Novembro 17, 2021

Napoleão detalha o acordo para 2022

Napoleão detalha o acordo para 2022
FRANCIELA LIMA/DIVULGAÇÃO

Se vingar a costura entre União Brasil, PSD, Podemos, Republicanos e PSC, o candidato ao governo não será definido por pesquisa tão somente, relatou o ex-prefeito de Blumenau e candidato a vice na chapa de Mauro Mariani (MDB), em 2018, Napoleão Bernardes, um dos três pré-candidatos do PSD, em entrevista o jornalista Rafael Matos, da Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma.

Napoleão frisou que o diálogo está na fase de amadurecimento e que o pré-requisito é não chegar à mesa de composição com o prato pronto, ou seja, com o nome que representa o partido fechado.

O ex-prefeito é pré-candidatos pessedista ao lado do ex-governador Raimundo Colombo e do prefeito João Rodrigues, de Chapecó, e estará na avaliação para concorrer em uma lsta onde constam o prefeito Gean Loureiro (União Brasil), de Florianópolis; e o prefeito Fabrício Oliveira (Podemos), de Balneário Camboriú.  

Como a coluna já divulgou, a decisão será em março do ano que vem, e quem estiver melhor, como salientou Gean, será o escolhido para disputar o governo.

 

Na luta

Ex-prefeita de São José, quarto maior colégio eleitoral do Estado, Adeliana Dal Pont revisou seu projeto e não mais estará na lista de pré-candidatos ao governo pelo PSD por não ter conseguido percorrer o Estado.

Embora admita que recebeu convites de outras legendas, Adeliana explica que foi fundadora da sigla, não tem interesse em trocar de endereço partidário e pretende disputar uma vaga à Assembleia, para representar a Grande Florianópolis.

A propósito, ela faz questão de dizer que o relacionamento com o seu sucessor, o prefeito Orvino Ávila (PSD), é dos melhores.

 

Papo é papo

Governador Carlos Moisés (sem partido) teve uma conversa reservada com o prefeito Antídio Lunelli (MDB), na pasagem por Jaraguá do Sul.

Nas internas, diz-se que Moisés gostaria de ter Lunelli como vice, engenharia política bem difícil de ocorrer, já que conversa amistosa entre prefeito e governador não significa nada além disso.

 

REPRODUÇÃO/INTERNET

JORGINHO VIRA PORTA-VOZ DO PL

Coube ao senador catarinense Jorginho Mello, agora com novo visual depois de um transplante de cabelo, informar à imprensa que os presidentes estaduais do PL deram carta branca para o presidente nacional Valdemar da Costa Neves acertar o ingresso do presidente Jair Bolsonaro na sigla. Areunião foi na tarde desta quarta (17), em Brasília, depois que a relação entre Planalto e partido sofreu solavancos. Jorginho ganha com a vinda de Bolsonaro, mas em São Paulo e nos estados do Norte e do Nordeste o pessoal ou prefere cumprir acordos com o governador João Doria Júnior ou com Lula, do PT. Nas palavras do senador, durante contato com os jornalistas, o partido mostrou unidade e todos irão receber “o presidente (da República) de braços abertos”.

 

Incômodo regional

Depois de perder todos o votos para vereador e determinada a cassação de Atila Ueliton Rodrigues de Oliveira, o Boca, que já foi presidente da Câmara de Itapema, por suposta fraude à cota de gênero, o PL amargou mais uma condenação pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Desta vez, a corte considerou que o partido não destinou o percentual mínimo de recursos do Fundo Partidário, 30%, para as candidaturas femininas, em 2018.

 

A multa é pequena, R$ 1.500,00, que deverão ser corrigidos, e a suspensão do repasse do Fundo Partidário por um mês, mas a incomodação é grande, já que o tema das penalizações gira em torno de um tema comum.   

 

Divergência 1

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Fernando Carioni, persiste na divergência sobre a totalização dos votos nos estados ser centralizada e divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Não é o único, mas outros presidentes país afora desistiram de debater o tema. Carioni não concorda com o argumento do presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, de que a motivação está na questão de segurança, de acordo relatório da Polícia Federal, o que atrasa a liberação dos resultados e não valoriza o trabalho célere dos TREs.

 

Divergência 2

O tema será debatido em uma reunião extraordinária em fevereiro de 2022.

Nesta quarta (17), o desembargador participou de reunião do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais, não presencial, e tinha a favor da instituição catarinense o cumprimento das metas judiciais determinadas pelo Conselho Nacional de Justiça, baseadas em números de julgamentos de processos.

 

Susto

“Quero saber quem foi o gênio”, disparou o deputado Sargento Lima (PL) ao saber do valor da conta telefônica de seu gabinete e cobrar da direção da Assembleia uma razão para que, sem aumento da utilização, as cifras fossem fora da realidade.

A explicação foi a de que foram comprados 600 celulares de última geração e contratados serviços móvel e de internet que foram repartidos entre os gabinetes, custo de R$ 4.839.068,40 (Quatro milhões, oitocentos e trinta e nove mil, sessenta e oito reais e quarenta centavos).

Para a sorte do contribuinte, a direção do Legislativo Estadual informou que o valor irá baixar devido a um aditivo no contrato, que diminui o número de aparelhos de 600 para 105 e o valor para R$ 369,121,44 (Trezentos e sessenta e nove mil, cento e vinte e um reais e quarenta e quatro centavos).

 

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Roberto Azevedo tem 36 anos de profissão. Estudou jornalismo na UFSC, de Florianópolis, e direito na FURB, de Blumenau. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, chefe de Redação, editor-chefe, gerente e diretor de Jornalismo, na RBS TV de Blumenau e Florianópolis, na TV Record de Florianópolis, na Rede TV Sul! e na TVBV (Barriga Verde, BAND); comentarista na RIC TV Record e na Record News, e colunista no Diário Catarinense (onde também foi editor de Política) e no Notícias do Dia, tendo blogs nas versões digitais das edições. Atuou nas rádios União de Blumenau e União FM de Florianópolis, e na Rádio Record da Capital catarinense. Além de ter uma coluna no Portal Making Of, desde setembro de 2016, faz comentários sobre política e economia na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e na TVBV (BAND), de Florianópolis.
  • Youtube
MOF 3

Comentários

Onze LG Gd

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!