Portal Making Of

Com valor recorde, CBF fará investimento de R$ 25 milhões no Brasileirão Feminino 2024

Foto: Staff Images / CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou investimento recorde no Brasileirão Feminino Neoenergia para a edição de 2024. Serão cerca de R$ 25 milhões injetados na principal competição de futebol feminino do país.

“Vamos fazer um investimento histórico em torno de R$ 25 milhões. Fizemos um aumento substancial em cotas e premiações, vamos crescer o investimento em arbitragem, teremos o VAR a partir das quartas de final, e vamos arcar com a logística de todas as equipes, entre outros investimentos”, destacou Ednaldo Rodrigues, presidente da entidade.

“O objetivo da CBF é fortalecer ainda mais o futebol feminino brasileiro, que é uma das bandeiras da nossa gestão. Vamos investir sempre mais na qualificação de toda a cadeia produtiva do futebol feminino. Queremos formar também novas gestoras, médicas, treinadoras e árbitras. A intenção é dar um salto de qualidade no futebol feminino nos próximos anos”, acrescentou.

Com 16 clubes, a edição de 2024 do Brasileirão Feminino Neoenergia terá início no dia 17 de março e mais de seis meses de disputa. A final está programada para o dia 22 de setembro.

No Conselho Técnico do Brasileirão Feminino realizado na última sexta-feira, 23, foram divulgados também reajustes nas cotas dadas aos clubes participantes.

Na primeira fase, cada equipe receberá R$ 300 mil, enquanto os oito classificados ganharão R$ 100 mil na segunda fase. Os quatro semifinalistas, por sua vez, embolsarão mais R$ 100 mil. No total, a CBF distribuirá R$ 6 milhões em cotas aos times.

A premiação também será recorde. O campeão embolsará R$ 1,5 milhão, enquanto o vice ficará com R$ 750 mil. Ao todo, serão divididos quase R$ 2,3 milhões, um reajuste de 25% em relação a 2023.

A CBF custeará toda a arbitragem e colocará o VAR em todas as partidas a partir das quartas de final da competição. Na edição de 2024, a entidade assumirá também os gastos com transporte, logística e doping.

“A intenção é tornar a competição ainda mais atraente para novos patrocinadores e para o público. A nossa missão é fazer o futebol feminino cada vez mais forte no nosso país”, finalizou Ednaldo. (Portal MKT Esportivo)

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Expansão de mercado em Santa Catarina

Mais cinco cidades catarinenses devem receber até o final deste ano empreendimentos imobiliários assinados pelas empresas do Grupo Lumis e quatro delas pela primeira vez.

Leia mais