Abril 22, 2021

Nossa Jogada

Nossa Jogada
As.com

1 - Por mérito

O Hercílio Luz se classifica e não permite que o Figueirense continue no Estadual. Por méritos, o Próspera se coloca em sexto lugar e, o Criciúma[i] é rebaixado de Divisão. Na Segunda Fase, cada clube classificado terá que disputar dois jogos eliminatórios, e será assim que Hercílio x Chapecoense; Próspera x Avaí; Joinville x Brusque; Hercílio x Chapecoense e Marcilio Dias x Juventus; os vencedores passarão para semifinais do Estadual 21.

2 – Em ruínas

Os deputados federais derrubaram o veto presidencial ao adiamento da dívida dos clubes de futebol com Profut[ii]. Como? O Congresso atendeu a um pedido do presidente Francisco Battistotti, do Avaí, que representa a Associação Nacional de Clube de Futebol, alegando que os clubes de futebol vivem uma crise econômica provocada pela pandemia que afastou o público dos estádios e reduziu as receitas, em especial a de publicidade. Como? Os clubes estão em crise econômica e inscreveram 50 jogadores, demitem treinadores, mantém os custos elevados e alegam que não têm dinheiro? Pagam milhões por mês aos jogadores, continuam contratando, gastam mais do que arrecadam e dizem que estão em crise? Lembro, se você não sabe que este dinheiro que devem são parte dos impostos que sacaram dos salários dos jogadores, empregados o que configura um crime de depositário infiel.

3 - Calendário

Os clubes de futebol no Brasil podem registrar por temporada 50 jogadores. Com tantos jogadores inscritos os treinadores reclamam do calendário, que jogam muito. Eles têm 50 jogadores e reclamam? São cinco jogadores para cada posição. Os quatro reservas servem para quê?

4 – Desperdício de tempo e dinheiro

Calcule o prejuízo de luz, tempo na televisão, horas extras, adicional noturno causado por um árbitro que gastou oito minutos para decidir o final de lance, em um jogo de futebol, consultando o VAR e os auxiliares. Os jogadores esperando; o público em casa entediado, a TV pagando e atrasando o início de outro programa. Foi um ato de indecisão provocado pela natureza ou pelo coração de mãe, que não gosta de punir.

5 – Usando o que é dos outros

As seleções que participam dos torneios promovidos pela UEFA e FIFA, que rendem milhões de euros, usam jogadores dos clubes de futebol. Um ranço oportunista ou amadorístico. Sei quanto ganha o LeBron James, astro da NBA, mas eu não sei quanto ganha o presidente da UEFA, da FIFA e da CBF. Você sabe? Os últimos: Platini (UEFA), Blater (FIFA) e José Maria Marins (CBF) foram afastados por corrupção na única vez que o FBI entrou na Suíça, e entrou para levar presa a cúpula da FIFA. Ainda tem coisa escondida na Suíça.

6 – Legal

O juizado europeu aceitou a cautelar impetrada pelos 12 clubes, tornando a Superliga legal na Europa. Os clubes não podem ser afastados das competições oficiais, nas quais estão envolvidos os 12 clubes que assinaram um contrato vinculante com a criação da Superliga. A FIFA e UEFA não poderão apelar à justiça europeia. Apelaram aos governantes dos países, prometendo aos proprietários de clubes liberar os investimentos, fraudando o “fair play” financeiro. A política do é dando que se recebe.

7 – Superliga

Era uma boa ideia. Uma mudança, um novo normal, mas o mundo do futebol é conservador. Bradaram pelo mérito e foram contra a criação da Superliga fechada para 12 clubes, que permitia a entrada de cinco por méritos. O futebol na Europa, deveria seguir os passos da NBA – o basquete norte americano ou da NFL – o futebol dos USA, tanto que a empresa financeira JP Morgan pagaria 10 bilhões de euros aos 12 clubes que receberiam um adiantamento de 300 milhões para participarem. Uma boa ideia. Foi um erro rejeitarem. É um caminho a seguir, mais cedo ou mais tarde. Os clubes de futebol estão em ruínas, falidos. O público saiu dos estádios para a mídia, redes sociais, plataformas e a contribuição dos fãs é pequena. Adolescentes não frequentam estádios, vivem vidrados no telefone, respondendo “posts” ou jogando a “Playstation”.

8 – Estadual

Os jogos da segunda fase do Estadual de SC não terão Criciúma e Figueirense. Imagine o dono da televisão que comprou os direitos de imagem e as empresas que patrocinaram o campeonato? Que audiência terá Marcilio Dias e Juventus? Por que será que a TV Record está transmitindo o campeonato carioca? O mérito da audiência e o interesse financeiro no futebol profissional não conta? O futebol no início do profissionalismo representava as indústrias, chamadas de usinas na Inglaterra, no século XIX, o futebol serviu para evitar greves, como o Metropol em Criciúma. Veja aqui.

9 – Quem mantém o futebol?

Ora, os clubes grandes. Sem eles não tem dinheiro. Representam 2 bilhões de aficionados. Mas como ordenar um novo tempo para o futebol sem ouvir estas pessoas? Os torcedores acreditam que estas grandes corporações são suas. Não são! Mas os proprietários também aprenderam que não são tão proprietários assim.

10 – Mundiais e Eurocopa

Imagine uma Eurocopa e um Mundial sem eles: Ter Stegen, Ramos, Ronaldo, Henry Kane e Griezmann. Marca.com.es

A UEFA ameaçou aos jogadores: “Eles não poderão representar suas seleções na Eurocopa”. Então reagiram contra a criação da Superliga. Você acredita que a Eurocopa e o Mundial teriam sucesso sem os melhores jogadores do mundo? A história conta que os jogadores de basquete da NBA não participavam de Mundiais da FIBA e das Olimpíadas do COI. Sem eles não havia graça. Hoje os jogadores do mundo estão na NBA e não tem como proibi-los. Seria assim também no futebol.

11 – Argumento

“Vamos ajudar o futebol em todos os níveis e levá-lo ao seu devido lugar no mundo. O futebol é o único esporte global com mais de quatro bilhões de fãs e nossa responsabilidade como grandes clubes é responder aos seus desejos”. Florentino Pérez, presidente do Real Madrid e da Superliga.

Fim.

_________________________________________

[i] Desde a sua fundação em 1943 o Comerciário, travestido de Criciúma numa caiu para a segunda divisão. Agora o povo da Região de Criciúma vai torcer pelo Próspera, um clube de bairro e de uma antiga mineradora.

[ii] O Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (PROFUT) foi criado através da Lei 13.155 (2015) com o objetivo de melhorar a gestão financeira dos clubes brasileiros, alterando o Estatuto do Torcedor. Com isso, a participação dos clubes nos campeonatos ficariam condicionadas a comprovação de que a instituição estaria em dia com seus tributos.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Maio 06, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Maio 03, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Abril 29, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Abril 26, 2021

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!