Agosto 13, 2020

Nossa Jogada

Nossa Jogada

1 - A Bola

Quem quando garoto não ganhou uma bola de presente? Lembra da primeira noite? Não conheço um que não tenha dormido abraçado com aquela bola que ganhou do tio, pai ou avô. Este amor não termina nunca. As lembranças são eternas. Acredito que uma bola deva ser tratada com carinho. Pele beijou-a no Maracanã, e o mundo todo assistiu e ainda assiste. Di Stefano construiu um monumento na entrada de sua casa: uma bola de bronze e colocouuma placa: “Gracias, vieja”.

Sabe? A bola tem suas veleidades, e às vezes não entra no gol porque no ar muda de opinião, e se desvia. Eduardo Galeano escreveu que a bola não suporta que a tratem a patadas, nem que batam nela por vingança. Exige que a acariciem que a beijem que a embalem no peito ou no pé. É orgulhosa, talvez por vaidade, e não lhe faltam motivos: ela sabe muito bem da alegria que transmite a muitas almas quando se eleva com graça.

Murici Ramalho diz que a bola pune. Foi o que aconteceu na noite de terça-feira em Curitiba. Betão lhe deu um chutão e ela resolveu se desviar, punindo o Avaí no final do jogo.

 

2 – Zagueiros, com letra maiúscula

Caminhando pelo meio do gramado do Camp Nou, ao meu lado Cruyff e perguntado por que o Barcelona, na época em 1988 estava contratando um zagueiro, no caso Aloísio do Inter, e não um atacante brasileiro como é costume na Espanha: “Porque preciso de uma “defensa” que saiba sair jogando”, respondeu bem no meio do gramado a caminho do Ginásio de Basquete, onde os meninos seriam homenageados, um deles por Cruyff. Foi neste instante que lembrei de Paulo Souza do Metropol, de Luizinho do Atlético Mineiro e de Veneza do Avaí que sabiam sair jogando e não chutavam a bola pra longe. Eles entregavam...

 

3 - Chutão

É uma demonstração de insegurança e de medo. Zagueiro que se presa não dá chutões, entrega para quem sabe jogar ou sai jogando se for corajoso. O covarde chuta para longe. Uma bola é para ser jogada e não judiada. De preferência entregue para um amigo, aquele que sabe jogar e fazer o time andar. Uma bola é para se entregue e não para se dividir, dando oportunidade ao adversário de recomeçar o jogo. Se quando menino dormiu abraçado com ela, como é que vou dar um chutão só por que está perto do goleiro? Este era o momento que deveria entregar para o melhor amigo, que saiba e goste de jogar. Ficar olhando com ele a dominava, como ela ficava feliz, percebendo que ele gostava de tê-la sobre seu domínio. O certo é fazer como Maneca fazia: corria atrás do Toninho para roubar, tira-la e depois entregar para o Veneza, que sabia fazer o time jogar, como naquela final de 1975.

Lembrando bem, nem o Maneca dava chutão.  

 

4 - O resultado de terça-feira

O do Avaí foi castigo? Foi azar? Não! Porque intuição, talento e conhecimento depende do trabalho, dos treinamentos da semana. Chutar a bola para longe, até eu chuto. Quem tem experiência, não pode chutar quando a área, principalmente a pequena, está cheia de gente. Era hora de defender o goleiro, bloquear a chegada do adversário e deixa-lo recolher. Chutar daquele jeito, até o Macarrão ou o Chiquinho chutam!

 

5 – Subir e permanecer

O Avaí montou um time, segundo escutei, para ser campeão. Não foi! Para subir. Do jeito que foi jogar em Curitiba não sobe. Olhe com quantos pontos, nos últimos 10 anos, um time precisou para subir de divisão? Mais de 64 pontos. Faça as contas quantas partidas o Avaí tem que vencer, empatar e quantas pode perder? Nos meus cálculos só pode perder 10 jogos dos 38 e agora só nove. Você acredita no clichê de fazer o “dever de casa” em todos os.19 jogos? Se conseguir somará 58 pontos. Ainda faltam seis, oito... e me diga qual o clube que venceu as 19 partidas em casa?

 

6 – O Figueirense

O torcedor esqueceu tudo o que aconteceu no ano passado? O time quase caiu, faliu, provocou um WO e agora quer que ganhe do Vitoria, mesmo jogando no Scarpelli, sem torcida, sem público. Com o estádio vazio não há vantagem de jogar em casa. Não há pressão sobre o arbitro. Não se iluda e não acredite que o Figueirense entrou para subir de categoria. O Figueirense joga este brasileiro para se manter, o que vier será lucro. Contra o Vitoria deixou boa impressão, sem treinador - doente em casa, com muitas mudanças e ainda tinha gente ligando para as rádios pedindo Arouca no lugar decadentistas? Do Geovane, o melhor jogador, só porque tem 21 anos? Que mania desta gente...  

 

7 - Melhores

Por causa desta mania de achar que veteranos que já passaram, jogam melhor do que os juvenis, como Pereira, Patrick e este Geovane que chegou? Pergunto se nestes últimos 45 anos, em que trabalho na mídia e abordando futebol, você viu chegar, não importa por onde passou, goleiros melhores do que: Gainetti, Da Costa e Danilo?

Eu não vi.

E Carlos Ganetti? Que começou no Tamandaré da Praia de Fora, no Clube Doze como goleiro de futebol de salão, seria o goleiro ideal para este jogo em que o goleiro tem que defender e jogar com os pés, as bolas atrasadas pelos zagueiros. Ganetti passou pelo Paula Ramos, Seleção Catarinense, Guarani de Bagé, Internacional e Vasco da Gama, mas antes de virar goleiro no Doze e depois no Paula Ramos de 1959, jogava na linha, como atacante e artilheiro do Tamandaré. Dizem que era melhor na linha do que no gol.  Eu não vi nenhum melhor do que os três que citei. Você viu?

 

8 - Novidades

A Conmebol divulgou que a Copa Libertadores inicia no dia 15 de setembro, e a Copa Sul-Americana em 27 de outubro, com uma série de novidades: como permitir que um clube faça cinco substituições; que jogadores defendam mais de dois clubes na mesma temporada; inscrições em qualquer etapa da competição e que árbitros locais possam atuar, evitando as viagens neste tempo de crise sanitária e que possam contaminar ou serem contaminados.

 

9 - Ajuda

Na Libertadores e Sudamericana para ser dividida entre os participantes, a quantia de U$ 93 milhões para as despesas de viagens. Também distribuirá um protocolo chamado “Concentração Sanitária” para permitir a entrada das delegações dod clubes participantes em todos os países da América do Sul, mas com o limite de 72 horas.

 

10 – Flamengo

De lá vem às novas lições. O Flamengo ainda não conseguiu andar nas mãos de Doméc Torrént, que chegou como inovador e está sendo contestado depois de uma semana treinando O campeão do Brasil e da Copa Libertadores, do ano passado, que perdeu o rumo. Ontem, em Goiás, perdeu de 3 a 0 para o Atlético Goienense, dirigido por Wagner Mancini. Outros resultados: Atlético Mineiro 3 x Corinthians 2; Athletico 2 x Goiás 1; Bragantino 1, x Botafogo 1; Ceará 1 x Grêmio 0; Fluminense 1 x Palmeiras 1 e Bahia 1 x Coritiba 0. O jogo Chapecoense x CSA, valido pela Série B, foi adiado.

 

11 – Pandemia

Morreu ontem à tarde, Egon Rosa, 59 anos, ex-presidente do Marcilio Dias, no período de 1998 a 2002 em consequência da Covid-19, depois de 16 dias internado na UTI, desde o dia 28 de julho. Morreu também, nesta semana, o repórter e comentarista da Rádio e TV Guaíba Edgar Schmidt, amigo e companheiro de profissão.

Faleceu na madrugada desta quinta-feira, aos 54 anos de idade, o médico ortopedista André Karnikowski, em decorrência da Covid-19. Doutor Andre foi por muitos anos o médico do Brusque Futebol Clube.

 

12 – Jogadasso!

Para quem gosta de emoção, para quem não torce por nenhum dos dois, a disputa do primeiro jogo da Final 8, da Liga dos Campeões, em Lisboa entre Atalanta e Paris Saint Germain foi emocionante. Deixou a lição para quem acredita que o jogo termina cinco minutos antes e deixa de atacar, bota o time atrás, dá chutão e entregando a bola para o adversário, ainda mais para quem tem Neymar Jr. e Mbappé. Hoje tem mais, tem Atlético de Madrid e Leipzig, às 16h pelo canal TNT.

 

13 – Veterano

Robinho, de pele branca, jogou no Avaí e foi perseguido, crucificados e não mereceu elogios da mídia, que gosta de jogador que chega com a mala cheia de etiquetas.

Como estes veteranos esperando que possam repetir o que faziam quando eram novos. Nenhum deles, que conheci, repetiu o que fez Edmundo, quando veio para o Figueirense. Edmundo defendia um time sem expressão do Rio de Janeiro, e depois de um ano na Ilha, voltou a São Paulo para defender o Palmeiras. Pois Robinho, ainda jovem saiu do Avaí, esteve no Palmeiras, o Cruzeiro, onde foi campeão brasileiro, ao lado de outro crucificado Edilson, e aos 30 anos volta ao Sul para defender o Grêmio de Porto Alegre, um dos candidato ao título brasileiro deste ano. Time de Renato Gaucho que disse o seguinte: “Um jogador quando é grande não aparece aos 35 anos de idade, aparece aos 19 e 21 anos!”

Deixe de ser pobre, emprestando o prestigio dos outros e tenha paciência com Tucão, Pereira, Patrick e Getulio que precisam de tempo e não de vaias e cornetas.

Fim.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 21, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 18, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 14, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 11, 2021

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!