Agosto 27, 2020

Nossa Jogada

Nossa Jogada
Foto de Frederico Tadeu / Avaí F.C

1 – A culpa não é do Capa

Nada disso é real e tudo é verdade!

Quem contrata e indica jogadores. O Capa já estava aí, e não viram, não avaliaram? Armaram um time para ser campeão, subir de divisão, que até agora só fez fiasco. Queria dizer ao presidente Francisco Battistotti, que seus assessores, por terem sido jogadores de futebol, não os qualificam para serem bons gerentes e diretores de futebol ou treinador. O que eles sabem é jogar futebol, aliás sabiam, até que a idade os mandou ficar em casa. Como não sabiam o que fazer, continuaram indo ao clube. Eu aprendi que não é jogando, chutando bola e correndo que se aprende a gerenciar pessoas, decidir a estratégia a ser usada, contratar e escolher jogadores. Jogar bola é uma coisa, administrar, contratar e gerenciar um departamento é outra. Não se aprende correndo em campo. Esta equipe não ganhou o estadual, perdeu a Recopa e não sai do papel. Não é que ouvi que o Geninho mandou procurar um zagueiro (tem Betão, Airton, Rafael Pereira, Sallinas, Zé Marcos e Kunde), um lateral esquerdo (tem Leonan, Iury, Felipe Santos, Capa, Arnaldo, Ramon e Lourenço); um meia não chega (Valdívia, Pedro Castro, Bruno Silva, Thiaguinho e Adryan) e no ataque estão inscritos 11 e só jogam dois. Mas Marquinhos, Evando e Geninho não encontraram um substituto para o Judson.

 

2 - Dispensa ou tira?

Tira o Geninho e põe o Claudinei Oliveira...

Não é nada disso que estas pensando! Andei escrevendo, na coluna passada, que o Joceli Santos trouxe, quando diretor do Avaí, o Geninho para treinar o clube. Não, quem trouxe o Geninho foi o Battistotti. O Joceli Santos indicou o Claudinei Oliveira, responsável pela promoção do Avaí à Primeira Divisão, e que quando o Joceli foi diretor de futebol, ganhou um campeonato estadual. Feito!

 

3 - Copa do Brasil

Fluminense 3 x Figueirense, valia a passagem para enfrentar os grandes e 2 milhões de reais para cobrir as despesas, salários e outras coisas. Não vi comprometimento dos jogadores em campo, principalmente dos experientes Marquinhos e Everton Santos, que foram contratados sem avaliação de rendimento. Chegaram pelo nome. Terça-feira os dois nem deveriam ter entrado em campo. Marquinhos ainda protagonizou a cena mais feia do jogo: numa disputa de veteranos levou um “chapéu” do Nenê e voltou para dar uma porrada. Tanto ele como Nenê só apareciam no jogo quando a bola parava. Nenê teve mais sorte, marcou os três gols e assim vai enganando, porque jogar bola não é só cobrar faltas e escanteios. São poucos que enxergam e muitos se deixam levar pelo passado, esquecendo que futebol é momento. E completo: “Aos 33 anos tu sabes que não vales mais nada e continuas desperdiçando as provisões da tribo”.

 

4- Cacau Lino

Foi um aluno brilhante, filho de amigos, companheiro com quem aprendi coisas novas. Quando li a nota decidi republicar: “Ontem fiquei triste. Era só um jogo. Mas era um time da nossa cidade, time de infância, de coração. O técnico, um amigo de bairro. Filho do seu Vilson, da dona Sueli, irmão do Balo, da Claudinha, do Marquinhos Marcos Vinicius Lyra Coelho. Tentei equilibrar a balança, deixando o coração de lado. Não foi fácil. Queria ter feito poesia pro nosso Figueira. Mas fizeram muito mal ao Figueira nesses últimos anos e a reconstrução vai ser longa, sofrida, como foi ontem. A gente sai de casa, mas a casa não sai da gente”. Carlos Eduardo Lino.


5 – Messi

Messi: 34 títulos, 634 gols, 513 vitórias, 80 recordes Guinness. Debutou em 16 de outubro de 2002, com 17 anos, três meses e 22 dias, se converteu no maior ídolo da história do Barcelona Futebol Clube. Recebeu seis vezes o título de melhor do ano pela Fifa. Como goleador da Europa, tem cinco troféus - Balão de Ouro. Foi artilheiro da Liga por seis ocasiões. O melhor Messi foi com o Pepe Guardiola de treinador. Pediu para sair.

 

6 - Para onde vai?

Segundo o canal ESPN ele irá para o Manchester City e encerrará a carreira, depois de cinco anos de contrato com o grupo City Football Group, nos Estados Unidos, defendendo o New York Soccer. Aos 36 anos de idade, deixaria Manchester e os outros dois anos jogaria no New York Soccer, nos USA, Encerrando a carreira aos 38 anos.

 

7 - Ressuscitará?

Messi está saindo do Barcelona aos 33 anos. Puro simbolismo como escreveu o “Rafa Cabeleira”. A adaga do Centurião foi cravada nos torcedores do Barcelona, que sangrarão na cruz. A história terminou com o “burofax”, é como mandar os padrinhos, seja lá o que for isso. Depois de 20 anos de casamento mandou os advogados até a porta do clube.

 

8 - Comprar Gruas

Lembre que Maradona, Figo, Ronaldo, Rivaldo, Ronaldinho e no passado Evaristo de Macedo foram embora do Barcelona e o clube não morreu. Assim como Ronaldo se foi do Real Madrid, para a Itália, em busca de outro destino. Messi ganhou a liberdade para decidir seu futuro.

 

9 - Nome na camisa

Prestem atenção a importância que dirigentes dão aos jogadores de futebol no Brasil?

Observem onde eles colocam o nome deles na camisa?

Atrás, perto da bunda, dificultando a leitura e se o jogador obedecer às determinações da Fifa, colocando a camisa para dentro do calção, então...

A CBF e federações deveriam disciplinar, como faz a liga inglesa, o uso da publicidade nas camisas. O exagero desvaloriza a imagem da empresa e do clube.

 

10 - Fala Boppré

A forma de falar, de entoar e o timbre de voz do Nórton Boppre causam, nos ouvintes, uma aflição. A calma e as palavras que ele usa, por educação de berço, para não ferir suscetibilidades, provocam uma imagem distorcida de como ele é. A turma que não está acostumada com a “educação na mesa”, não entende.

 

11 – Lateral

Lia como se comporta um lateral atualmente. Quem explica é Daniel Carvajal. “O futebol evoluiu muito. Cada vez vemos mais ponteiros convertidos em laterais. Se joga muito por dentro e deixando o lado do campo para o lateral, mas acredito que a primeira função é defender, porque tem que saber defender antes de atacar”. Alguém pode avisar ao Capa?

 

12 - Ensinando o Betão

No jogo de sábado passado o Sallinas, zagueiro do Avaí, se machucou. Chamaram o Betão, ai aconteceu uma coisa insólita: as imagens via TV mostravam, ansiosos do lado direito Geninho e do lado esquerdo Evando, tentando dizer o que Betão deveria fazer no jogo. Como se ele não soubesse ou fosse um juvenil fazendo a estreia. Mais insólito era saber que o Geninho precisa do auxílio do Evando para dizer, onde e como Betão deveria se colocar.

 

13 - Pandemia

Esta semana morreu o Aderbal Coelho. E o Valmir Pires me fez o comunicado. Fiquei triste. E dois dias depois, Lucia enviou uma resposta: “Bom dia, desculpe a demora. Nós fomos infectados pela Covid em julho. Ele – Aderbal ficou internado 15 dias no Hospital SOS Cárdio, oito dias na UTI. Teve complicações, retornou, não resistiu e faleceu. Só a família pode velar o corpo, em seguida enterrado no Jardim da Paz”.

 

14 - Tenra idade

Respondam: por que os clubes de futebol ricos, sediados na Europa, contratam jogadores brasileiros na tenra idade e os clubes brasileiros endividados, devendo, gostam de gastar dinheiro com veteranos? Um dos dois está errado?

 

15 - Alemães

O Gary Lineker, jogador inglês, disse há 20 anos, que o futebol é um esporte jogado por 11 contra 11, mas a Alemanha sempre ganha. Esta frase foi dita após uma derrota da Seleção da Inglaterra para os alemães, num jogo semifinal da Copa do Mundo de 1990, na Itália, valeu pelos gols do Bayern no Barcelona.

 

16 - Ensinar atacantes e goleiros

Tenho contestado que nossos clubes contratam treinadores de goleiro e não de atacantes. Pois o Barcelona está inovando, contratou Larsson, que defendeu a Seleção da Suécia para treinar os atacantes do clube. Assim como Koeman pode ensinar os defensores, corrigindo posição e saber sair jogando, enquanto que Larsson pode realizar um trabalho especifico para melhorar o rendimento do ataque, entre eles: Trincão, Dembélé, Griezmann e Coutinho.

 

17 – Sabe o que me irrita?

Esta novidade de definir os esquemas não pelos setores de campo, mas pela colocação nas artes da TV antes de abrir as jornadas. Aí sai coisas assim: 3-2-1-2-1. Aprendi que os jogadores são identificados pelos setores que atuam no campo: defesa, meio de campo e ataque. Aliás sou antigo: defesa, linha meia e ataque. Pois li a convocação da seleção da Inglaterra. Aí vai: goleiros - Henderson, Pickford, Pope; defensores: Alexander-Arnold, Dier, Gomez, Keane, Maguire, Mings, Trippier, Walker; meio de campo: Rice, Phillips, Winks, Ward-Prowse, Foden, Mount e atacantes: Abraham, Greenwood, Sancho, Rashford, Ings, Kane, Sterling. Esqueceram de convocar aquele 1, aquele dois...

 

18 – Citações

Hoje levei todo mundo para o jogo, inclusive os reservas, como antigamente: assim resolvi postar duas citações. A primeira é do Eduardo Galeano: “Ganamos, perdimos, igual nos divertimos”; a outra é de Winston Churchill: "Sucess is note final. Failure is not fatal. It is the couraje to continue that courts”. Facilitando – O sucesso não é definitivo. O fracasso não é fatal. O que conta é a coragem de continuar. O homem sabia escolher as palavras.

 

19 - Jogo da CB

Hoje à noite, em Brusque, o Brusque enfrenta o Brasil de Pelotas pela terceira fase da Copa do Brasil. Em jogo a classificação e 2 milhões de reais, um bom dinheiro para o clube e a cidade, coisa que Avaí e Figueirense não souberam defender. O Brusque deixa a dupla da capital para trás outra vez!


20 - Última
A espera de um milagre, direção do Figueirense decidiu afastar a Comissão Técnica liderada pelo Márcio Coelho e procura novo treinador, que de acordo com os corneteiros, deverá encontrar uma fórmula que faça Marquinhos e Everton Santos jogarem como quando passaram pela primeira vez no clube. Agora sem dinheiro e sem um bom time quem sabe liguem pro Messi. A Ilha de SC fica próxima de Rosário, na Argentina.

Fim.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 18, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 14, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 11, 2021

Nossa Jogada

Janeiro 07, 2021

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!