Maio 27, 2021

Perdas e ganhos do Campeonato Catarinense

Perdas e ganhos do Campeonato Catarinense
Reprodução/NSC

Com altos e baixos provocados pela Covid-19, algumas encrencas jurídicas que não devem ser esquecidas, o Campeonato Catarinense terminou ontem, 26, em Chapecó, com o título do Avaí. Foram dois jogos finais bem disputados, com arbitragens corretas e jogadores comportados. Como se espera do futebol profissional.

A NSC fez um bom investimento técnico para a transmissão ao vivo, usando drone, dois repórteres de campo e o resto do pessoal em estúdio. A questão do narrador é incompreensível, pois veio de Chapecó – local do jogo – para fazer o trabalho no estúdio de Florianópolis.

 

O que tem a melhorar?

Ainda sobre o narrador, o experiente Cleiton César, precisa dar uma reciclada para evitar textos desnecessários e auto- badalação exagerada, além de lapidar certas palavras como “hashtag”. 

A comentarista de arbitragem Fernanda Colombo foi destaque, tanto que acabou chamada pela Globo para o campeonato brasileiro. Já o ex-treinador Eduardo Costa foi o contrário: não conseguiu comunicar seu conhecimento ao microfone.

Rodrigo Faraco se diferenciou.

 

Avaí

A vitória do Avaí foi merecida – mas esse comentário fica para meu colega Paulo Brito aqui na Making Of.  Se deu mal quem falava que a Chapecoense era favorita – quase um “já ganhou” – e criticava com frequência o treinador Claudinei Oliveira. O cara é campeão.

Os avaianos comemoram, como o assessor de imprensa Carlos Alberto Ferreira na foto, posando com a taça, na Arena Condá.


Divulgação

 

Fórmula 1

Desde que os direitos da Fórmula 1 foram adquiridos pela Band, a rede Globo não coloca nenhuma informação sobre corridas no ar. É como se não existissem mais corridas para os telejornais globais. Antes era vinheta, repórter ao vivo e uma enorme badalação, inclusive no Jornal Nacional.

Nada profissional.

 

Tempo

O poder afeta as pessoas. É só ver as fotos do governador Carlos Móisés de 2018 e há poucos dias em entrevista para a Band


Arquivo pessoal/Reprodução/Entrevista Band

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!