Portal Making Of

ESG, AI, digitalização: o que as agências devem esperar para a comunicação em 2024?

Foto: Reprodução/Freepik

Conforme o calendário vai ficando mais perto do último mês do ano, as empresas começam a visualizar como será o próximo e a alinhar suas estratégias – com as agências de publicidade não é diferente. Mas, no caso dessas prestadoras de serviço, o planejamento leva em consideração as particularidades de cada cliente que elas atendem e como o que está acontecendo ao redor do mundo, das tendências tecnológicas ao cenário econômico e geopolítico, pode capitalizar oportunidades ou oferecer desafios para as marcas.

“As agências desempenham um papel fundamental na criação e execução de campanhas impactantes, impulsionando um setor que não apenas reflete, mas também molda as narrativas que permeiam a sociedade contemporânea”, comenta Fábio Schmitz, publicitário e diretor de novos negócios da agência catarinense Seven Comunicação Total, que acumula quase três décadas de expertise no setor.

Segundo ele, de forma geral, o cenário do mercado publicitário é sempre dinâmico e acelerado, mas já é possível antecipar alguns fatores que se apresentarão ou perpetuarão em 2024. Como é o caso das ferramentas de IA cada vez mais empregadas nos trabalhos que envolvem criação e a afirmação das redes sociais como canal de divulgação de marcas, mas também outros fatores como a pauta ESG.

“As agências, sem dúvida, continuarão a acompanhar de perto a evolução constante da tecnologia, um fator-chave que molda as formas de comunicação e interação. Além disso, estão atentas às políticas ambientais, sociais e de governança, refletindo a crescente preocupação das empresas em se alinhar a práticas responsáveis. Outro elemento crucial no radar das agências é o comportamento do consumidor, uma variável sempre mutável e influenciada por fatores socioculturais. Antecipar essas mudanças é essencial para criar campanhas publicitárias eficazes que repercutem com o público-alvo”, comenta o publicitário.

A expectativa econômica do mercado está alta.  As projeções para 2024 apontam para uma marca histórica, com o gasto em anúncios estimado em ultrapassar a cifra de US$ 1 trilhão, conforme indicado por um estudo da agência de marketing Warc, divulgado na segunda metade de 2023. Para o ano atual, a expectativa é que o setor alcance movimentações financeiras da ordem de US$ 963,4 bilhões.

 

Redes sociais com impacto cada vez maior

No universo digital, as redes sociais continuam a estar no centro dos investimentos publicitários, segundo o mesmo estudo, com uma previsão de crescimento de 11,5% até o final de 2023 e uma projeção ainda mais robusta de 12,8% para 2024, totalizando US$ 227,2 bilhões. No contexto brasileiro, dados do estudo Digital AdSpend Brasil, produzido pelo IAB Brasil em parceria com a Kantar Ibope Media, indicam um crescimento de 11% no primeiro semestre de 2023, movimentando expressivos R$ 16,4 bilhões.

Mas outras mídias também merecem atenção, como é o caso da TV conectada, que é a publicidade na internet voltada para a veiculação na televisão. “O mercado publicitário se prepara para 2024 com uma visão abrangente, considerando desde as transformações tecnológicas até às demandas éticas e as nuances do comportamento do consumidor. Nesse cenário dinâmico, as agências precisam ter uma abordagem multifacetada, conscientes de que a adaptação contínua e a compreensão do ambiente em constante mudança são essenciais”, destaca Fábio.

Os colunistas são responsáveis por seu conteúdo e o texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal Making of.