Outubro 31, 2020

TV: uma urna sem controle

TV: uma urna sem controle

A TV chegou ao País nos anos 50 e hoje está em 97% das casas dos brasileiros. Também anda na palma da mão de milhões de pessoas. É o maior veículo de comunicação popular. É uma arma de alcance infinito e com poder de construção/destruição incalculável. Se você estiver interessado em anunciar no Jornal Nacional terá que desembolsar R$ 930 mil reais por apenas 30 segundos.

Com esses números a TV é a menina mais cobiçada pelos candidatos em campanha. As coligações fazem parte do jogo e decidem muitas vezes os eleitos. Sem contar que tudo é pago pelo contribuinte, e hoje no Brasil o custo chega a R$ 530 milhões. É o preço da Democracia.

Esta semana Florianópolis, conhecida como a ilha da Magia viveu momentos de terror. Lembro que hoje é o dia bruxas. Um BO denunciando o prefeito e candidato, GEAN LOUREIRO, por estupro dominou as redes sociais e também a chamada mídia convencional.

Para fazer a defesa o candidato usou preciosos segundos da sua propaganda, tanto no horário eleitoral e como nos comerciais. Foram 1.140 segundos, ou 19 minutos de tempo “perdidos”. Os seus opositores também aproveitaram a oportunidade para bater no prefeito. O PSOL do professor Élson gastou 2 minutos e Ângela Amin outros dois. Vamos ver até quando o assunto rende e quanto tempo os candidatos vão gastar. Prefiro propostas dentro da realidade.
 
* Por Carlos Vanderlei dos Santos, jornalista e diretor da TV Clipagem


 
 
 

 

Tags:
artigos opinião especialistas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!