Novembro 26, 2020

Vacina de Oxford precisará de estudos adicionais

Vacina de Oxford precisará de estudos adicionais
Reprodução

A vacina contra o coronavírus Sars-CoV-2 desenvolvida pela Universidade de Oxford precisará de estudos "complementares", informou nesta quinta-feira, 26, a multinacional farmacêutica AstraZeneca, responsável pela produção global do imunizante.

A afirmação foi dada pelo CEO da empresa, Pascal Soriot, em entrevista à Bloomberg, poucos dias após a publicação dos primeiros resultados dos ensaios clínicos, que indicam uma eficácia entre 62 e 90% dependendo dos tipos de dosagem.

O regime com meia dose seguida de uma dose inteira com intervalo de um mês apresentou 90% de eficácia na prevenção da Covid-19. Já a administração de duas doses completas com intervalo de um mês mostrou ser 62% eficaz. A análise combinada dos dois regimes apresentou eficácia média de 70%, segundo a AstraZeneca.

Soriot disse que provavelmente seria outro "estudo internacional, mas este poderia ser mais rápido, porque sabemos que a eficácia é alta, então precisamos de um número menor de pacientes".

Ontem, 25, o executivo Menelas Pangalos, vice-presidente da AstraZeneca, reconheceu que houve erro de dosagem na vacina, mas disse que ele é irrelevante para a conclusão dos estudos. (ANSA)

Tags:
Covi-19
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!