Portal Making Of

Gerações conectadas: estudo mostra preferências por aplicativos por cada geração no Brasil

Foto: Reprodução/Freepik

Cada geração possui suas próprias características distintas, moldadas por experiências, contextos históricos e tecnológicos únicos. Os Millennials, a geração Z, a geração X e os Baby Boomers exibem padrões de comportamento que não se restringem apenas ao âmbito profissional, mas permeiam todos os aspectos de suas vidas, inclusive o uso de aplicativos e hábitos online.

Essa diferença fica clara com os aplicativos mais populares para cada faixa etária. Uma pesquisa recente da data.ai, analisando o comportamento dos consumidores em 2023,  verificou os aplicativos mais utilizados por cada geração. O estudo aponta que, entre os jovens de 18 a 24 anos, o TikTok, o Spotify e o Pinterest despontam como os favoritos. Enquanto isso, a faixa etária dos 25 aos 44 anos mostra preferência por plataformas de comunicação como WhatsApp, Instagram e Facebook. Por outro lado, os consumidores com mais de 45 anos demonstram interesse em aplicativos utilitários como Waze e OneDrive, sinalizando uma priorização da praticidade e da organização. Confira:

Thiago Abreu, fundador da Agência Amithiva, uma agência boutique focada na inovação criativa, destaca a importância de compreender essas nuances para direcionar estratégias de marca de forma eficaz. Segundo ele, a fragmentação do público em diversos aplicativos exige uma abordagem segmentada e adaptável, capaz de alcançar as diferentes gerações nos espaços digitais onde estão mais presentes.

“É importante estar atento às pesquisas e abordar a sua campanha de forma estratégica e inteligente. Esses pontos abordados pelo levantamento da data.ai demonstram o interesse de determinados públicos e sua mudança conforme os anos. Somos um dos países mais conectados às redes sociais e estar atento às mudanças pode ser um grande diferencial para alcançar todos os públicos”, afirmou Abreu.

Outro aspecto que vale a pena ressaltar está no uso das redes sociais por gênero. O estudo aponta que, enquanto o Facebook e o Messenger parecem atrair mais o público masculino, o Instagram e o WhatsApp são preferidos pelas mulheres, evidenciando diferentes preferências de comunicação e interação online.

Por outro lado, a ascensão da Inteligência Artificial (IA) como um dos principais impulsionadores da inovação digital também é abordada no estudo. A data.ai aponta que os aplicativos de chatbot de IA experimentaram um crescimento significativo, com o ChatGPT ganhando destaque. A oferta de assinaturas para desbloquear recursos adicionais também impulsionou os gastos dos consumidores nesse segmento. Esse crescimento pode mudar o mercado de aplicativos, principalmente quando consideramos os utilitários. Isso porque a OpenAI, empresa por trás do ChatGPT, recentemente lançou uma loja de aplicativos utilizando a sua API. A GPTStore pode ganhar cada vez mais adeptos nos próximos anos.

“A IA está redefinindo o cenário. Isso porque cada vez mais usuários estão usando essas soluções diariamente. Desta forma, poderemos ver uma mudança em relação a forma de utilização dos aplicativos. Essa transformação precisa ser acompanhada de perto pelos profissionais da publicidade. Que também precisam compreender quais as ferramentas podem auxiliar no desenvolvimento das suas campanhas, sem retirar a originalidade e capacidade humana, que é essencial para a criação de campanhas que realmente se conectem com o público”, concluiu Abreu.

Por fim, o executivo afirmou que compreender as nuances dos hábitos online das diferentes gerações e acompanhar as tendências emergentes, como a ascensão da IA, é fundamental para as marcas que buscam se manter relevantes e engajar seu público-alvo no cenário digital em constante evolução.

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Destaques da semana no Portal Making Of

Selecionamos aqui os destaques da semana na Making Of. Confira abaixo uma pequena descrição de cada uma e o link para você acessá-la. Claiton Selistre

Leia mais