Abril 26, 2021

Nossa Jogada

Nossa Jogada
Foto: Guilherme Hahn/iShoot

1 - Mudar a atitude

O futebol tem que mudar. Não se paga para assistir na televisão o fim de um jogo da Série A de profissionais, uma briga generalizada, como mostra a foto acima. Ao final do jogo em Criciúma, entre o Próspera 0 e 1 Avaí, jogo válido pela primeira partida das oitavas de finais do Estadual de 2021, o treinador Paulo Bayer entrou no terreno de jogo para provocar um tumulto. Os patrocinadores de camisas e de placas nos estádios não desejam ver seus produtos e nomes envolvidos em badernas. Todos são culpados e não há punição, há não ser pelos cartões vermelhos que foram mostrados para seis pessoas. Um espetáculo deprimente que o espectador paga e termina como se fosse uma pelada de rua entre times de bairros. Profissionais devem ter responsabilidades com a profissão. O técnico do Avaí, Claudinei, foi bater boca com um jogador do Próspera. Pior é que este jogo e os outros serão disputados nesta quarta-feira, 28, porque este primeiro resultado não define os classificados para as quartas de final. Tudo terminou assim: Hercílio Luz 0 x 0 Chapecoense; Joinville 2 x 2 Brusque; Marcilio 1 x 0 Juventus e Próspera 0 x 1 Avaí. Ah, os ex-juvenis salvaram o Avaí novamente, enquanto os de nome, os veteranos, eles vivem de ilusão.

2 - Camisa 10

Podem discordar de mim, mas este Valdívia, que joga com a 10 no time do Avaí, nem se compara com: Nizeta, Cavallazzi, Zenon, Bira Lopes, Adilson Heleno, Cleber Santana e Marquinhos Santos. O nível do futebol moderno, que os jornalistas de hoje dizem que não se compara com o do meu tempo, do século passado, é muito baixo. Não tem um 10 que eu possa elogiar. Quanto ao Figueirense? Está de férias, de licença temporária.

3 - Ajuda

Não é função do árbitro Luiz da Silveira, que mediou o jogo entre o Hercílio Luz e a Chapecoense, ajudar o goleiro a se levantar. Há médicos, massagista e jogadores para fazer isso. Ele foi indicado para arbitrar um jogo de futebol. Assim como o Cidral, que apitou Próspera e Avaí, não tem que perder tempo para dizer aos jogadores e treinadores o que ele decidiu. Os profissionais devem dominar a regra do jogo e se não estiverem de acordo com o que o árbitro decidiu, que este puna os faltosos, mostrando o cartão amarelo ou vermelho. E acabem criando uma regra impedindo que os jogadores, dirigentes, auxiliares e treinadores corram, ao final do jogo, e cheguem perto dos árbitros para contestarem, intimarem ou cumprimentarem os árbitros. Explicação é para porteiro de boate.

4 - Cancha

No prado, onde os cavalos correm, o futebol bebeu algumas palavras como “cancha” de areia ou de grama, local onde os cavalos correm. Nos hipódromos são sempre um “brinco”. O que assisti ontem pela TV, nos jogos iniciais da segunda fase do Estadual, os gramados não são de primeira, não são “canchas” para equipes e planteis de times de Série A.

5 - A torcida quer? Que pague o prejuízo

Os proprietários do Manchester United, da família americana Glazer, fixaram um preço de 4,5 bilhões de euros para vender o clube, em meio aos protestos dos torcedores, contra a participação de MU no projeto de criação da Superliga. Este valor é o que a família calculou que deixará de faturar, porque a Superliga não irá adiante. Como os torcedores protestaram, os donos acreditam que eles são responsáveis pela perda financeira que o clube terá. 

6 - Dívida e Profut

Os clubes de futebol do Brasil levaram ao Congresso Nacional um documento dizendo que não têm dinheiro para pagar a prestação do Profut, mas vivem gastando e contratando, como: Huck, Marquinhos, Cuca e virão mais jogadores. Estou citando o Atlético Mineiro, que revelou ter uma dividia de R$ 1,2 bilhão, mas continua contratando. A CBF deixa?

7 - Copa do Brasil

Na terceira etapa da Copa do Brasil entraram 12 novos times: os oito classificados para a Libertadores (Atlético-MG, Grêmio, Flamengo, Fluminense, Inter, Palmeiras, Santos, São Paulo), o nono colocado do Brasileiro (Athletico) e os campeões da Série B (Chapecoense), da Copa do Nordeste (Ceará) e da Copa Verde (Brasiliense). Ente eles estão os de SC - Avaí, Chapecoense e Criciúma. A CBF divulgou a relação dos jogos: Athletico x Avaí; América-MG x Criciúma; Chapecoense x ABC-RN e ainda Palmeiras x CRB; Flu x Red Bull; Ceara x Fortaleza; Corinthians x Atlético Goiano; Santos x Cianorte-PR; Bahia x Vila Nova; Palmeiras x CRB; São Paulo x 4 de Julho-PI; Grêmio x Brasiliense; Atlético-MG x Remo; Internacional x Vitória; Cruzeiro x Juazeirense-BA; Flamengo x Coritiba e Vasco x Boavista-RJ. As datas ainda não foram reveladas.

8 - Prejuízo

A CBF teve em 2020 uma queda de faturamento de 25% nas receitas em comparação com 2019. Assim mesmo registrou um superávit de R$ 48,8 milhões. O saldo é de R$ 190 milhões. A arrecadação foi de R$ 716 milhões e isto tudo as custas dos clubes de futebol.

9 – A UEFA

Quer punir os clubes que se uniram para formar a Superliga, em especial Real Madrid, Barcelona e Juventus que continuam com a ideia de que a Superliga irá salvar os grandes clubes da Europa. Há muitos intermediários ganhando dinheiro às custas dos clubes de futebol. O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, quer punir os três, mas esquece que para punir é preciso do apoio dos demais.

10 - Calendário

O Palmeiras jogou neste domingo a 30ª partida no ano. Só o Bahia tem mais de 30 jogos, por disputar da Copa do Nordeste e Campeonato Estadual em dias seguidos. Josep Guardiola, treinador do Manchester City, reclama, mas festejou mais uma conquista de uma Taça na Inglaterra e é líder do Campeonato Nacional. Se não quer jogar, que faça como o Figueirense: não se classifique e cai para outra divisão.

11- O Futebol no Brasil

O Manchester City anunciou a contratação de Kayky, 17 anos, e defende o time titular do Fluminense. O jogador só irá para a Inglaterra em 2022. O Flu recebeu R$ 66,5 milhões e terá direito a bônus de até R$ 73,2 milhões, dependendo do rendimento de Kayky. A direção do Fluminense vende uma promessa para pagar os salários de Fred e Nenê, que está perto de 40 anos. O City não levou o Nenê!

12 - Sindicato de Jogadores

Felipe Melo e Para querem que o atual presidente do Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo (Sapesp), Rinaldo Martorelli, deixe o cargo porque ficaram sabendo que ele ganha R$ 50 mil por mês, salário que o Avaí paga aos jogadores. Martorelli foi eleito em Assembleia Geral e está no poder há 10 anos. Os líderes deste pedido, com ajuda da mídia, Felipe Melo do Palmeiras e Pará do Santos, ainda não sabem que é tão simples tirar Martorelli: formem uma chapa, convoque os jogadores filiados e concorram a eleição.

Fim.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Maio 06, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Maio 03, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Abril 29, 2021
Exclusivo

Nossa Jogada

Abril 22, 2021

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!