Portal Making Of

Tendências do maior evento de economia criativa do mundo são debatidas em evento da ADVB/SC, ACATE e Cidade Inovadora

Foto: Divulgação

As tendências e aprendizados do South by Southwest (SXSW), maior evento de economia criativa do mundo, foram debatidas e compartilhadas na última sexta-feira, 12 de abril, em evento da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina (ADVB/SC), Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) e Cidade Inovadora. O evento, gratuito, foi realizado às 09h30, no cinema do Beiramar Shopping, em Florianópolis.

Participaram do evento o presidente da ADVB/SC, Ricardo Barbosa Lima; o vice-presidente de talentos da ACATE, Diego Ramos; a diretora de Comunicação da ADVB/SC, Melina Costa; o vice-presidente de Planejamento e Comunicação da ADVB/SC, Rodrigo Cancellier; o vice-presidente de Internacionalização da ACATE, Henrique Bilbao; o diretor do Cidade Inovadora, Daniel Leipnitz.

O SXSW foi realizado de 8 a 16 de março, em Austin, nos Texas. Empresários catarinenses participaram de uma missão empresarial durante o evento, promovida pela ADVB/SC, ACATE e Cidade Inovadora. Os participantes tiveram uma imersão em aprendizados e networking, com visitas técnicas às principais Big Tech’s e jantares com speakers.

Para o presidente da ADVB/SC, Ricardo Barbosa Lima, desde o planejamento dessa missão empresarial havia o compromisso de democratizar esse conhecimento e experiência adquirida pelas pessoas que foram ao SXSW. “Atuamos na capacitação, reconhecimento e inovação, divulgando e promovendo as mais avançadas tendências do mundo e do mercado, de acordo com cada contexto que vivenciamos. Não há boa prática de marketing e vendas sem entendimento real e visão de futuro sobre as tendências de consumo. Criar conexões é um desafio permanente. Não existe atividade comercial que não necessite da área de marketing e vendas, é isso que move o mundo. Hoje, aqui, o nosso compromisso é distribuir o conhecimento adquirido em Austin e compartilhar com todos vocês”, ressaltou.

Já o vice-presidente de talentos da ACATE, Diego Ramos, falou sobre o propósito ao fomentar o setor de tecnologia e inovação em Santa Catarina. “Santa Catarina tem feito um trabalho bastante diferenciado nesta área, mas a competição é cada vez mais global. Por isso, é importante participar de missões como estas, para adquirir aprendizados de como podemos nos reinventar cada vez mais”, disse.

Melina Costa, Rodrigo Cancellier, Henrique Bilbao e Daniel Leipnitz compartilharam com os participantes do evento suas impressões do SXSW.

“Foram 9 dias de evento, 24 trilhas, 450 sessões e 3.000 palestras. Acho que uma das coisas mais impactantes dessa experiência é que toda a cidade vive esse evento. Há muitos brasileiros. Inclusive, o Brasil é o 2º maior público do SXSW, atrás apenas dos EUA. Entre os temas que mais destaco como interessantes estão a Inteligência Artificial, o trabalho workplace, questões de equidade de gênero, mudança climática e as experiências imersivas”, afirmou Melina.

Já Rodrigo ressaltou a experiência com a visita na empresa Dell. “De todas as empresas que visitamos, foi a que mais nos recebeu com pessoalidade. E em termos de mensagem, é muito forte para eles a inovação. É muito interessante observar as pesquisas que eles desenvolvem e a forma como abordam e prospectam os clientes. Nessa visita, entendemos que é importante identificar a maturidade das empresas e como elas estão vendo a inovação, porque às vezes o cliente não está preparado para receber o serviço oferecido”, explica.

Henrique Bilbao abordou a experiência na Google, Dell, Amazon e Miro, além do aprendizado de como se treinam os robôs, a representatividade de Santa Catarina em espaços da tecnologia e de mulheres como diretoras neste setor. “Tínhamos uma pessoa no time, o Guilherme, que vive na Pedra Branca, em Palhoça e foi um dos criadores do Google Flights, serviço que organiza a pesquisa de passagens áreas pelo número de escalas, preço, companhia aérea e/ou duração da viagem. Na Dell,  fomos recepcionados por três diretoras mulheres. Aqui, temos muitas mulheres na tecnologia, e temos trabalhado para que elas ocupem esses cargos de liderança no Estado, então é muito representativo ver isso acontecer no mundo”, complementa.

Por fim, Daniel falou sobre a importância da comitiva representando a cidade de Florianópolis, e o quanto esta ilha de pescadores, hoje, é considerada o Vale do Silício brasileiro. “As missões são investimentos que fazemos por nós mesmos, para a nossa formação, e é o melhor investimento que existe. Com essas viagens adquirimos conhecimentos, fazemos networking e, para além disso, amigos. Muito do que Florianópolis é hoje, do foi construído aqui, vieram dos aprendizados das missões internacionais que as áreas de tecnologia e inovação fizeram ao longo dos anos. Por isso, finalizo a minha fala ressaltando a importância que elas têm para a integração e evolução de uma sociedade”, conclui.

Compartilhe esses posts nas redes sociais:

Não aguenta? Bebe leite.

Um inglês está utilizando uma matéria prima inusitada para fabricação de vodka: leite. A Black Cow é criação do fazendeiro Jason Barber, que mora em

Projetos de luxo em Florianópolis

Daniel Dimas, CEO da Dimas Construções (esq), Georgia Subtil, analista de arquitetura da empresa,, e Gabriel Freire, diretor Comercial e de Incorporações da Dimas Construções

Leia mais

Não aguenta? Bebe leite.

Um inglês está utilizando uma matéria prima inusitada para fabricação de vodka: leite. A Black Cow é criação do fazendeiro Jason Barber, que mora em

Projetos de luxo em Florianópolis

Daniel Dimas, CEO da Dimas Construções (esq), Georgia Subtil, analista de arquitetura da empresa,, e Gabriel Freire, diretor Comercial e de Incorporações da Dimas Construções