17.3 C
fpolis
17.3 C
fpolis
quinta-feira, 26 maio, 2022

Moro deve pôr o Podemos no caminho de Gean

Últimas notícias
Moro deve pôr o Podemos no caminho de Gean
DIVULGAÇÃO

A dinâmica das negociações nacionais deve, a qualquer momento, fazer com que as costuras estaduais entre partidos ou pré-candidatos não tenham significado e, necessariamente, percam o valor, é o que preconiza o presidente estadual do Podemos, o ex-prefeito de Palhoça Camilo Martins (foto).

O líder partidário está tão correto na análise que, depois de chegar a avaliar que o pragmatismo da presidente nacional do Podemos, a deputada federal Renata Abreu (SP), deveria dificultar a migração do recém-filiado Sérgio Moro para o União Brasil (fusão do PSL com o DEM), convenceu-se de que as conversas convergem para esta conclusão.

Foi Renata quem batalhou pela posição de Moro como pré-candidato à Presidência e, mesmo que pareça vantajoso do ponto de vista financeiro – o União Brasil tem R$ 1 bilhão de Fundo Partidário para gastar na eleição, em função da grande bancada conquistada pelas duas siglas em 2018 -, não deixará de ser estranha uma saída tão repentina, justamente pelo seu perfil do ex-juiz federal, nada condizente com uma decisão que pareceria volúvel.

Moro tem potencial de crescimento, mas nem isso é certo entre os integrantes do Podemos, e a repercussão deste acordo, desde que confirmado favorecerá o pré-candidato ao governo do União Brasil no Estado, o prefeito de Florianópolis Gean Loureiro.

Enquanto a especulação sobre um troca de partido agita o cenário nacional, Camilo Martins afirma que as prioridades números 1, 2 e 3 do Podemos em Santa Catarina é a formação de chapas para deputado federal e estadual, uma aposta que mira duas cadeiras na Câmara e até quatro na Assembleia.

 

Agregar

Camilo prega a união interna, embora saiba que segmentos do Podemos, como o liderado pelo ex-deputado Paulo Bornhausen, queiram estar com Gean Loureiro, alinhados, talvez, com o novo rumo de Renata Abreu, que aparece como a possibilidade de ser vice na chapa do União Brasil, desde que Moro confirme a mudança de sigla.

Com cinco prefeituras, entre elas o terceiro maior colégio eleitoral do Estado, Blumenau, administrada por Mário Hildebrandt, e Palhoça, por Eduardo Freccia, um dos municípios que mais crescem no país, Camilo, que se põe à disposição também à majoritária, vê que o Podemos deveria manter o projeto solo, com o prefeito Fabrício Oliveira, de Balneário Camboriú, e deixar o projeto nacional, ainda indefinido, se ajustar.

Para o presidente estadual do Podemos, de nada adianta fechar um acordo com outras siglas agora, se as definições que vierem de Brasília devem alterar substancialmente o quadro em Santa Catarina.

 

Licença

A deputada federal Geovânia de Sá pediu licença da presidência estadual do PSDB, na reunião da executiva desta terça (18) para priorizar a candidatura à reeleição.

Assume o ninho tucano o prefeito de Concórdia, Rogério Pacheco, e um grupo de trabalho coordenado pelo prefeito Clésio Salvaro, de Criciúma, composto também pelos ex-senadores Leonel Pavan (ex-governador), Dalírio Beber e Paulo Bauer, o ex-deputado Gilmar Knasel, os deputados estaduais Marcos Vieira e Vicente Caropreso, a deputada federal Geovania de Sá e o prefeito Clenilton Pereira, presidente da Fecam, definirá as nominatas a deputado e até à majoritária.

Interessante foi observar que, de forma virtual, o secretário de Turismo de São Paulo, Vinícius Lummertz, participou da reunião, enquanto o ex-deputado Gelson Merisio não deu as caras, o que o coloca à margem das decisões e bem próximo de pular fora do ninho.

 

Institucional 1

A deputada federal Angela Amin não tem a intenção de ser vice ao governo, mas afirma que as conversas com Jorginho Mello (PL) ou Carlos Moisés (sem partido) devem ser institucionais com a direção do PP sobre projeto e não em cima de pessoas.

A declaração dada à Rádio Camboriú confirma que Moisés procurou os pepistas para debater apoios.

 

Institucional 2

Já o deputado estadual Altair Silva, secretário da Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural da administração de Moisés repetiu a tendência em entrevista ao telejornal Band Cidade, da TVBV.

Altair disse que seguirá a orientação do PP, que tem o senador Esperidião Amin como pré-candidato, mas que as conversas com o atual governador estão adiantadas e que Moisés pode ter o apoio da sigla.

Roberto Azevedo
Roberto Azevedo tem 37 anos de profissão. Estudou jornalismo na UFSC, de Florianópolis, e direito na FURB, de Blumenau. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, chefe de Redação, editor-chefe, gerente e diretor de Jornalismo, na RBS TV de Blumenau e Florianópolis, na TV Record de Florianópolis, na Rede TV Sul! e na TVBV (Barriga Verde, BAND); comentarista na RIC TV Record e na Record News, e colunista no Diário Catarinense (onde também foi editor de Política) e no Notícias do Dia, tendo blogs nas versões digitais das edições. Atuou nas rádios União de Blumenau e União FM de Florianópolis, e na Rádio Record da Capital catarinense. Além de ter uma coluna no Portal Making Of, desde setembro de 2016, faz comentários sobre política e economia na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e na TVBV (BAND), de Florianópolis.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Com vibração de Gean, Topázio e Bornhausen se filiam no PSD

Partido que já definiu o apoio ao ex-prefeito Gean Loureiro, pré-candidato do União Brasil ao governo, o PSD estendeu...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }