está agradando alguém ou alguns. Normalmente essas atitudes comprometem a história e se continuar radical pode transformá-lo em mais um Alexandre Garcia local. 

Claiton Selistre
Publisher, colunista e owner do Portal Making Of, é jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário, além de coordenador do comitê editorial da RBS em Santa Catarina. Antes atuou na Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há sete anos.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Os “semideuses” da era digital e a guerra pelo poder

Os “semideuses” da era digital e a guerra pelo poder “Nossos ídolos ainda são os mesmos...”, escreveu Belchior na linda...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }