Abril 26, 2021

O que divulgar, além da pandemia

O que divulgar, além da pandemia

Sem dúvidas, em um momento excepcional, de um vírus que adoece o mundo, é um dilema para editores escolher o que noticiar. É tão massacrante o volume de fatos negativos que parece um contrassenso encontrar notícias positivas. É obvio que elas existem, mas para isso é preciso pautar, sair às ruas, movimentar a estrutura do jornalismo. No momento elas estão exageradamente recolhidas, como se fazer entrevista propiciasse a transmissão do vírus de maneira incondicional.

 

Meio-Dia

A programação depois do almoço tem um fato novo, há uma semana, que é a edição local do SBT "A Tarde é nossa". Com três apresentadores (foto) – Maria Ester, que continua no ar após o SCC Meio-Dia, Laércio Botega e a personagem Dona Maricotinha – o programa começa antes da “Hora da Venenosa”, da NDTV, tentando encorpar o horário local e concorrer no Ibope.  

O novo espaço do SCC é mais do mesmo, no estilo colorido da casa, mas tratando de temas onipresentes nesse tipo de programa, como exemplo, os barracos do BBB 21. Nesta segunda-feira, 26, um dos assuntos em destaque foi fases da lua. 

Nesses tempos pandêmicos, pode servir de alívio para quem está em casa e ainda curte TV aberta nesse horário.

 

Prisco

O destaque do SCC ao meio-dia continua sendo o comentário de Claudio Prisco Paraíso, por volta das 13 horas, que trata de assuntos políticos em geral, com boas informações de bastidores e opiniões muito posicionadas. Mas, recentemente, Prisco tem exagerado em criticar os ministros do STF, PT e Lula.

Chegou a escrever no SCC10 sob o título “Ladrão”, que não tem preconceito contra Lula e o PT, mas termina dizendo que se o ex-presidente disputar a eleição, antes terá que dar explicação “porque é bandido e ladrão, sim”. 

O texto do comentarista soa parecido com certo esquadrão de ódio que infesta a internet e provavelmente já deve ter recebido alguma observação interna, tipo “calma Prisco”. Afinal, certos destemperos podem até ser assimilados na área política, mas no jornalismo não. 

 

RBS

 

Que a pandemia impacta no resultado das empresas não há dúvidas. Quando surgem exemplos são imediatamente notados, como é o caso do balanço do Grupo RBS publicado recentemente na imprensa gaúcha.

A holding RBS Participações diminuiu resultado em 23%, fechando 2020 com um lucro de 36,9 milhões. Zero Hora, principal jornal impresso do Grupo, deu prejuízo de 23 milhões de reais. A Rádio Gaúcha, outra líder de segmento, teve queda de resultado em relação ao ano anterior, mas fechando ainda com lucro de 4,2 milhões de reais, 50% menor que 2019.

Recorda-se que Rádio Gaúcha vem ancorando o salvamento de Zero Hora com um site único e gerador de informação chamado de GZH

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!