Outubro 22, 2020

Nossa Jogada

Nossa Jogada

1 – Vote

Quando a NBA inicia alguma campanha social a faz para unir e não para dividir. Como nas finais em Orlando contra o racismo: Black Lives Matter. Queria trazer isto para o Brasil, porque na sua população há pessoas que gostam de esporte e são de todas as raças, origens, sangue, migrantes e imigrantes. Quando um atleta representa o Brasil em competições, está representando estes brasileiros de todas as tendências, partidos, escolhas, gêneros, cor de pele, religião... Ele não representa um partido ou uma tendência política. Quando fala, fala para e por todos os brasileiros.

 

2 – Sócios

Um clube de futebol é formado por sócios. Quando alguém entra como sócio não se exige que tenha partido político, em quem votou, que presidente gosta, que religião confessa. E se for exigido ao candidato qualquer destas tendências ele denuncia a instituição por discriminação. Cresci com os clubes sociais distinguindo preto de branco, havia bailes de brancos e de pretos.  Hoje se um clube ou um restaurante for exigir a entrada só de brancos ou só de negros, você sabe o que acontece. É um crime.

 

3 – Representação

Quando um atleta representa um F. C., está representando os sócios de todas as tendências, de todos os partidos. Nesta eleição, do próximo mês, tem candidato a vereador de todos os partidos como: PSOL, PMDB, Podemos, PCdoB, PT. O jogador quando está vestindo a camisa do clube ou da seleção deve respeitar seus seguidores. O Romário como senador deveria saber a diferença entre público e privado antes de apresentar um projeto de lei pedindo liberdade de expressão para os atletas. Eles não são proibidos de se manifestar, não podem é quando estão vestindo a camisa de uma instituição.

 

4 – Lei do Romário

Se aprovada, todo jogador ao fazer um gol, ao sair do gramado poderá ostentar uma camiseta por baixo dizendo o que quiser, o partido que vota, o candidato que escolhe e fazer campanha contra e a favor do racismo. Liberdade de expressão é ter liberdade de expressar seus pensamentos. Nunca ninguém é condenado por pensar. Quando se expressar, o faça como pessoa privada e não representando uma nação, uma instituição ou um clube de futebol.

 

5 – Internacional

Cheguei à conclusão que o Valdívia joga "muito". Joga "muito" bem, apesar de carregar "muito" a bola até perder para o adversário. Cheguei a esta conclusão ao saber que ele é tão bom que o Internacional de Porto Alegre paga o salário dele para jogar no Avaí.

 

6 – Para subir

Tem que vencer. Não pode jogar para defender. O Avaí jogou contra o Juventude para se defender, pelo empate, que lhe garante o emprego do treinador. Para subir precisa vencer. Querem a prova? Entrou com três zagueiros, tomou um gol, tirou um deles e colocou um atacante. Não me venha com “xurumelas”.

 

7 – Defesas

Avaí e Figueirense disputam a Segunda Divisão. A defesa do Avaí tem um déficit de (-4 gols) e o Figueirense de (-5 gols). Um gol de diferença. Geninho trouxe o zagueiro Alan Costa e o lateral João Lucas e jogou com três centrais. A defesa do Avaí não melhorou em nada. Não demora vai pedir outro goleiro. Esperem!

 

8 – Como pagam

O PROFUT é o Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro criado através da Lei 13.155 (2015) com o objetivo de melhorar a gestão financeira dos clubes brasileiros. A participação destes nos campeonatos está condicionada a comprovação de que estão em dia com seus tributos. Tanto a CBF como o governo fazem vistas grossas. Só a FIFA pune. A dívida dos tributos deveria ser paga com a renda dos jogos, mas como não tem público, como estão pagando?

 

9 – Felipão no Cruzeiro, falido

Greta Garbo quem diria. Acabou no Irajá. De campeão do mundo, de treinador de time na Europa, acabou no Cruzeiro, em crise institucional e financeira. Não pode contratar nenhum novo jogador e venceu com as calças na mão o Operário de Ponta Grossa.

 

10 – Divisões

A Chapecoense é líder sem contratar jogador de nome, de bagagem e de agrado dos torcedores. O Avaí não entrou no G4 e o Figueirense saiu da zona de rebaixamento vencendo o CRB por 2 a 0. Na Série D, o Tubarão é lanterna; Marcilio Dias no G4; Joinville em quinto e na Série C, o Brusque é líder e Criciúma tenta entrar nas vagas as disputas do play off.

 

11 – Dono de um dia na semana

Igreja era dona do domingo. Todos corriam para a missa. Um dia na semana era dela. Como no mandamento: um dia dedicado a guardar domingos e dias santos em nome do Senhor. Agora o domingo e todos os outros dias da semana tem um dono: o futebol. Uma corporação que envolve mais de 50 milhões de pessoas só no Brasil. Gera emprego, riqueza e gente que deixava de comer para ir ao estádio aos domingos, principalmente. 

 

Fim.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 21, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 18, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 14, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Janeiro 11, 2021

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!