Maio 06, 2021

Nossa Jogada

Nossa Jogada

1 - A imagem

Sabe quando uma imagem vale por mil palavras? Aí está. Não preciso traduzir mayo. Você deve ter deduzido: a final da Champions 20/21 será no dia 29, um sábado, em Istambul, na Turquia, que faz parte da Europa. Poderá ser transferida ou adiada dependendo se a pandemia aumentar durante o verão europeu.


2 - Figueira volta

A disputar o “Estadual 21” jogando domingo (09/05) contra a Chapecoense, no Estádio Orlando Scarpelli. O TJD puniu o Hercílio, por ter usado um jogador irregular contra o Brusque na fase anterior e, por isso, deixou de ser o oitavo colocado. O Figueirense foi beneficiado e terá que enfrentar a Chapecoense, em jogo válido pelas quartas de finais. Isto porque Alisson Machado Moreira, jogador do Hercílio Luz, condenado em dia 6 de abril, deveria ter cumprido a pena no jogo Hercílio Luz x Brusque, no dia 10/04, e não o fez. Um mês depois, o Hercílio foi punido e assim o Figueirense voltou ao campeonato. 


3 – A segunda chance

O Figueirense joga domingo aqui e na quarta em Chapecó. A FCF e o TJD demoraram em homologar o jogo Hercílio x Brusque, válido pela segunda fase do estadual, realizado no dia 10 de abril, quando foi registrada a irregularidade que julgada, nesta semana, puniu o Hercílio Luz, beneficiando o Figueirense. O jogo do time de Tubarão contra a Chapecoense, pelas quartas de finais foi anulado. Agora será contra o Figueirense. O Marcilio Dias, que passou pelo Juventus, espera pela definição do adversário na semifinal.

4 – Homologação

Os árbitros recebem, 30 minutos antes de iniciar um jogo, a relação dos jogadores que eles registram em um computador na presença do delegado, ainda no vestiário. Nesta relação consta a numeração de inscrição dos jogadores junto a FCF. No final, de volta ao vestiário, registram as ocorrências e substituições processadas durante o encontro, que é enviada, via on line, à sede da FCF, em Balneário Camboriú. No dia seguinte, o Diretor de Competições da FCF e os auxiliares, analisam este relatório e encaminham as ocorrências disciplinares ao TJD, para a avaliação jurídica, gerando ou não um processo e punições. Foi o que ocorreu no jogo Hercílio Luz x Brusque, na nona rodada da primeira fase, e o TJD demorou. Com toda a tecnologia atual, a justiça no Brasil, até no futebol, é lenta. Demora por causa da burocracia.

5 – Jogadas ensaiadas

A segunda partida, pela semifinal do “Estadual 21”, entre Brusque e Avaí, foi adiada e, as duas equipes descansam até o dia 19, quando irão se enfrentar novamente, desta vez em Brusque. O Avaí precisa vencer.

6 - A Lisura e costume

A Chapecoense passou para a semifinal vencendo a equipe do Hercílio Luz, que fraudou o regulamento usando um jogador irregular. Não foi por má fé, foi por falta de organização e incompetência administrativa. Estranho é a Chapecoense distribuir um comunicado: “... de que adotará todos os mecanismos jurídicos necessários para resguardar seus direitos e respeitar o resultado conquistado dentro de campo" contra um adversário que fraudou o regulamento da competição. Quem se lembra do caso Cosme, sabe como a turma de Chapecó respeita os direitos dela e dos adversários (sic).

7 – Calendário

Com o adiamento do jogo Brusque e Avaí, o treinador Claudinei Oliveira não poderá reclamar do calendário, terá tempo para treinar a equipe, criar jogadas ensaiadas (sic) e recuperar jogadores machucados para tentar marcar gols e vencer o Brusque. O adversário da final chegará desgastado, sem tempo para treinar e criar jogadas ensaiadas.

8 - Chorando de barriga cheia

Crespo, treinador do São Paulo, faz coro a Abel Ferreira, do Palmeiras, queixando-se do calendário. Ora, basta não se classificarem para continuarem jogando ou que usem, no estadual de São Paulo, aqueles reservas que contratam sob a desculpa de que o campeonato ou o calendário é longo. Imagine o Paulo Bayer, que deixou o Próspera para trabalhar no Criciúma, reclamando do calendário? 


9 - Gols e Detalhes

O Chelsea está na final da Champions e o PSG não está. O treinador do Chelsea, Thomas Tuchel, foi dispensando do PSG junto com o zagueiro Thiago Silva, que mandou um recado: “Eles tomaram a decisão de deixar-me sair e despediram Tuchel. É difícil explicar, mas estamos aqui...”

10 - Superliga

Você é contra a NBA, a liga americana de basquetebol? Esta liga americana não tem rebaixamento. É uma competição esportiva com sucesso. Tem seguidores e audiência na TV em todos os países. É um torneio fechado. O presidente da FIFA, Gianni Infantino, condena um campeonato fechado. Mas esquece que quem paga os custos dos clubes não são os torcedores e nem o público nos estádios. Quem paga é a TV e a audiência. Eu achei a ideia da Superliga da Europa uma boa, mas os jornalistas e ex-jogadores não, e induziram a volta dos hooligans, que mostraram a cara de novo. Penso que a superliga iria tirar o poder destes torcedores que em vez de torcerem, querem mandar no clube. Pior! Sem assumirem os gastos.

11 – Movimento Nosso Avaí

É um grupo de conselheiros do Avaí que tem como porta-voz Fábio Salum. Uma oposição a diretoria de Francisco Battistotti. Ao contrário de trocarem ideias para melhorar a administração do clube, acreditam que sabem tudo e que irão fazer melhor. O clube deu lucro, não está à beira da falência, nem pediu concordata como o adversário. Para eles o que foi feito de bom não interessa, interessa é que a turma do Fabio Salum, na ilusão, acredita que sabe tudo de administração de futebol.

12 - Uma perda pra mim

Meu amigo Gilberto Gerlach morreu. Esta coluna de hoje é em homenagem a ele, em agradecimento ao que fez pela cultura de Sanzé, da Ilha e do Estado. Vá em paz, Alemão!

Fim.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Junho 17, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Junho 14, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Junho 10, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Junho 07, 2021

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!