Fevereiro 25, 2021

Nossa Jogada

Nossa Jogada

1 - O rádio

Por onde andei, a função de uma rádio é atender aos interesses do público e também um dos valores da notícia é a proximidade. O ouvinte saber o que Moisés e Gean andaram dizendo, assim como os fatos do futebol de Avaí e Figueirense. Neste período, de crise sanitária, os repórteres de rádios contam histórias e descreveram lances que transformam desconhecidos em “heróis” e vilões. Eles estão associados a uma rádio em que notícias de futebol chegam com rapidez.  É por uma rádio que se fica sabendo o que acontece antes, durante e depois de um jogo de futebol. Na década de 70, na Ilha, antes da transformação da mídia impressa, as rádios locais davam importância às notícias dos clubes do Rio e São Paulo. Uma época em que os comentaristas imitavam Rui Porto e Mario Moraes, como Brígido Silva e Newton Viegas. Nossos narradores se espelhavam nos cariocas e gaúchos. A partir daí nossos repórteres de rádio e jornal abandonaram a “gillete press” e o “rádio escuta”, saíram à rua para acompanhar os treinos, junto com os setoristas de jornais. Mas com o tempo.

 

2 - Assessores

Os clubes e alguns jogadores contrataram assessores, que deveriam facilitar a relação deles com a mídia. Facilitar! Mas os treinos se transformaram e os treinadores criaram dificuldades. Um dia no clube passou a ser segredo de estado e os repórteres foram impedidos de ter acesso aos jogadores e treinadores. Então, através do “control C e control V” em qualquer site, se tornou mais fácil saber o que anda acontecendo no Corinthians e Flamengo do que na Chapecoense ou na “dupla” da Capital. E quando chega um “haole” numa rádio, jornal ou televisão aí você se torna cúmplice dele, que quer saber o que está acontecendo, de onde veio e se importando muito pouco com o que nos interessa. As notícias do Rio e São Paulo passaram a ser muito mais importantes do que as de Biguaçu, Sanzé, Palhoça.

 

3 - Ignorância

É o que penso sobre os atuais comentaristas de arbitragens nas rádios e televisões. Ignorância, no sentido de ignorar às regras do jogo de futebol que deveriam saber, mas são esquecidas e não sei porque razão. Será que é tão difícil acompanhar as modificações e recomendações que a Internacional F. A. Board exige de um árbitro com o distintivo da FIFA, pois a integridade física de um adversário deve estar em primeiro lugar, por isso devem mostrar o cartão vermelho, por uma decisão tomada em 1998, que determinou que “entradas” por trás são sancionadas com expulsão. Estas decisões estão aqui, para quem quiser se atualizar.

 

4 - Regras do jogo

Nas escolas privadas na Inglaterra, onde se originou o futebol moderno, no século XIX, um cavalheiro nunca deveria cometer uma falta deliberadamente. Eles jogavam futebol sem árbitro, mas em 1891 acharam necessário ter alguém que dissesse se ocorreu falta ou não. E foi a Associação Irlandesa a primeira a autorizar a presença do árbitro sobre o terreno de jogo, antes apitavam da lateral.

 

5 - Reclamação

Reclamavam que não tinha árbitro, colocaram um na lateral e depois dentro do campo; reclamaram que o árbitro não podia ver os impedimentos, colocaram auxiliares pelas laterais; reclamaram que os treinadores estavam muito longe, permitiram que ficassem sentados atrás das goleiras; reclamaram que era longe, colocaram-no no meio de campo e eles se levantaram e  reclamaram que os jogadores não entendiam o que aos árbitros estrangeiros falavam, criaram os cartões amarelos e vermelhos; reclamaram que se um jogador se machucasse ficariam em desigualdade, permitiram duas substituições e mais o goleiro; reclamaram do número de jogos, sem saberem o que é calendário, quantos domingos e semanas tem um ano, criaram as férias; reclamaram de que o jogo teria que ter mais de três árbitros, criaram o quarto árbitro; reclamaram das arbitragens e criaram o VAR; reclamaram do VAR e se inventarem outra tecnologia irão reclamar.

 

6 – Primeira Rodada do SC

O Avaí no seu estádio venceu o Juventus de Jaraguá por 2 a 0, o Ronaldo jogou, mas quem marcou os gols foram Getulio e Matheus Lucas; em Itajaí o Brusque derrotou o Marcilio Dias por 2 a 1 e em Criciúma o jogo terminou em um gol entre o local e o Hercílio Luz. Hoje jogam à tarde, na Ressacada: Metropolitano e Figueirense; Próspera x Joinville e no Meio Oeste: Concórdia x Chapecoense.

 

7 - Eu vi o Inter ser campeão

Contra o Cruzeiro, no Estádio Beira Rio, em 1975. Os “colorados” conquistaram o primeiro título com um “timaço” sem precisar de apoio financeiro de um aficionado do Mato Grosso do Sul para colocar no terreno de jogo de Manga a Lula. O jogo foi no Gigante da Beira Rio e, no colorado jogava Valdomiro. Três anos antes, na curva norte do estádio escutei: “Catarina, na tua terra não tinha um jogador melhor?” Respondi: “Vocês irão chorar quando ele sair”. Naquela época, até o Sergio da Costa Ramos criticava o Valdomiro quando estava na seleção brasileira.

 

8 - Eles deveriam saber

Sobre o que andaram discutindo e falando durante a semana após o jogo Flamengo e Internacional, tire suas dúvidas assistindo este vídeo e, se for ansioso, vá até o final e observe as últimas ilustrações, aqui.

 

9 - Inveja

O monumental estádio do Lille, da França, onde jogava Gabriel Guimarães, ex-jogador do Avaí, formado no Carianos, e que defende o Arsenal de Londres. Que inveja: aqui.

 

10 - Homenagem

Raphinha, ex-Avaí, marca pelo Leeds e homenageia a mãe de Ronaldinho Gaúcho: "Meu maior ídolo". Quando é que ele vai homenagear o M10?

Fim.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Abril 19, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Abril 15, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Abril 12, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Abril 08, 2021

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!