10.3 C
fpolis
10 C
fpolis
sábado, 21 maio, 2022

Por que Dário ainda não disse que irá para o PSB

Últimas notícias

[ad_1]

Por que Dário ainda não disse que irá para o PSB

DIVULGAÇÃO

Na falta de assunto político em pleno Carnaval, o encontro entre o senador Dário Berger (ainda no MDB) e o ex-tucano e governador de São Paulo Geraldo Alckmin, na capital paulista, virou um assunto relevante nas rodas políticas, sem que indique, em qualquer momento, a decisão do catarinense em se filiar ao PSB.

Dário faz um mistério no estilo “o MDB me despreza, mas tem gente que me quer”, embora as aspas não sejam dele, mas sim de um quase inconsciente coletivo.

No material disparado em pleno domingo (27), para a alegria dos analistas políticos, Dário afirma que Alckmin o incentivou a disputar o governo no Estado, sem responder quando irá oficializar o ingresso no PSB, tal qual é esperado do ex-governador e presidenciável paulista.

Pena que o encontro, em algum lugar que deu para dar uma garfada em algo ou tomar um café, foi entre um médico anestesiologista e um administrador de empresas, pois, se fosse um psiquiatra poderia ajudar Dário em seu dilema, muito mal explicado no vídeo que divulgou no dia 19 último, em que praticamente deu adeus ao MDB.

 

Núcleo comum

Alckmin, Dário e o ex-deputado Gelson Merisio, que agora aparece ao lado do ex-presidente Lula (PT), têm um passado em comum: os três foram filiados ao PSDB, com a diferença que o ex-governador paulista só militou n o MDB e no tucanato.

Merisio deverá ser o braço direito de Dário em uma empreitada no PSB, enquanto Alckmin ainda é esperado para ser vice na chapa do petista.

Dário e Merisio estariam na fila para um ministério se Lula vencer, mas falta combinar com os petistas e o pessebistas, afinal são dois novos convertidos.

 

DIVULGAÇÃO

LICENÇA DE JORGINHO ABRE ESPAÇO PARA EMEDEBISTA

O senador Jorginho Mello (PL) finalmente promete abrir o espaço para a primeira suplente Ivete Appel da Silveira (MDB). A licença de Jorginho, que não deixa de ser um afago nos emedebistas, deve ser oficializada em maio ou junho, como o senador já havia previsto há tempos. Não está descartada a possibilidade de que o segundo suplente, o ex-tucano, secretário de Estado e prefeito de Imbituba, Beto Martins (PL), também seja beneficiado neste período.

 

Por falar

O jornalista e coach Marcelo Tolentino assume a comunicação do gabinete do senador Jorginho Mello.

Tolentino atuou na campanha de Mauro Mariani (MDB) ao governo, em 2018; esteve com o Romildo Titon (MDB), na presidência da Assembleia, e atualmente está na divulgação do deputado Coronel Onir Moccelin, que trocou o PSL pelo Republicanos e é candidato a deputado federal.

[ad_2]

Source link

Roberto Azevedo
Roberto Azevedo tem 37 anos de profissão. Estudou jornalismo na UFSC, de Florianópolis, e direito na FURB, de Blumenau. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, chefe de Redação, editor-chefe, gerente e diretor de Jornalismo, na RBS TV de Blumenau e Florianópolis, na TV Record de Florianópolis, na Rede TV Sul! e na TVBV (Barriga Verde, BAND); comentarista na RIC TV Record e na Record News, e colunista no Diário Catarinense (onde também foi editor de Política) e no Notícias do Dia, tendo blogs nas versões digitais das edições. Atuou nas rádios União de Blumenau e União FM de Florianópolis, e na Rádio Record da Capital catarinense. Além de ter uma coluna no Portal Making Of, desde setembro de 2016, faz comentários sobre política e economia na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e na TVBV (BAND), de Florianópolis.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Os “semideuses” da era digital e a guerra pelo poder

Os “semideuses” da era digital e a guerra pelo poder “Nossos ídolos ainda são os mesmos...”, escreveu Belchior na linda...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }