Janeiro 18, 2021

Nossa Jogada

Nossa Jogada
Divulgação/Arquivo

1 – Hospital Imperial de Caridade

Quanto você acha que custa este hospital? Quanto custou construir, equipar, contratar pessoal, gasta com alimentação, insumos e impostos. Você sabe? Você que anda falando que deveriam construir hospitais e não estádios. No ano passado depois de uma longa negociação este Hospital de Caridade foi arrendado. Quem arrendou prometeu pagar as dívidas, manter os funcionários e investir nos próximos 10 anos 500 milhões de reais, correspondente a 10% do valor da negociação. Um hospital de campanha, para atender as necessidades da pandemia, custa 100 milhões de reais. No Caridade você gastaria 5 bilhões de reais. O Centro Cirúrgico e a UTI, montado há 15 anos, custaram 1 bilhão de reais. São 25 mil metros quadrados e 256 anos de história. Ele será devolvido a Irmandade do Senhor dos Passos dentro de 30 anos, com as dividas pagas e os imóveis, pertencentes ao Hospital, liberados de penhoras.  

 

2 – Arena de Manaus

Foto: Divulgação

Construída para a Copa do Mundo de 2014 custou R$ 660,5 milhões, segundo o Ministério do Esporte e foi inaugurada em 9 de março de 2014. Daria para construir um hospital? Um que não atenderia a demanda da pandemia. Manaus vive um colapso sanitário. Não há vagas para internamento. No ano passado alguém poderia pensar que o mundo passaria por esta crise? Não. Então como construir hospitais para atender esta demanda provocada pela pandemia? E nem seria construído em um ano. Construir um estádio ou um Hospital demora cinco anos. Não fale bobagem de que o povo precisa de hospitais e não estádios de futebol. Lembre que em época normal o povo precisa se divertir, de segurança, educação e de um serviço de saúde publica. Cabe ao Estado prover.

 

3 – Palavras

Antes de escrever ou de contar uma historia lembre-se de um conselho de Winston Churchill: "Palavras curtas são as melhores, e quando são velhas e curtas, são melhores ainda". No original: Short words are best and the old words when short are best of all. Churchill (1874-1965)"

 

4 – Desculpas e lamentos

No futebol se reclama de bola, do terreno, do estádio, da iluminação de quando o chute sai errado, do arbitro que apita, do "bandeirinha" que assinala, do VAR, do adversário que cai em campo. Reclamam e lamentam tudo, até dos laboratórios que realizam testes protocolares, 72h antes de um jogo, por causa da Covid-19. Os argentinos torcedores do River Plate não reclamaram como reclamamos.

 

5 – Valdívia outra vez positivo

No dia do jogo contra o CSA nove jogadores do Avaí realizaram testes,  72h antes do jogo contra o Juventude que ocorrerá amanhã na Ressacada, por exigência protocolar da CBF, quando foi constatado que Valdívia dera positivo. O resultado saiu depois do jogo iniciado e o "delegado" só pode avisar no intervalo. O Avaí desconfiou. Totti quis anular o resultado, desconfiaram do laboratório que pertence a dirigente do CSA, que o Avaí fora prejudicado e decidiram no domingo submeter o jogador a outro exame, que confirmou a infecção pelo novo Coronavírus. Valdívia continua em Maceió, isolado e sob os cuidados do dr. Pedro Araújo. As desconfianças dos dirigentes do Avaí do resultado aferido pelo laboratório LUFER, de propriedade do superintende de futebol do CSA, Lumário Rodrigues. Imagine se fosse aqui e o laboratório fosse o do João Nilson Zunino? "Totti" usou a mídia e queria anular o jogo CSA 1 X Avaí 1.

 

5 – Não sobem mais e periga

O Avaí ao ser derrotado no clássico contra o Figueirense perdeu o caminho de volta a Série A. Ao empatar com o CSA em Maceió, ficou mais distante. O Juventude, que enfrentar o Avaí amanhã, empatando tira todas as chances do Avaí subir. Enquanto que o Figueirense está a frente de Náutico e Vitoria, mas necessita de duas vitorias ou "fazer" os mesmos resultados dos dois adversários na luta pela permanência.  

 

6 – Contaminou quem?

O treinador Claudinei Oliveira pensou que o afastamento de Valdívia fosse "armação". Nem se preocupou que poderia ter contaminado outros jogadores. Quem será o próximo positivo?  Claudinei não se preocupou com a vida de outro jogador. O afastamento de Valdívia parecia que era como a ausência de Pelé numa Copa do Mundo. Menos, menos porque nos 45m do primeiro tempo, Valdívia deu um chute ao gol do adversário.

 

7 – Vinte clubes, vinte adversários

Avaí e Figueirense jogaram e jogarão até o final da Série B contra os mesmos 19 adversários. Até agora, em 35 jogos, a defesa do Avaí sofreu 44 gols, uma defesa formada por jogadores bem recomendados. A do Figueirense, sem jogadores conhecidos, sofreu 35 gols nos mesmos 35 jogos.

 

8 – A série B do Estadual

Que será disputada em 2021 terá: Tubarão; Barra; Caçador; Inter de Lages; Guarani e Fluminense e mais três clubes promovidos da Série C do Estadual de SC, que são: Nações; Atlético Catarinense e Carlos Renaux. Esta semana pode sair a definição da formula e as datas do campeonato.

 

9 - Salários atrasados 

Há dois meses no Avaí; Inter de Milão; Santos; Cruzeiro; Vitória e Chapecoense. Os salários estão atrasados há dois meses e meio. Os dirigentes nunca deixam atrasar por três meses, por causa do tempo de quebra de contrato. Falta um mês para o termino da temporada 2020, muitos jogadores não permanecerão, por isso estão aflitos. Os que irão embora querem receber. Conselheiros pressionaram o "Totti". Os jogadores querem receber o 13°, metade de outubro e o restante antes do final do campeonato. Hoje o presidente "Totti" disse que pagara uma parte. Mas é provável que espere até quarta-feira. Eu chamaria um po um e pediria que cantasse o hino do clube. Quem soubesse ficaria.

 

10 – Hipocrisia

Não existe hipocrisia maior do que rezar antes, durante, no final, quando faz ou quando perde um gol. Cultuar uma religião é de cada um, seja judeu, cristão, mulçumano, ateu, espirita ou evangélico. Ninguém é obrigado a professar a mesma religião, ainda mais quem não sabe se comportar na hora do minuto de silencio. 

 

11 – Bandeirinha

Só tem utilidade em jogo que não tem VAR. Mais uma vez ficou comprovado na decisão da Supercopa da Espanha no jogo Athlético x Barcelona. O time basco teve um gol anulado, por impedimento, depois da consulta ao VAR. O bandeirinha não assinalou. Este Athlético de Bilbao, campeão da Supercopa, tem como norma contratar só jogadores que nascem na região, de pai ou mãe "basca". Na Ilha para jogar no Avaí ou Figueirense o jogador têm que vir de São Paulo, Rio e bem recomendado.

 

Fim

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Fevereiro 25, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Fevereiro 22, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Fevereiro 18, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Fevereiro 15, 2021

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!