Portal Making Of

Justiça retira Ednaldo Rodrigues do cargo de presidência da CBF

Ednaldo Rodrigues (Foto: Rodrigo Ferreira/CBF)

Ednaldo Rodrigues foi desposto do cargo de presidente da CBF nesta quinta-feira, 7. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro anulou uma série de assembleias da entidade e acabou invalidando a eleição do atual mandatário. Cabe recurso e a Confederação irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça.

Ela é fruto da decisão de desembargadores da 21ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que determinaram que José Perdiz, presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), assuma a entidade até uma nova eleição, em até 30 dias.

Os desembargadores consideraram inválido o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado por Ednaldo Rodrigues em 2022 com o Ministério Público Estadual. Segundo consta, o Ministério Público do Rio não tinha legitimidade para costurar o documento com a CBF.

Ednaldo foi presidente interino da CBF entre 2021 e 2022, assumindo o cargo após Rogério Caboclo ser afastado por denúncias de assédio moral e sexual. Em março de 2022, o ex-presidente da Federação Baiana de Futebol acabou eleito para a presidência da entidade que comanda o futebol nacional.

 

Del Nero e Ricardo Teixeira articulavam queda

Na semana passada, Romário, ex-jogador e atualmente senador (PL-RJ), utilizou suas redes sociais para uma publicação polêmica, a de que Marco Polo Del Nero e Ricardo Teixeira estão tentando derrubar Ednaldo Rodrigues do cargo de presidente da CBF.

“No momento, temos conhecimento de que dois ex-presidentes da CBF estão se mobilizando de maneira oportunista, aproveitando o atual momento da seleção, para iniciar um movimento visando dar um golpe na gestão atual e retomar o poder em nosso futebol”, escreveu Romário, para em seguida criticar os dois ex-presidentes da CBF.

“É muita cara de pau. Ricardo Teixeira e Marco Polo Del Nero estão na lista vermelha da Interpol e não podem sair do Brasil ou serão presos, por terem sido condenados nos EUA. O crime? Corrupção!”, acrescentou.

Aproveitando-se do mau momento da entidade, Del Nero escreveu um artigo para o UOL, criticando a atual gestão.

“Como torcedor e entusiasta do potencial do futebol brasileiro, me causa enorme preocupação ver os rumos financeiros da CBF com essa gestão precária, temerária e dissociada da realidade que estamos acompanhando do atual presidente”, afirmou o ex-presidente.

“Pelo bem do futebol brasileiro, penso que ele deveria assumir sua incompetência e renunciar. Ou quem tem poder para isso, que é a Assembleia Geral, poderia retirá-lo de lá antes que ele comprometa o futuro do futebol brasileiro como um todo”, acrescentou.

Em sua defesa, a CBF acusou o artigo como “fake news” e que é “é público que a entidade teve em 2022 o maior superávit de sua história”.

 

*Texto do Portal MKT Esportivo

Os colunistas são responsáveis por seu conteúdo e o texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal Making of.