Junho 15, 2021

Moisés quer salário de professor em R$ 5 mil

Moisés quer salário de professor em R$ 5 mil
DIVULGAÇÃO

“O martelo já foi batido, foi determinado pelo governador Moisés, precisamos definir apenas os ajustes legais para viabilizar, ainda este ano a medida”, afirmou o secretário estadual de Administração, Jorge Eduardo Tasca, após o governador Carlos Moisés divulgar nas redes sociais que professor da rede estadual de ensino que tenha curso superior e carga de 40 horas/semanais terá remuneração em R$ 5 mil por mês.

Os estudos já estão adiantados e a proposta do governo do Estado, confirma Tasca, têm a amplitude da medida para todos os servidores do magistério, ativos e inativos, não só professores, os que não somam este valor em suas remunerações, um benefício a 67% do quadro, cerca de 50 mil pessoas, conforme o acertado entre Moisés e o secretário Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro (Educação), com direito a teaser nas redes sociais nesta segunda (14).

Os 25 mil servidores restantes terão avaliada a situação salarial mais tarde e Tasca faz questão de afirmar que o valor de R$ 5 mil não se refere ao salário-base da categoria, mas ao conjunto de benefícios que são pagos atualmente, tais como a regência de classe, para citar um exemplo.

A medida terá impacto no maior contingente do funcionalismo, em meio à análise do Estado sobre a remuneração dos policiais civis e militares, bombeiro militar e peritos do IGP, na área de segurança pública.

 

DOIA CERCAL/SECOM

REPERCUSSÃO NO MP

No mesmo dia em que confirmou a escolha do ex-procurador-geral de Justiça Sandro José Neis para a vaga de desembargador pelo quinto constitucional destinado ao Ministério Público pela exoneração do desembargador Ronei Danielle, o governador Carlos Moisés da Silva anunciou o procurador de Justiça aposentado José Galvani Alberton para a presidência da SCPar. O gesto tem repercussão dentro do MP, pois privilegia o corpo técnico da instituição. Na foto, Moisés recebe em seu gabinete, na Casa d’Agronômica, Neis, o mais votado no Tribunal de Justiça para a formação da lista tríplice, e o atual procurador-geral de Justiça, Fernando da Silva Comin. Sinal duplo de prestígio à indicação.

 

Dois recados claros

Eleitores de Petrolândia, no Alto Vale do Itajaí, deixaram claro a preferência pelo mesmo grupo político, liderado por Rogério Domingos (PP), também aliado ao PSD, que venceu as eleições em 2020 e teve o registro da candidatura impugnado, mesmo que com apenas 16 votos tenha dado a vitória a Irone Duarte (PP), na eleição suplementar do último domingo.

A prefeita em exercício, a vereadora Angela Adriana Krindges da Mota (MDB), fez bom papel mas amargou uma derrota em uma região onde a sigla é forte, mas o que chamou muito a atenção foi abstenção de mais de 10% dos eleitores, sinal de que a demora em resolver os problemas da chapa impugnada não angariou simpatizantes.

 

Eufóricos

Integrantes da Missão das Organizações Não Governamentais Transparencia Electoral e Conferencia Americana de Organismos Electorales, que acompanharam o pleito suplementar em Petrolândia, saíram maravilhados com o voto eletrônico no Brasil e a facilidade com que podem ser auditados.

O advogado Marcelo Peregrino, ex-juiz eleitoral do TRE catarinense, que trabalhou pela vinda do grupo e atuou em missões idênticas em outros países, acredita que, além de valorizar o processo em si, os observadores internacionais respaldam a existência de Justiça Especial para cuidar da escolha de vereadores a presidente da República.

Nenhum dos observadores sentiu falta de um pedaço de papel para confirmar o voto nem ao menos a representante dos Estados Unidos no grupo.

 

A “Pepa” saiu do grupo

A deputada federal Joice Hasselmann, eleita por São Paulo, na maior votação dada a uma parlamentar na história, anunciou a saída do PSL, depois de muita rusga com o clã Bolsonaro e disse que a legenda se “prostituiu” para o Palácio do Planalto e para que o presidente, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE), ganhasse um cargo na mesa diretora da Câmara.

Chamada de “Pepa Pig” por Eduardo Bolsonaro, no ápice da crise entre ambos, quando ela deixou a liderança do governo no Congresso, Joice perdeu peso e musculatura política, o que não afetou a língua ferina que a levou a Brasília, toda vez que acusava o PT e seus integrantes em um canal do Youtube e nas redes sociais.  

 

ARQUIVO PESSOAL

ESTA FOTO DEU O QUE FALAR

De braço dado com Jair Bolsonaro, a advogada e jornalista Julia Zanatta não fez só mais um gesto que mostra a proximidade com a família do presidente, durante um encontro, em Brasília, como provocou repercussão dentro do PL, de Jorginho Mello. Filiada à sigla, ela quer uma definição sobre para quem irá o apoio do senador, que já flertou com Ricardo Guidi (PSD), primo da advogada, e com Daniel Freitas, os dois com mandato e com base em Criciúma, onde Julia pôs a cabeça para fora para ganhar visibilidade e concorreu à prefeitura, em 2022. Na festa na Capital Federal, que tinha uns 30 participantes, Julia sentou-se ao lado do presidente, que sugeriu a ela que vá para o Patriota e concorra à Câmara, número de deputados e senadores é o que interessa a chefe do Executivo, que concorrerá à reeleição. Atual coordenadora Sul da Embratur, agência que só gera notícia boa, Julia relatou a situação a Jorginho, que vive no pêndulo para agradar os bolsonaristas aqui e acolá, e terá que se decidir rápido, até porque ele é um dos responsáveis pela antecipação do palanque para 2022.

 

Movimento

Não à toa, Daniel Freitas tem feito aproximações cada vez maiores junto a Jair Bolsonaro, algumas duvidosas como seguir uma agenda presidencial no Estado de Goiás, semana passada, onde não angaria um voto sequer.

Nos salões do Planalto e do Alvorada, o presidente tem uma lista de parlamentares que, segundo Bolsonaro, só se elegeram na aba dele, na tal onda, e Santa Catarina está recheada de nomes.  

 

Ele vem

Convidado, o presidente Jair Bolsonaro deverá participar de uma motociata, em Florianópolis, no dia 14 de agosto, como informa o jornalista Leo Coelho, da NSC.

Os organizadores, que confirmaram a participação, negam que o evento tenha caráter eleitoral ou partidário, porém, o pessoal que sempre tenta ganhar um holofote ao lado do presidente, principalmente os com mandato, já estaria treinando para pilotar uma motocicleta.    

 

REPRODUÇÃO/INTERNET

CORUJA RETORNA AO PDT

Médico, ex-prefeito de Lages, deputado federal e estadual, Fernando Coruja Agustini dispensa apresentações, principalmente entre os brizolistas instalados no PDT, tanto que a filiação, de forma virtual, depois de passar por PPS e MDB, garantiu a presença do ex-governador e deputado Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência. Coruja volta na condição de pré-candidato ao governo do Estado, para ser um nome forte na disputa e terá que resolver pelo menos uma questão paroquial, em Lages: como fica a deputada federal Carmen Zanotto, do Cidadania, diante do novo projeto? Carmen, ligada a Coruja, flertou com os bolsonaristas ao ocupar um cargo técnico na Saúde, durante a segunda interinidade de Daniela Reinehr (sem partido) no governo do Estado. Mas isso só ocorreu a pedido do senador Jorginho Mello (PL), maior aliado do presidente no Estado, também pré-candidato ao governo, e que nem pode ouvir falar em esquerda que começa a se coçar.    

 

Barafunda 1

O MDB, mais uma vez, vive um dilema digno de William Shakespeare, com relação à desgastada ideia de prévia, marcada para o dia 15 de agosto, e que, a cada dia, é marcada por um episódio mais lamentável do que o outro.

Depois do prefeito Antídio Lunelli, de Jaraguá do Sul, mais bolsonarista de carteirinha do que nunca, disparar contra articulações do senador Dário Berger, agora foi a vez do ex-prefeito de São José e Florianópolis pedir providências ao diretório estadual sobre a falta de cumprimento de alguns requisitos da escolha, como a formação de uma comissão eleitoral.

 

Barafunda 2

Os adversários estão dando é risada das trapalhadas emedebistas, que não se resumem ao natural estremecimento entre um ou outro pré-candidato ao governo.

Presidente da sigla, o deputado federal Celso Maldaner dá pistas de que estaria disposto a abandonar a prévia, desde que ele fique na condição de pré-candidato ao Senado, e a bancada estadual já pediu para cancelar o evento em agosto, pois não vê clima e alerta para a dificuldade de compor com outros partidos a partir da antecipação, que só beneficia quem está do lado de fora da legenda, a maior do Estado.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Roberto Azevedo tem 36 anos de profissão. Estudou jornalismo na UFSC, de Florianópolis, e direito na FURB, de Blumenau. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, chefe de Redação, editor-chefe, gerente e diretor de Jornalismo, na RBS TV de Blumenau e Florianópolis, na TV Record de Florianópolis, na Rede TV Sul! e na TVBV (Barriga Verde, BAND); comentarista na RIC TV Record e na Record News, e colunista no Diário Catarinense (onde também foi editor de Política) e no Notícias do Dia, tendo blogs nas versões digitais das edições. Atuou nas rádios União de Blumenau e União FM de Florianópolis, e na Rádio Record da Capital catarinense. Além de ter uma coluna no Portal Making Of, desde setembro de 2016, faz comentários sobre política e economia na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e na TVBV (BAND), de Florianópolis.
  • Youtube
MOF 3

Comentários

Onze 5

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!