11.5 C
fpolis
11.5 C
fpolis
sexta-feira, 20 maio, 2022

A conta da privatização da Eletrobras pode chegar ao bolso do consumidor

Crédito: divulgação
Últimas notícias

O governo estima que a a privatização da Eletrobras pode render R$ 100 bilhões aos cofres públicos, mas entidades do setor afirmam que a conta de luz pode ficar mais cara.

Apreensivos com as consequência do processo de capitalização da Eletrobras e diluição das ações do Governo, os eletricitários ligados ao Sinergia (Sindicato dos trabalhadores da Indústria de Energia Elétrica de Florianópolis e Região) fazem mobilização na Capital para alertar sobre os possíveis aumentos nas tarifas de energia posterior ao processo. Atualmente, o governo tem 51,82% do capital ordinário e o Banco Econômico de Desenvolvimento Social (BNDES), 16,78%, segundo o site da estatal.

Antônio Rogério dos Santos, representante sindical do Sinergia. Crédito: divulgação

Para Antônio Rogério dos Santos, representante sindical,  as consequências do processo são “o repasse do patrimônio público já amortizado ao capital especulativo de investidores internacionais pela bolsa de valores. E dessa forma a exploração dos recursos energéticos nacionais voltando-se contra a população na forma de custo tarifário desnecessário contribuindo com  alta da inflação e desmonte do setor energético nacional”.

Paralelo seja feito em relação ao similar processo ocorrido com a Petrobras e as nefastas consequências da política de preços dos combustíveis sobre a economia do país, embora o Governo ainda mantenha 50,30% dos papéis com direito a voto, a intenção é manter os interesses do mercado acionário. Hoje, a composição acionária da Petrobras (dado de fevereiro de 2022) indica que a União tem  28,7%. Embora a sede da Petrolífera seja no Rio de Janeiro, os interesses de privatização deflagrados em Brasília, mas é no bolso dos consumidores que a inflação explode corroendo o poder de compra, enquanto a Petrobras apresenta o lucro de R$ 106,6 bilhões (referente a 2021), o maior de sua história, período em que o preço da gasolina subiu cerca de 46% e o diesel 36% .

Janine Alves
Graduada em Economia e doutora em Gestão do Conhecimento, faz parte do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Conhecimento, Aprendizagem e Memória Organizacional (Interdisciplinary research group on knowledge, learning and organizational memory), núcleo de excelência em pesquisa científica e tecnológica, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC/UFSC). Trabalhou como: professora da UFSC e Univali, colunista de economia do Grupo RIC Record (Jornal Notícias do Dia e Ric Record TV) e analista de economia na RBS - TV/ NSC - Diário Catarinense, Consultora de Economia Internacional para a CIP Cosultores – Espanha, Diretora do Escritório do Governo da Galicia/Espanha no Brasil, Diretora de Integração Internacional e Consultora de Economia do Governo de Santa Catarina (Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Assuntos Internacionais), etc.
Mais notícias para você
Últimas notícias

Congresso ACAERT tem início neste domingo com palestra de Hamilton Mourão

O 18º Congresso Catarinense de Rádio e Televisão, que a Acaert - Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e...
.td-module-meta-info { font-family: 'Open Sans','Open Sans Regular',sans-serif; font-size: 14px !important; margin-bottom: 7px; line-height: 1; min-height: 17px; } .td-post-author-name { font-size: 14px !important; font-weight: 700; display: inline-block; position: relative; top: 2px; }