Outubro 26, 2020

TJ escolhe integrantes do novo tribunal especial

TJ escolhe integrantes do novo tribunal especial
REPRODUÇÃO TJ/YOUTUBE

Com cinco alegações de suspeição de foro íntimo dos desembargadores Cid José Goulart Júnior, Carlos Adilson Silva, José Maurício Lisboa, Altamiro Oliveira e Sebastião Evangelista, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ricardo Roesler sorteou os cinco membros que comporão o segundo Tribunal Especial de Julgamento do processo de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva.

Foram escolhidos por sorteio (na foto, da esquerda para a direita): Luiz Zanelato, Sônia Maria Schmtiz, Rosane Portela Wolff, Luiz Antônio Fornerolli e Roberto Lucas Pacheco.  

Pelo menos Sônia Schmitz e Fornerolli são grandes conhecedores da classe política, principalmente pelas penas e condenações que aplicaram quando passaram pela Vara da Fazenda Pública da Capital, no primeiro grau de jurisdição.

 

 

Linha dura

Os cinco desembargadores escolhidos são considerados de grande conhecimento jurídico e de posições bastante duras com base na legislação.

A avaliação é feita por quem frequenta a mais alta corte e sabe da interpretação de todos em questões que envolvem a moralidade pública e o erário, a saber como se comportarão diante de posturas extremanente políticas dos deputados. 

 

Convocação

Roesler convocou os integrantes do TJ para a nova escolha de uma relator, que será na próxima sexta (30).

A Assembleia escolherá os cinco deputados integrantes por voto, nesta terça (27), ou mais tarde.

 

Ainda ecoa

O voto do desembargador Luiz Felipe Siegert Schuch, na sessão do tribunal especial da última sexta (23), parecia ter sido adequado para o ambiente errado.

Schuch, visto como uma revelação da magistratura, emitiu um entendimento cabível ao Grupo de Câmaras de Direito Público sobre a polêmica entre a Apoesc e o TCE na suspensão da equiparação dos salários dos procuradores do Estado com os da Assembleia.

 

E tem mais

Quando citou que, desde 2007, há a busca no Judiciário por parte dos procuradores do Executivo pela tal equiparação, Schuch acrescentou à lista de potenciais autores de crime de responsabilidade os ex-governadores Luiz Henrique (MDB), Leonel Pavan (PSDB), Raimundo Colombo (PSD) e Eduardo Pinho Moreira (MDB), pelos quais passou a possibilidade de ficar assistindo a PGE garantir o reajuste nos salários.

Se vale para Moisés e Daniela, na opinião do desembargador, valeria para os demais, que levaram sorte ou preferiram postegar ou nem deixar o assunto passar por perto. Hoje, os ex-governantes sabem do que se livraram.

 

Kennedy por Kennedy

Do deputado Kennedy Nunes (PSD) ao ser procurado pelos jornalistas para falar sobre o episódio do grupo da família no WhatsApp e as mensagens sobre a "Máfia da Toga", que vazaram para todos e provocaram um mal-estar com o Judiciário, depois do julgamento da última sexta (23):

"Sobre isso nãome manifestarei. Quem cometeu o crime foi a NSC", declarou o deputado, em viagem ao Sul do estado nesta segunda, sem jamais desmentir o conteúdo e o direcionamento do mesmo.

 

JULIO CAVALHEIRO/SECOM

PASSAGEM DO BASTÃO

Antes que legalmente se torne governadora em exercício, na virada de segunda para terça, ogovernador afastado Carlos Moisés rebuiu o colegiado na Casa d'Agronômica para, na prática, passar o bastão para Daniela Reinehr. Colocar o secretariado à disposição de Daniela e pedir empenho dos assessores tem um significado importante. Primeiro, na defesa de um secretariado técnico, e, segundo, por conta da ideia de que vencidas etapas, o governador pretende retornar ao comando do Estado. O encontro foi no início da noite de segunda (26) com a notícia de que a secretária do desenvolvimento Social, Maria Elisa Silveira de Caro, havia pedido exoneração e será substituída pelo adjunto Dirceu Antônio Oldra. Daniela pediou continuidade dos serviços e fez uma previsão de que haverá recuperação econômica no Estado depois da pandemia, que ningué, do cientista ao leigo, consegue prever. A governadora em exercício, que pretende ter um canal de comunicação com todos os setores da sociedade, pediu continuidade de serviços.

 

Na coletiva

Já no cargo mais alto do governo, Daniela Reinehr dará uma coletiva na manhã desta terça (27), às10h30min.

Entre os anúncios, deverá dar diretrizes de sua gestão, um tom mais ao estilo Bolsonaro, e os nomes confirmados do general Ricardo de Miranda Aversa, na Casa Civil - posto de articulação do governo, que indica mais estratégia e menos salamaleque para deputado -, e a perman~encia do competente Paulo Eli, na Fazenda.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 35 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis) e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, faz comentários na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!