Outubro 27, 2020

Quem é Daniela Reinerh, primeira mulher a governar SC

Quem é Daniela Reinerh, primeira mulher a governar SC
Mauricio Vieira/Secom/Divulgação

Daniela Reinerh se torna, oficialmente, na manhã desta terça-feira, 27, governadora interina de Santa Catarina. Ela é a primeira mulher na história a se tornar chefe do Executivo Estadual.

A vice-governadora assume o cargo durante a licença de Carlos Moisés da Silva, afastado por até 180 dias, após o tribunal especial de julgamento ter aceitado no último sábado, 24, o andamento do processo de impeachment contra ele, referente a equiparação salarial dos procuradores do estado.

Em primeiro ato como governadora, Daniela fará uma reunião com o colegiado nesta terça, a partir das 9h30min. Em seguida, a partir das 10h30, ela concede a primeira coletiva de imprensa, que poderá ser acompanhada no Youtube do governo.

 

Quem é Daniela?

Daniela é natural de Maravilha, município localizado na região Oeste do estado, tem 43 anos, é advogada, produtora rural, ex-policial militar, casada e tem dois filhos. Advogada há 19 anos, ela tem experiência em Direito Empresarial, Administrativo, Comércio Exterior e Direito Civil. Além disso, é empreendedora. 

A atual Governadora de Santa Catarina envolveu-se com o ativismo político na esteira dos protestos pelo impeachment de Dilma Rousseff, a partir de 2015. Naquela época, aproximou-se do Movimento NasRuas, grupo fundado pela hoje deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) que pedia a derrubada da então presidente.

Da mesma forma que Moisés, Daniela nunca tinha participado da política partidária até as eleições de 2018. Quando o vereador Lucas Esmeraldino recebeu de Jair Bolsonaro a permissão para estabelecer o PSL em Santa Catarina, ela se apresentou como interessada em concorrer ao cargo de deputada estadual.

Amigo de Esmeraldino, Moisés foi indicado para concorrer a governador por improviso, já que o PSL, sem coligação, precisava preencher a ata eleitoral para todos os cargos. Presidente do PSL catarinense, Esmeraldino buscou por uma vice que complementasse os atributos de Carlos Moisés, um homem do litoral do estado.

Vice-presidente estadual do PSL e candidata a deputada federal, Caroline de Toni, hoje eleita, foi a primeira opção. Mas as chances de vitória para o governo do estado eram consideradas baixas, e Lucas Esmeraldino não conseguiu convencê-la a concorrer. Moisés, afinal, ilustrava baixas posições nas pesquisas eleitorais.

Somente após a recusa de outra candidata, Rutineia Rossi, é que Daniela Reinehr foi convidada para compor a vice de Moisés. O PSL procurava por uma mulher, ligada à área de segurança pública, do oeste catarinense, para ajudar a angariar votos no estado inteiro.

Surfando a onda Bolsonaro, a chapa do PSL foi eleita com a maior votação da história de Santa Catarina. De repente, Moisés e Reinehr, que nunca haviam ocupado cargos políticos na vida, receberam um estado para administrar.

Quando Jair Bolsonaro deixou o PSL, no fim de 2019, Reinehr também se desfiliou, num gesto de afastamento de Moisés, que vinha de críticas públicas ao presidente. Desde então, passou a articular a criação do Aliança pelo Brasil em Santa Catarina, junto de Carla Zambelli e Karina Kufa. (Com informalções de O Globo)

Tags:
Radar MakingOf
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!