21.6 C
fpolis
21.6 C
fpolis
terça-feira, 16 agosto, 2022

OS ÚLTIMOS 150 DIAS DE DANIELA REINEHR NO GOVERNO DO ESTADO

Últimas notícias

No dia 1º de janeiro de 2019 Carlos Moisés da Silva e Daniela Rodrifeer Cristina Reinehr assumem o comando do estado de Santa Catarina numa solenidade na Assembleia Legislativa.

Algo impensado no início de uma campanha onde Gelson Merísio, na época no PSD, e Mauro Mariani (MDB) eram disparados os favoritos para a vitória nas eleições estaduais de 2018.

Mas a chamada onda 17, que era o número do então candidato a presidente do PSL, Jair Bolsonaro, acabou varrendo a maioria dos favoritos Brasil afora e em Santa Catarina não foi diferente.

Moisés e Daniela desbancaram Mauro Mariani no 1º turno e venceram o segundo turno com muita facilidade o candidato Gelson Merísio.

Desde então o governo Moisés foi uma montanha russa, onde começou por cima e com muita credibilidade do eleitor catarinense, mas caiu vertiginosamente a partir de 2020, com os dois processos de impeachment e a compra desastrosa de 200 respiradores por R$ 33 milhões.

No início de 2020 Moisés e Daniela já não se falavam mais e ela acabou isolada em um governo que não a reconhecia mais com vice-governadora.

Vieram os dois processos de impeachment contra Carlos Moisés, Gelson Merísio usou Daniela para tentar tirar Moisés do cargo e por 30 dias ela comandou Santa Catarina com o apoio de lideranças estaduais que logo mudaram de lado.

Moisés entendeu como era o jogo, através do MDB trouxe a maioria dos deputados estaduais para o seu lado e a partir daí Daniela Reinehr passou a ser uma figura decorativa em um governo que passou a patrolar todos os adversários de todos os partidos.

Há 157 dias do fim, Daniela Reinehr vive seus últimos dias de vice-governadora e vai disputar uma cadeira na Câmara Federal nas eleições desse ano, mas como no Oeste do estado há muitos candidatos, não há nenhuma garantia de vitória.

Mas ela pode surpreender e novamente ser eleita na onda de Bolsonaro, mas também pode perder e acabar caindo no esquecimento como ocorreu dentro do próprio governo, que participou apenas no primeiro ano e depois foi escanteada.

É fato que ela sempre será lembrada como a primeira mulher vice-governadora de Santa Catarina, mas ainda assim faltou exigir respeito de um governador que a isolou na residência oficial.

Ocupando o cargo de vice-governadora há três anos e sete meses, ela vai deixá-lo sem que o catarinense possa identificar que determinada obra tem a assinatura de Daniela Reinehr.

Sergio de Oliveira
Jornalista formado pela UniSociesc tem graduação também em Gestão Comercial pela Uniasselvi. Foi dirigente e consultor nas Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDL) de Blumenau e Gaspar. Tem experiência em comunicação governamental, com passagem por órgãos públicos de Blumenau. Atua na área de comunicação desde 1993 com passagens por veículos como Rádio Atlântida FM, Rede TV Sul, Rádio Blumenau e Jornal O Município. Já foi produtor, editor e colunista, além de empreender na área de jornalismo digital. Há 14 anos estuda e escreve sobre o cenário político de Santa Catarina, procurando apresentar informações que orientem e ampliem a visão do leitor/internauta. Contato: sergio.redacao@gmail.com
Mais notícias para você
Últimas notícias

Pavan sai do ninho tucano e sobe o morro da Casa D´Agronômica para confirmar o 10

O governador Carlos Moisés sabe a força que tem e não mede esforços para trazer partidos e políticos para...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }